Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de abril de 2011

José Aldo vai pegar canadense no UFC 129

José Aldo vai pegar canadense no UFC 129: 'Eu já deveria ter lutado em janeiro'

21/04 às 20h20 Luiz Filipe Barboza

José Aldo, campeão dos penas do UFC. Foto de divulgação UFC

RIO - O melhor lutador de MMA do ano passado em todas as categorias do UFC volta enfim a subir ao octógono no dia 30. Longe do ringue desde setembro do ano passado, José Aldo superou nesse período uma hérnia de disco e uma lesão num dos ombros. O campeão mundial dos penas vai colocar seu cinturão em jogo contra o desafiante canadense Mark Hominick, na edição 129 do UFC, em Toronto, no Canadá.

- Ele é um cara que gosta de lutar em pé, mas tem um jiu-jitsu fraco - analisa, sem meias palavras, o campeão, de 24 anos, nascido em Manaus em 23 de setembro de 1986 e que tem 1,71m e 66kg.

Aldo está com saudade do octógono. Saudade declarada e assumida.

- Já devia ter lutado desde o começo do ano. Mesmo lesionado, eu queria ter lutado, mas fui convencido a não lutar - conta.

VÍDEO: Aldo fala da paixão pelo Flamengo

APOSENTADORIA: Randy Couture fará no UFC 129, contra Lyoto Machida, sua última luta

A última vez que o campeão sentiu o gosto de um combate foi há mais de seis meses, em 30 de setembro de 2010. Na ocasião, defendeu pela segunda vez o cinturão dos penas contra o armênio Manvel Gamburyan. Venceu por nocaute. Ainda era campeão do WEC, divisão que reunía categorias mais leves e meses depois foi incorporada ao UFC. Com a fusão, tornou-se o primeiro campeão dos penas no UFC.

Ser campeão sem lutar o incomodava. Em fevereiro, durante o UFC 126, o da luta do século entre Anderson Silva e Vítor Belfort , Aldo admitia o desconforto com a situação nas entrevistas que concedia no Hotel Mandalay Bay, em Las Vegas.

- Eu sou campeão do UFC, o Dana White (presidente do UFC) afirmou e reafirmou isso. Mas quero lutar, quero defender meu cinturão para me sentir mesmo campeão - dizia Aldo.

Em 1º de janeiro, Aldo tinha marcada sua primeira defesa de cinturão desde que o WEC passou a ser UFC. Mas as lesões o fizeram desistir de enfrentar Josh Grispi. O rival de então foi derrotado e perdeu o direito de desafiar o campeão, privilégio que cabe agora a Hominick. Aldo, que tem uma história pessoal de superação sobre a infância pobre ( leia reportagem de outubro do ano passado ), terá o desafio de derrotar um canadense dentro do Canadá.

- Não vejo problema nisso, já lutei outras vezes na casa do adversário. Não escuto a torcida, o que escuto é o meu córner, as instruções do meu treinador. É no octógono que a gente vê quem é quem, não tem essa de torcida - diz o brasileiro, com cartel no MMA de 18 vitórias (12 por nocaute) e só uma derrota..

Quem é Mark Hominick

Aldo viaja para o Canadá na próxima segunda-feira. Se não liga para os torcedores que apoiarão Hominick, alimenta o desejo de se apresentar para sua gente, em agosto, no UFC Rio, cidade que escolheu para viver e treinar.

- Tudo depende dessa luta (em Toronto). Está tudo dentro do cronograma. Em geral, o lutador tem três meses para se preparar para um novo combate. Do fim de abril a agosto serão quatro meses. Deixo a decisão (de lutar ou não no Rio de Janeiro) na mão deles (os dirigentes do UFC) - diz, guardando esperanças de ser incluído no card do evento, marcado para o dia 27 de agosto na arena multiuso da Barra da Tijuca.

Mark Hominick. Foto de divulgação UFC

O desafiante de Aldo, Mark 'The Machine' (A Máquina) Hominick, já fez 28 combates na carreira. Venceu 20 e perdeu oito. Em entrevista ao site especializado americano MMA Junkie, Hominick, perto de completar 29 anos, confessou:

- Minha vida foi definitivamente virada de cabeça para baixo (desde que foi escalado para enfrentar José Aldo). Tem sido uma loucura. Eu realmente tenho tentado aproveitar o embalo. Em nenhum momento a minha vida foi tão movimentada e agitada. Estou pronto para ir lá no dia 30 de abril e sentir isso de dentro do octógono.

Pior para ele que do outro lado estará José Aldo, um campeão em grande forma. Nas últimas oito lutas, o manauara radicado no Rio venceu sete por nocaute e só uma por decisão dos juízes. Foi eleito o melhor peso-por-peso de 2010 e conquistou o prêmio de "nocaute da noite" por três vezes na carreira.

O card principal do UFC 129 terá as seguintes lutas:

Georges St Pierre x Jake Shields (meio-médio)

José Aldo x Mark Hominick (pena)

Vladimir Matyushenko x Jason Brilz (meio-pesado)

Randy Couture x Lyoto Machida (meio-pesado)

Mark Bocek x Ben Henderson (leve).

  • Dê uma nota: 1 2 3 4 5
  • Média: 3,7

Nenhum comentário:

Postar um comentário