Total de visualizações de página

sábado, 7 de maio de 2011

MERCADO DE CARTÕES PRÉ-PAGO APOSTA NOS SEM-CONTA E EM SEGMENTOS ESPECÍFICOS

O mercado brasileiro de cartões pré-pagos aposta no potencial, principalmente, das pessoas sem conta bancária, dos estudantes e das pessoas em viagem. Durante o Fórum Mercado de Pré-pagos no Brasil, na CARDS 2011, o diretor executivo das áreas comercial, marketing e produtos da Visa Vale, Ronaldo Varela, ressaltou a possibilidade de aumento de cerca de 13 milhões de cartões pré-pagos no País, caso o Governo Federal adote esse sistema no Programa Bolsa Família. 

Adolescentes que ainda não possuem conta em banco, considerados como pré-bancarizados, são outro exemplo do potencial deste mercado no Brasil. Segundo o executivo, projeções do mercado de cartões pré-pagos na América Latina para 2015 colocam a participação do poder público em 59%, seguida pelos gift cards com 17%, os cartões de conveniência com 8% e folha de pagamento com 7%. Nesta mesma projeção, a posição do mercado brasileiro no continente é de 11%, abaixo apenas do México, que aparece com 25%. Estes índices não levam em conta os telefones pré-pagos, segmento no qual o Brasil é um dos maiores usuários do mundo.

No caso da população bancarizada, a aposta do mercado de pré-pagos são os viajantes internacionais e os gift cards. O CEO da e-Safetransfer, Neissan Monadjem, ressalta que Brasil ocupa a primeira posição no ranking mundial que mede o percentual dos valores movimentados pelos mercados de pré-pagos em comparação ao PIB (Produto Interno Bruto). Neste ranking, o índice do Brasil é de 2,41%, seguido por EUA (2,13%), Japão (1,16%), Reino Unido (1,45%) e França (1,19%). Segundo Monadjen, este cenário se deve ao número de telefones pré-pagos no mercado brasileiro. “Sem contabilizar os telefones, o índice brasileiro cai para 1,6%”, afirma. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário