Total de visualizações de página

sábado, 28 de maio de 2011

Siegmann garante que dirigentes de futebol nunca usaram cartão corporativo Vice-presidente do Inter frisou que não há viés político nas revelações do conselho fiscal

O vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Siegmann, buscou uma posição neutra sobre o debate dos cartões corporativos do clube, mas fez questão de enfatizar que o departamento de futebol jamais fez mau uso do recurso. Ele frisou que a discussão é importante para garantir a honestidade nas contas coloradas e frisou que não há qualquer conotação política no caso.

Siegmann salientou que não acompanha diretamente a parte financeira do clube, pois seu foco é a parte esportiva. "O que posso responder é que, no futebol, havia um cartão e tínhamos e temos absoluto controle sobre ele", afirmou. "O titular era um executivo do futebol, e apenas para pagar as contas do futebol", argumentou o dirigente. 

"Na minha passagem anterior pela vice-presidência eu nunca tive cartão corporativo, assim como o Giovanni jamais teve", sublinhou Siegmann. "(O cartão) nunca ficou na mão de qualquer dirigente do futebol. Nem Fernando Carvalho, nem eu, nem ninguém. O que ocorre é que hoje ninguém mais carrega dinheiro e isso precisa ser feito nas viagens", explicou o vice-presidente.

Apesar de não tratar diretamente da questão, Siegmann destacou a importância de esclarecer os fatos para a imagem e saúde administrativa do Inter. "Vai ser interessante, a medida que se estabeleça e se amplie a discussão, será esclarecedor", avaliou o dirigente, acrescentando que não há qualquer tentativa de minar politicamente qualquer grupo.

"Não há na questão das contas qualquer viés político. A questão está sendo discutida do ponto de vista técnico, até pelo fato do presidente do conselho fiscal ter apoiado o outro lado nas eleições (Pedro Affatato) e não o Giovanni", frisou Siegmann. "Ele tem toda a isenção e conhecimento de causa para encaminhar estes problemas. Fico muito tranquilo com as contas que foram feitas e tomara que todos possam esclarecer as dúvidas que eventualmente tenham surgido", ponderou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário