Total de visualizações de página

terça-feira, 17 de maio de 2011

Região registra aumento no emplacamento de caminhões

O aquecimento da economia tem movimentado o setor de transportes e a venda de caminhões em São José dos Campos. Só em abril deste ano, a frota aumentou 80% em relação ao mesmo período de 2010.

Em uma concessionária em Caçapava, o modelo mais leve custa R$ 75 mil. Já os caminhões extra pesados chegam a R$ 400 mil. Custo que para muitos consumidores anda valendo a pena, principalmente para as empresas de transporte, que têm acesso mais fácil ao financiamento de veículos pesados. “O maior volume que temos de venda é o financiamento através do Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos) com dinheiro do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento). Nesse primeiro trimestre estamos experimentando uma evolução, considerando nossa linha completa, em torno de 40% em relação ao mesmo número do mesmo trimestre do ano passado”, contou diretor de uma concessionária, Sérgio Bulascoschi.


Agilidade do transporte rodoviário ajudou o aumento das vendas de caminhões em São José
O gerente de frota de uma transportadora de Jacareí acabou de negociar uma grande compra. “Nossa frota era de 110 veículos e nós adquirimos mais 20 novos. Desses 20, 12 serão exclusivo para atender empresas do Vale do Paraíba”, disse o gerente Antônio Carlos Perez.

O mercado de caminhões no Vale do Paraíba anda carregado mesmo de encomendas. Na maior cidade da região o crescimento nas vendas foi superior a 80%. Só no mês passado 67 novos caminhões entraram para a frota de São José dos Campos. Trinta a mais que em abril do ano passado.

Segundo o setor, a demanda por dois tipos de carga pode estar influenciando bastante as vendas de veículos pesados na região. “Tem um mercado forte no aquecimento da construção civil e da mineração, e do próprio transporte em si de modo geral, que é focado mais para o transporte rodoviário pela facilidade e rapidez que o transporte rodoviário propicia às entregas”, explicou a diretora do Sindicato de Transporte de Carga, Maria Isabel Corrá.

Ainda segundo a diretora as oportunidades também podem valer para autônomos, mas ela alerta para os riscos desse tipo de aquisição. Parte dos lucros se perde com o financiamento e o serviço a ser prestado precisa ser bem estudado.

Em Taubaté, o cenário é diferente. O número de novos caminhões emplacados em abril foi 30% menor que no mesmo mês no ano passado, porém, foram emplacados 15 novos ônibus, enquanto São José não emplacou nenhum.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário