Total de visualizações de página

sábado, 30 de abril de 2011

Accenture identifica novas tendências para Tecnologia da Informacao

Accenture identifica novas tendências no futuro das TIs
Terça, 26 Abril 2011 14:15
O desenvolvimento das redes sociais como fonte de conhecimento para as empresas, o cloud computing como motor do crescimento do negócio e a crescente importância da informação são três das principais tendências de um novo mundo das Tecnologias de Informação que agora começa a emergir. Estas são algumas das conclusões do relatório «Accenture Technology Vision 2011», que identifica oito tendências emergentes que vão desafiar os pressupostos sobre a forma como as TIs estão a definir o ambiente empresarial.«A pesquisa efectuada demonstrou que o mundo das tecnologias da informação não se revê na actualidade» afirma Gavin Michael, responsável mundial pelas áreas de I&D e Alianças da Accenture, que coordenou o projecto. «O papel da tecnologia enquanto mero suporte está a mudar, assumindo agora um lugar de destaque no desempenho do negócio e no enriquecimento da vida das pessoas, como nunca antes aconteceu». Uma das tendências mais significativas que o relatório identifica é o fim da era das aplicações tradicionais. Em alternativa, as plataformas vão ser escolhidas pela sua capacidade de gerir crescentes volumes de informação e pela complexidade da gestão de dados e não pela sua capacidade de suporte a aplicações. As bases de dados relacionais já testadas não irão desaparecer, mas cedo vão começar a dar lugar a outros tipos de bases de dados – como as de streaming, que permitem a transmissão contínua de informação através de redes – um marco que assinala uma mudança significativa daquela que tem sido a prática dos departamentos de TIs e dos utilizadores empresariais durante décadas. «Os executivos vão começar a encarar as aplicações como utilities que estarão sempre disponíveis e ao seu alcance» afirma Pedro Lopes, Partner da Accenture responsável pela área de Tecnologia em Portugal. «Os papéis desempenhados pelas aplicações e dados vão ser invertidos, com a informação a tornar-se a plataforma de suporte às aplicações de serviços. Os executivos vão ser encorajados a reorientar a sua visão das TIs para a ideia de plataformas de dados». O relatório prevê ainda a evolução das redes sociais para as chamadas “plataformas sociais”. Isto significa que os sites institucionais de muitas empresas podem vir a deixar de ser o primeiro ponto de contacto com clientes. Este facto tem o potencial disruptivo de alterar a forma como as empresas conduzem o seu negócio, impondo novos desafios e oportunidades para as TIs. Por exemplo, as “identidades sociais”, fruto do historial de informação que os indivíduos partilham nas redes sociais, vão ser muito mais valiosas para as empresas do que a informação tradicional e isolada que é disponibilizada aquando do registo em sites corporativos. A Accenture identificou ainda uma crescente discussão em torno do cloud computing, que se vai tornar tão difundida que o próprio termo vai ser redundante. De acordo com o relatório da Accenture, as “nuvens híbridas” – software como um serviço (SaaS) e plataforma como um serviço (PaaS) em combinação com aplicações internas – vão reforçar o papel central das TIs no crescimento dos negócios.O desenvolvimento das redes sociais como fonte de conhecimento para as empresas, o cloud computing como motor do crescimento do negócio e a crescente importância da informação são três das principais tendências de um novo mundo das Tecnologias de Informação que agora começa a emergir. Estas são algumas das conclusões do relatório «Accenture Technology Vision 2011», que identifica oito tendências emergentes que vão desafiar os pressupostos sobre a forma como as TIs estão a definir o ambiente empresarial. «A pesquisa efectuada demonstrou que o mundo das tecnologias da informação não se revê na actualidade» afirma Gavin Michael, responsável mundial pelas áreas de I&D e Alianças da Accenture, que coordenou o projecto. «O papel da tecnologia enquanto mero suporte está a mudar, assumindo agora um lugar de destaque no desempenho do negócio e no enriquecimento da vida das pessoas, como nunca antes aconteceu». Uma das tendências mais significativas que o relatório identifica é o fim da era das aplicações tradicionais. Em alternativa, as plataformas vão ser escolhidas pela sua capacidade de gerir crescentes volumes de informação e pela complexidade da gestão de dados e não pela sua capacidade de suporte a aplicações. As bases de dados relacionais já testadas não irão desaparecer, mas cedo vão começar a dar lugar a outros tipos de bases de dados – como as de streaming, que permitem a transmissão contínua de informação através de redes – um marco que assinala uma mudança significativa daquela que tem sido a prática dos departamentos de TIs e dos utilizadores empresariais durante décadas. «Os executivos vão começar a encarar as aplicações como utilities que estarão sempre disponíveis e ao seu alcance» afirma Pedro Lopes, Partner da Accenture responsável pela área de Tecnologia em Portugal. «Os papéis desempenhados pelas aplicações e dados vão ser invertidos, com a informação a tornar-se a plataforma de suporte às aplicações de serviços. Os executivos vão ser encorajados a reorientar a sua visão das TIs para a ideia de plataformas de dados». O relatório prevê ainda a evolução das redes sociais para as chamadas “plataformas sociais”. Isto significa que os sites institucionais de muitas empresas podem vir a deixar de ser o primeiro ponto de contacto com clientes. Este facto tem o potencial disruptivo de alterar a forma como as empresas conduzem o seu negócio, impondo novos desafios e oportunidades para as TIs. Por exemplo, as “identidades sociais”, fruto do historial de informação que os indivíduos partilham nas redes sociais, vão ser muito mais valiosas para as empresas do que a informação tradicional e isolada que é disponibilizada aquando do registo em sites corporativos. A Accenture identificou ainda uma crescente discussão em torno do cloud computing, que se vai tornar tão difundida que o próprio termo vai ser redundante. De acordo com o relatório da Accenture, as “nuvens híbridas” – software como um serviço (SaaS) e plataforma como um serviço (PaaS) em combinação com aplicações internas – vão reforçar o papel central das TIs no crescimento dos negócios.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário