Total de visualizações de página

sábado, 7 de maio de 2011

Bovespa ganha 1,6%; dólar cai para R$ 1,61

7/5/2011
A Bovespa teve o seu primeiro pregão positivo neste mês, interrompendo uma sequência de quatro dias consecutivos de ganhos.

Após o estresse com a derrocada dos preços das commodities ontem, os investidores comemoraram duas notícias positivas: a geração de empregos mais robusta nos EUA, e a inflação (IPCA) mais baixa no Brasil.

O pregão brasileiro teve dois destaques bastante positivos. A ação da Tim disparou 7,78%, chegando a subir mais de 10% no decorrer da sessão. Na última quinta-feira à noite, a empresa avisou que deve trocar suas ações preferenciais por ordinárias, o que foi saudado por investidores, já que essa troca tende a melhorar a liquidez dos papéis da empresa.

Outro papel que subiu com força foi a ação preferencial das Lojas Americanas, com valorização de 9,4%. A cadeia varejista informou um lucro líquido de R$ 62,4 milhões para o primeiro trimestre, em um incremento de 28,1% sobre o resultado apurado no mesmo período de 2010.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, subiu 1,59% no fechamento, aos 64.417 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,4 bilhões. Nos EUA, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, avançou 0,43%.

"Na nossa visão, as ações de bancos, de empresas ligadas ao consumo doméstico, e da construção civil podem ter boas valorizações nas próximas semanas, se essas expectativas de uma inflação um pouco menor se confirmarem", comenta Eduardo Oliveira, da mesa de operações da Um Investimentos. Ontem à noite, a mineradora Vale anunciou um novo resultado histórico: um lucro de R$ 11,291 bilhões, em um crescimento de 292,2% ante os R$ 2,879 bilhões registrados em igual período do ano anterior. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, a alta foi de 12,9%.

A ação preferencial desvalorizou 0,20%, após um forte avanço no pregão de ontem, quando o mercado antecipou um balanço com números robustos.

A taxa de câmbio doméstica teve sua primeira queda no mês, num dia de trégua dos mercados frente à onda de pessimismo mundial. O mercado de câmbio doméstico passa por uma conjuntura de pouca liquidez, numa temporada marcada por algumas remessas de lucros das matrizes para filiais no exterior e pagamento de importações. Nesse contexto, o dólar comercial foi negociado por R$ 1,617, em um decréscimo de 0,49% nas últimas operações de hoje. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,620 e R$ 1,602. O dólar turismo foi vendido por R$ 1,720 e comprado por R$ 1,550 em São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário