Total de visualizações de página

sábado, 28 de maio de 2011

Maracanã vai se tornar exemplo de estádio ecologicamente correto

Jornal do Brasil
PUBLICIDADE


O Maracanã se prepara para ser o principal palco da Copa do Mundo de 2014 e também referência em sustentabilidade. No projeto executivo de reforma e modernização do Templo do Futebol, que ficará pronto em dezembro de 2012, o conforto e a segurança dos torcedores não são as únicas prioridades. Transformar o Estádio Jornalista Mário Filho em um patrimônio ambiental, com soluções para a economia de recursos naturais, como água e energia elétrica, também está nos planos do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Para que o novo Maracanã receba a certificação ambiental, todas as melhorias são baseadas no sistema LEED (Leardership in Energy and Environmental Design), do Green Building Council Brasil, selo concedido a empreendimentos com alto desempenho ecológico. Além da eficiência energética e da economia de água, o projeto que tornará o Maracanã um estádio “verde” inclui a diminuição nas emissões de CO2, que causam o efeito estufa, melhoria nas condições do ambiente e otimização do uso de materiais de construção.

- Não tenho a menor dúvida de que o Maracanã é um case de sucesso, sua mudança é muito significativa em vários aspectos e serve de exemplo. No novo perfil, o Maracanã está pautado pela tecnologia e pelas eficiências energéticas. Os critérios da certificação LEED não estão apenas no projeto, mas também na obra - explicou o presidente da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop), Ícaro Moreno, responsável pela reforma do estádio.

Uso racional de água

A meta é reduzir o consumo de água em 30%, por meio de dispositivos economizadores e a implantação de um sistema de captação de água de chuva, que irá assegurar a diminuição de 50% no uso para irrigação do gramado. A chuva captada pela nova cobertura, que substituirá a atual marquise condenada por especialistas, será utilizada também para o funcionamento dos banheiros, que terão torneiras inteligentes com fechamento automático e descargas ecológicas.

Redução energética

A Secretaria de Obras prevê ainda a economia de 8% da energia elétrica. O Maracanã receberá um moderno sistema de iluminação com lâmpadas de led em 23.500 luminárias, econômicas, de baixa manutenção e elevada vida útil. Equipamentos de ar condicionado e bombas mecânicas eficientes e uso da energia solar no aquecimento da água dos vestiários estão na lista ecologicamente correta da modernização do estádio.

- O projeto sustentável diminui o custo de operação do Maracanã. As tecnologias que estão sendo implantadas reduzem o consumo. Por exemplo, haverá menor perda de carga elétrica para "alimentar" o estádio com o sistema que irá evitar o desperdício de energia, através do desligamento automático de luzes. Através dessas ações, que também contribuem indiretamente para a redução de CO2, estamos deixando de consumir o meio ambiente - ressaltou o responsável pelo projeto ambiental do Maracanã e gestor do LEED, Bernard Malafai.

Canteiro de obras sustentável

As práticas sustentáveis começam a ser adotadas já no canteiro de obras, onde cerca de 800 profissionais trabalham em dois turnos para entregar um novo Maracanã. Setenta e cinco por cento do material de demolição da obra estão sendo britados em uma máquina que separa o concreto das estruturas em ferro e serão reutilizados no estádio e em outras obras públicas. Durante toda a reforma, as árvores do local serão protegidas com cercas e um piso impermeável impedirá a poluição química do solo.

- No canteiro, já adotamos estratégias como o reaproveitamento do material utilizado. Tudo que está sendo demolido reciclamos, tanto a ferragem quanto o concreto para base e suporte de base. Nós também estamos tendo cuidados na escolha dos materiais utilizados nas obras, que são recicláveis. A reforma está toda dentro do universo ambiental - explicou Ícaro Moreno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário