Total de visualizações de página

sábado, 16 de abril de 2011

Saiba como aproveitar o combustível no seu veículo

A gasolina em Fortaleza chega a R$ 2,89. O etanol, mais barato, R$ 1,99. A tendência é que o preço da gasolina suba ainda R$ 0,08, no início da próxima semana, conforme O POVO adiantou em matéria no dia 13 de abril.


Em tempos de preços maiores, com estimativa de alta, o consumidor pode protestar, mas pode também utilizar melhor o veículo, a fim de render melhor o combustível.O POVO dá as dicas.


Importante manter a aceleração regular e não acelerar até o limite máximo para frear. Deixar o veículo seguir em “ponto morto” desligado, aumenta o risco de acidentes e não economiza um suspiro de combustível.


O conta-giros do carro não é só enfeite. O macete é trocar de marcha só quando atingir a rotação máxima de 2 mil giros, no máximo, ou 1,5 mil, no mínimo. Isso melhora a faixa de consumo e reduz a quantidade de poluentes emitidos.


Semanalmente, é necessário calibrar os pneus, mas sempre com a pressão (libras) recomendada pelo fabricante. Essas orientações estão no manual do proprietário. Mas uma coisa é certa: pneus mais largos e sistema de alimentação alterado, como descargas e filtros mais “esportivos”, têm um custo maior, sim! É combustível jogado fora.


Acima de tudo, é necessário conhecer o carro que anda, saber seus limites e suas respostas. Não se perde nada em fazer calcular quantos litros seu automóvel está consumindo por quilômetro. Quando essa média estiver muito fora do padrão, melhor procurar uma oficina especializada.


O uso do ar-condicionado no Ceará é indispensável. Dá mais conforto. Dá mais gasto também. Aumenta cerca de 20% o consumo.


Mais gasto

Atenção! Tanque sempre cheio transporta mais peso e tem maior consumo, consequentemente. O ideal é andar com meio tanque, e deixar baixar até no mínimo do volume de combustível. Mas é necessário observar se isso acontece no seu carro.

Transporte de peso morto, como mochilas e malas da última viagem aumentam consideravelmente o consumo, principalmente em uso urbano; é quando o veículo gasta muita energia (combustível) para romper a inércia. (colaborou Alcides Freire)

Por quê


ENTENDA A NOTÍCIA


O consumidor pode reclamar, denunciar presso abusivo, deixar de abastecer em algum posto, andar de ônibus por uns tempos, fazer campanha na internet. Mas, para os preços caírem, o setor produtivo e o governo têm que agir, e rápido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário