Total de visualizações de página

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Rússia suspende compra da BRF

Alegando problemas sanitários, a Rússia suspendeu parte das exportações de três frigoríficos catarinenses da BRF Brasil Foods. Os produtores de suínos em Santa Catarina defendem que não existem motivos sanitários para o embargo russo e afirmam que a decisão foi causada por proteção de mercado. O assunto será discutido em uma reunião entre representantes dos Ministérios da Agricultura dos dois países marcada para terça-feira.

Especialistas acreditam que o embargo não deve durar muito tempo. O assunto deve ser resolvido em até 35 dias, na opinião do vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (Faesc), Eroni Barbieri. O presidente do Instituto Nacional da Carne Suína (INCS), Wolmir de Souza, lembrou que no segundo semestre os russos fazem estoque para atravessar o inverno, mais um motivo para solução rápida. Mas ele citou outra data limite: agosto deste ano.

Ambos concordam que o novo embargo russo não deverá ter um grande impacto aos negócios catarinenses, porque ele ocorre em um momento em que os produtores estão animados com a possibilidade de negócios com os Estados Unidos, Canadá e China. O presidente do INCS declara que é preciso esforço para firmar parcerias com estes países e diversificar a clientela. Desta maneira o Brasil deixaria de ser refém de um comprador tão poderoso como a Rússia, principal mercado de destino as exportações de carne suína do país e de SC. Para Souza, as parceria com outros mercados forçaria o governo russo a mudar o seu comportamento em relação às medidas restritivas, com o risco de perder o Estado como fornecedor.


Do volume total de exportações de carne suína pelo Brasil em 2010, 234 mil toneladas tiveram como destino a Rússia — 22,3 mil toneladas provenientes de frigoríficos catarinenses. O vice-presidente da Faesc explicou que o embargo é uma resposta do governo russo à pressão de produtores locais do país, mas afirma que o problema sempre é contornado. Ele disse que já perdeu a conta de quantas vezes essa situação aconteceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário