Total de visualizações de página

domingo, 8 de maio de 2011

ÔNIBUS: parecer técnico da USP contesta edital de licitação do transporte em Rio Claro

de licitação do transporte em Rio Claro
USO DE ÔNIBUS LONGOS COM MOTOR TRASEIRO COMO PREVÊ O EDITAL DA CONCORRÊNCIA ABERTA PELA PREFEITURA É INVIÁVEL PARA RIO CLARO

JORNAL CIDADE

Prefeitura tem semana decisiva para a licitação do transporte coletivo em Rio Claro. Recurso da Rápido SP será julgado

Marcelo Lapola

Um estudo feito pela Escola de Engenharia de São Carlos da USP aponta para a impossibilidade da empresa que vencer a licitação do transporte coletivo em Rio Claro utilizar ônibus longos (13,5 metros) com motor traseiro. O uso desse tipo de veículo consta no edital da concorrência do transporte coletivo no município.

O estudo foi feito pela Fipai (Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial), órgão filiado à USP, a pedido da empresa Rápido São Paulo.

Atual operadora das linhas de ônibus em Rio Claro, a Rápido SP participa da disputa com a empresa Expresso Infinity da licitação aberta pela prefeitura.

Nesse estudo, assinado pelo professor Antônio Clóvis Pinto Ferraz, doutor em engenharia de transportes e livre-docente da USP, foi feito um levantamento detalhado, com material fotográfico inclusive, das condições de trânsito de ruas em diversos pontos do município.

"A operação com ônibus longo somente é indicada em vias com pavimento regular e em bom estado de conservação, pois a existência de irregularidades e/ou diferenças de níveis faz com que a parte inferior da carroceria se choque com a superfície de rolamento, provocando danos ao veículo e ao pavimento", explica o texto do levantamento.

Com base nessas argumentações, e na avaliação das ruas de Rio Claro, a cidade foi considerada inapta a ter em operação os ônibus longos com motor traseiro.

"No caso da cidade de Rio Claro, as seguintes características negativas, relativas à infraestrutura viária, estão presentes nas vias por onde passam os ônibus: inúmeros trechos não pavimentados em diversas linhas, existência de valetas pronunciadas em muitos cruzamentos, presença de muitas lombadas pronunciadas e diversos locais onde o pavimento tem buracos e irregularidades", aponta o parecer técnico.


TARIFA

O levantamento feito pelo professor da USP mostra ainda que, em caso de utilização de ônibus longos no município, haverá a necessidade de se aumentar a tarifa cobrada dos passageiros, também levando em conta o tempo de uso de cada ônibus exigido no edital da licitação.

"A substituição dos ônibus convencionais atuais da frota por veículos longos com plataforma baixa, motor traseiro e idade entre um e dois anos (como especificado no edital da licitação) leva a um aumento de 39,2% no custo por quilômetro e na tarifa", constata a pesquisa.


OUTRO LADO

Em resposta ao assunto, a assessoria da prefeitura afirmou à reportagem do JC que tem conhecimento desse parecer técnico da USP. Segundo a assessoria da prefeitura, antes da elaboração do edital da licitação do transporte coletivo houve um estudo, um parecer técnico para verificar a viabilidade do uso de ônibus longos.

"Coube à empresa IPK Engenharia realizar esse estudo. Frise-se, ainda, que o edital foi elaborado de acordo com as normas mais atualizadas que orientam a confecção desses procedimentos. O uso de ônibus longo com motor traseiro foi mantido no edital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário