Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de junho de 2011

AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO No mundo globalizado e competitivo em que vivemos, surgem novas necessidades tanto para o consumidor como para as empresas, saber quem é seu público-alvo, trabalhar com estratégias criativas e inovadoras e manter este vinculo a longo prazo

É constante o emprego das ferramentas do Marketing pessoal utilizada por grande parte dos profissionais mesmo que muitas vezes elas passem despercebidas pela maioria das pessoas.
O presente estudo objetiva mostrar e comprovar a aplicação das ferramentas do Marketing Pessoal utilizadas pelos empresários nas empresas.
Identificar as principais ferramentas do Marketing pessoal utilizada pelos empresários no dia-a-dia.
Buscar teoria relacionada ao objetivo geral;
Verificar possíveis falhas nas Ferramentas;
Estudar os Empresários;
Estudar as Ferramentas do Marketing Pessoal;
Trabalhar com Benchmarketing, mostrando as melhores práticas na área de Marketing Pessoal;
2 METODOLOGIA DA PESQUISA
Foram aplicadas metodologias de pesquisa Bibliográficas e reuniões com a entre os dois pos-graduando, assim como conversas com empresários do ramo e professores de Marketing.
Apud Beuren (2004, p. 87) "Explica que a pesquisa bibliográfica é desenvolvida mediante material já elaborado, principalmente livros e artigos científicos".
A pesquisa bibliográfica é uma forma de complementar o trabalho, pois nos fornece informações através de livros e artigos, que já tiveram um grau elevado de pesquisas, podendo assim agregar valor ao resultado final do trabalho pesquisado.
Segundo Gil (2002 p.45) "A principal vantagem da pesquisa bibliográfica reside no fato de permitir ao investigador a cobertura de uma gama de fenômenos muito mais ampla do que aquela que poderia pesquisar diretamente".
Para falarmos de Marketing de maneira genérica, iniciamos o entendimento de que é uma ferramenta da administração que compreende a relação de troca entre duas partes. A maioria das pessoas tem a visão de que Marketing é propaganda, se engana quem pensa que Marketing é só isso. Ele vai além daquilo que se vê, está mais ligado àquilo que se sente, tem relação direta com o emocional.
Kotler define o Marketing como "o processo social e gerencial através do qual, indivíduos e grupos obtêm aquilo de que necessitam e que desejam, criando e trocando produtos e valores com outros" (1997, p. 3).
O bom profissional de Marketing deve: Compreender, estudar e projetar um bem ou serviço que satisfaça as necessidades dos clientes permanentemente em uma escala de crescimento contínua de forma que o cliente se sinta satisfeito e passe a identificar um valor neste produto. Outra tarefa importante é torná-lo disponível através de um sistema de distribuição.
Os conceitos Centrais de marketing envolvem necessidades, desejos, demanda, valor, satisfação, troca, relacionamento e mercados.
Necessidade é um estado de carência. Voltado ao presente contexto, necessidade pode ser um bem ou serviço que o consumidor precisa, mesmo que ele nem exista ainda, neste caso temos uma demanda Latente. As necessidades podem ser: humanas, físicas, sociais e individuais. Elas podem ser satisfeitas de várias maneiras, por exemplo, a necessidade de comer pode ser suprida por qualquer comida, entretanto, os desejos são específicos de cada consumidor. Considerando o exemplo acima, os desejos definem particularidades da comida. Exemplo: Podemos ter a necessidade de comer, entretanto queremos um restaurante famoso, ou somente comer uma pizza, ou em um lugar onde tenham um bom atendimento, ou mesmo a comida feita pela mãe. Os desejos são vontades, são intimamente criados, individuais e únicos. Eles são definidos pelo consumidor após a descoberta da necessidade.
3 MARKETING PESSOAL
Esta é uma especificidade da administração de suma importância, pois é ela que determina o arsenal inventivo e zeloso de cada individuo, no mundo individualista ao qual vivemos, que é regido por estereotipos e modelos de comportamentos, saber cuidar de sua imagem e dela adquirir beneficios faz- se essencial, tanto em nivel pessoal como organizacional.
A palavra chave na conceituação do Marketing Pessoal é "visibilidade". Todo profissional espera ser reconhecido, ter sucesso, e conquistar aquilo que nem um outro conseguiu, alcançar o ponto mais alto, o auge, a ápice. Aquela velho provérbio, "quem não é visto não é lembrado", também vale para os profissionais que buscam reconhecimento e valor. O Marketing pessoal trabalha na preparação das estratégias de auto-promoção, imagem e construção da carreira profissional através da comunicação dos atributos do profissional.
Marketing de maneira genérica é uma ferramenta da administração que compreende a relação de troca entre duas partes. A maioria das pessoas tem a visão de que Marketing é propaganda, se engana quem pensa que Marketing é só isso. Ele vai além daquilo que se vê, está mais ligado àquilo que se sente, tem relação direta com o emocional.
Kotler define o Marketing como "o processo social e gerencial através do qual, indivíduos e grupos obtêm aquilo de que necessitam e que desejam, criando e trocando produtos e valores com outros" (1997, p. 3).
O bom profissional de Marketing deve: Compreender, estudar e projetar um bem ou serviço que satisfaça as necessidades dos clientes permanentemente em uma escala de crescimento contínua de forma que o cliente se sinta satisfeito e passe a identificar um valor neste produto. Outra tarefa importante é torná-lo disponível através de um sistema de distribuição.
Os conceitos Centrais de marketing envolvem necessidades, desejos, demanda, valor, satisfação, troca, relacionamento e mercados.
Necessidade é um estado de carência. Voltado ao presente contexto, necessidade pode ser um bem ou serviço que o consumidor precisa, mesmo que ele nem exista ainda, neste caso temos uma demanda Latente. As necessidades podem ser: humanas, físicas, sociais e individuais. Elas podem ser satisfeitas de várias maneiras, por exemplo, a necessidade de comer pode ser suprida por qualquer comida, entretanto, os desejos são específicos de cada consumidor. Considerando o exemplo acima, os desejos definem particularidades da comida. Exemplo: Podemos ter a necessidade de comer, entretanto queremos um restaurante famoso, ou somente comer uma pizza, ou em um lugar onde tenham um bom atendimento, ou mesmo a comida feita pela mãe. Os desejos são vontades, são intimamente criados, individuais e únicos. Eles são definidos pelo consumidor após a descoberta da necessidade.
Demanda é quando o consumidor percebe que determinado bem ou serviço pode satisfazer seus desejos e necessidades, suportados pela capacidade de comprá-los, o que faz com que ele deseje e busque aquela opção. Em outras palavras, ocorre uma troca mutua que é a oferta dos bens ou serviços das empresas pela satisfação dos desejos e carências dos consumidores.
Segundo Kotler "o valor para o cliente é a diferença entre os valores que o cliente ganha comprando e usando um produto e os custos para obter esse produto" (1997, p.4) Ou seja, valor para o cliente é a percepção entre a relação custo vs beneficio.
Um cliente satisfeito, além de tornar a compra rotineira, é um grande propagador de uma boa imagem do produto, porém, um cliente insatisfeito poderá fazer o inverso com muito mais persuasão.
A satisfação do cliente se dá através do atendimento efetivo de seus desejos e necessidades mais intimas, além das suas expectativas em relação a um produto ou serviço. Surpreendê-lo com um bom atendimento ou um produto de qualidade se torna um diferencial para a empresa com também para o profissional.
O relacionamento com o cliente é tudo que ocorre antes, durante e depois da relação de troca. O pós-vendas, por exemplo, muito mencionado pelos profissionais de marketing é uma forma clara de relacionamento, momento ao qual ocorre a vitalização do vinculo entre ambas as partes, contribuindo para a perpetuação desta relação de troca. Onde faz-se imprescindível a participação em eventos e locais onde o consumidor está presente.
As filosofias de administração de Marketing dão suporte para orientar o esforço do Marketing e a forma com a qual as empresas estarão trabalhando o seu relacionamento com seus clientes, é a maneira que elas tratam a relação de troca. Ao todos são cinco filosofias: a de produção, de produto, venda, marketing e marketing social, estás por sua vez serão descritas detalhadamente durante o estudo
A filosofia de produção prega que consumidores preferem produtos acessíveis em quantidade e preço, ou seja, quanto maior a disponibilidade de produtos ao menor preço possível, maior a demanda. A empresa que optar por esta filosofia deve aumentar sua produção e através do aumento, conseguir reduzir custos. Também deve considerar que quando existir uma demanda excessiva, poderá utilizar este conceito para maximizar lucros, já que o aumento da produção poderá reverter à posição de demanda excessiva para uma demanda regular sem a perda da produtividade da força de vendas.
A filosofia (conceito) de produto defende que os clientes estarão dispostos a comprar os produtos que oferecem qualidade e desempenho superior, com aspectos inovadores. Logo, as empresas que optam por esta filosofia devem desenvolver pesquisas e projetos em torno da construção de produtos inovadores, com qualidade e desempenho superior aos concorrentes. Porém as organizações devem ficar atentas, pois, o foco no produto pode enganar, onde muitas vezes, pensando no desempenho, qualidade e inovação do produto, as empresas esquecem do foco nas necessidades dos clientes. Exemplo: Um fabricante de motocicletas não deve esquecer que seu foco deve ser o transporte, pois diante da globalização de hoje, o cliente tem acesso a vários outros meios de condução, então, não adianta produzir uma super motocicleta, inovadora, que talvez não tenha demanda devido a forte presença dos carros que por sua vez também servem para o transporte. Este fenômeno é chamado de miopia de Marketing.
A maioria das empresas emprega o conceito de venda, que defende que a venda não atingirá o seu máximo se a empresa não despender uma grande força de vendas e promoção de seus produtos, ou seja, nenhum produto terá vendido suficientemente a menos que a empresa promova e ainda force a venda, no sentido de trabalhar com rigor os argumentos para abordagem e concretização da mesma.
Este conceito despreza o relacionamento com o cliente, pois pensa em curto prazo, ou seja, acredita que mesmo o consumidor insatisfeito, passado algum tempo esquecerá e com uma boa promoção do produto e uma força de vendas competente irá comprar novamente. Grandes riscos são enfrentados neste conceito, que geralmente é utilizado para produtos com demanda inexistente. Também é utilizado em empresas com grandes estoques parados, sendo que algumas empresas poderão produzir além da demanda e forçar a venda através de promoções e abordagens baseando-se em seus estoques.
Para Cobra, "... no passado vizualizava-se o lucro atraves da venda, e esta utilizava como meio, uma integraçao entre venda e promoçao, e o foco era o produto. Hoje o foco é o marketing integrado e o fim é a otençao do lucro com a satisfaçao do cliente..." (p. 34, 2007)
O conceito de Marketing pensa a longo prazo, em relacionamentos e satisfação do cliente, sustenta que produtos que satisfazem efetivamente as necessidades e os desejos dos clientes do mercado-alvo, terão melhor desempenho, construindo relacionamentos contínuos e atingindo os objetivos da empresa. Uma organização que pratica o conceito de Marketing deve ser centrada no mercado-alvo e orientada para o cliente.
Muitas vezes o conceito de Marketing é confundido com o conceito de venda, porém a diferença é que o conceito de venda inicia-se com a produção, e depois se utiliza às técnicas de promoção e venda para vender o que foi produzido, mesmo que seu produto não satisfaça efetivamente as necessidades e desejos dos consumidores e despreza o relacionamento em longo prazo. Já o conceito de marketing inicia identificando as necessidades e desejos dos consumidores do mercado-alvo pré-definido e depois produz produtos que satisfaçam os consumidores a fim de garantir relacionamentos de longo prazo.
A filosofia de marketing social é parecida com a filosofia tradicional de marketing, porém, além de identificar e satisfazer necessidades e desejos dos clientes do mercado-alvo, ela se preocupa com o bem-estar dos seus clientes, e da sociedade em que eles vivem. O conceito de marketing social ainda prega que um bom relacionamento em longo prazo deve se preocupar com o coletivo e o equilibrio entre os lucros, os desejos do consumidor e os interesses da sociedade. Também que, prega que os consumidores estarão satisfeitos se perceberem que há esta intensão agregada a um produto ou serviço. Uma empresa não deve somente se preocupar com seus lucros como também ter clareza sobre qual é seu papel social e no que pode se mobilizar para colaborar com a sociedade que as criou.
A administração de marketing tem a função de planejar, organizar, executar e acompanhar os resultados das estratégias utilizadas pelos profissionais de marketing visando atingir as metas corporativas.
Para Cobra, "... nenhuma empresa está disposta a investir em marketing, se nao vizualizar um retorno compensador". (p. 33, 2007)
O papel da administração da demanda é de controlar estes níveis e até mesmo através das ferramentas de marketing, modificar os níveis de demanda para otimizar seus esforços de marketing. Um exemplo bem simples é quando uma empresa pequena que não possui capacidade de produção para atender toda a demanda, utiliza a ferramenta preço para controlar esta demanda e otimizar seus esforços de promoção de seus produtos.
Um planejamento estratégico visa desenhar o futuro, e se preparar para possíveis mudanças no ambiente em que a empresa atua, pode diagnosticar possíveis falhas e mostrar o caminho mais seguro para seguir. Além disso, um plano formal pode surgir como um guia para toda corporação, de maneira que todos possam trabalhar alinhados, e baseados nos mesmos valores, objetivos e metas.
As vantagens de um planejamento estratégico é que todos os colaboradores terão uma orientação formal, pois o planejamento define além de estratégias, valores, objetivos e metas, os quais são conhecidos por todos e aplicados no dia-a-dia. Podemos dizer também que uma empresa sem planejamento não sabe onde quer chegar, ou não tem objetivos e pode não estar monitorando o mundo a sua volta, podendo perder dinheiro, clientes e oportunidades. A estratégia visa mostrar a maneira como a empresa deve agir para atingir seus objetivos e detalhar as atividades necessárias para que isso aconteça.
Uma empresa sólida e com planejamento a longo prazo, precisa com certeza de uma estratégia de crescimento, pois além de trazer lucros, hoje em dia esse crescimento passa a ser uma exigência do mercado. Os consumidores se sentem satisfeitos em comprar produtos de empresas que estão crescendo, inovando e recriando para satisfazer as necessidades dos consumidores.
Estratégias corporativas: são aplicadas para toda organização, por exemplo, em que mercados atuar, exclusão de mercados não lucrativos, e a destinação de recursos financeiros.
Estratégias de negócio: Estas estão no nível do negócio, concentram estratégias para combater a concorrência, posicionamento de mercado, estratégias de preços, promoções, ofertas, negociações com clientes, mix de produtos e força de vendas.
Estratégia Funcional: Neste nível de estratégia utilizam-se os departamentos como suporte a atividade principal da empresa, concentram esforços de maneira ordenada e direcionada, seu objetivo principal é apoiar as estratégias de negócio e corporativa.
Segmentar na sua definição básica é dividir o mercado em partes de acordo com as características sociais, culturais, demográficas, psicográficas e geográficas. O objetivo da segmentação de mercado é focar grupos com características semelhantes, acreditando-se que estes consumidores potenciais poderão ter comportamentos de compra semelhantes. Essa divisão se torna importante para que a empresa defina seu posicionamento e concentre seus esforços no público-alvo. Através da segmentação podemos verificar os setores mais favoráveis a determinados produtos, podemos também aperfeiçoar os serviços prestados e conhecer melhor nosso cliente, além da grande vantagem de poder quantificar o mercado. Uma boa segmentação se faz através de pesquisas de marketing bem fundamentadas e que produzam as melhores informações sobre o mercado. Lembrando que conhecer o cliente para o profissional de marketing é o maior desafio e fator crítico de sucesso. Abaixo alguns tipos de segmentação de mercados:
Segmentação geográfica: Dividir por região, país ou estado;
Segmentação demográfica: Idade, sexo, tamanho da família, ciclo de vida, renda, ocupação, nível de instrução, religião, raça, nacionalidade;
Segmentação Psicográfica: Classe social (miseráveis, pobres, classe operária, classe média, classe média alta, classe alta) personalidade, estilo de vida;
Segmentação Comportamental: Ocasião de compra, benefícios, status do usuário, taxa de uso, e atitude com relação ao produto.
Segmentação de mercados Organizacionais: Separação de mercados consumidores de mercados industriais;
Os clientes possuem características, gostos e escolhas diferentes no momento da decisão de compra. Então as empresas nunca conseguirão atingir todos os mercados e vender para todos os consumidores. Através de pesquisas de marketing, as empresas podem segmentar o mercado e posicionar seu produto de acordo com os gostos e características do público-alvo, maximizando a produtividade da marca em relação ao mercado escolhido. Ou seja, o público-alvo é aquele para quem a empresa consegue oferecer o melhor produto ou serviço, e que esse esteja dentro do que o mercado-alvo deseja. Assim a melhor escolha depende da estratégia de negócio da empresa, pode ser um público que abrange o maior número de pessoas ou um número menor de consumidores que possam ou estejam dispostos a pagar mais pela exclusividade ou status.
Quando se fala em posicionamento, pode ser genérico, ou abranger vários mercados com um mesmo produto ou serviço, o que talvez não seja um bom negócio, pois muitas vezes o consumidor ou cliente não tem a percepção de tudo que a empresa oferece, além disso, se a empresa deixar a desejar em algum segmento de mercado pode comprometer a imagem em todo o restante.
"Posicionamento de mercado significa conseguir que um produto ocupe um lugar claro, distinto e desejável na mente dos consumidores-alvo em relação aos produtos concorrentes."(KOTLER, 1999, p. 30)
Uma empresa que tem um posicionamento firme possivelmente obterá sucesso em longo prazo, considerando a fundamentação no composto clássico de marketing – Preço, produto, ponto de venda e promoção. Através do posicionamento a empresa cria um valor para o cliente, sendo esse valor um diferencial no momento da decisão de compra.
O estudo do comportamento do consumidor busca descobrir como e o que afeta as decisões de compra dos consumidores em geral. As empresas precisam conhecer bem seus clientes, portanto, entender o comportamento do consumidor não é uma tarefa fácil, entretanto, é essencial na atividade comercial, já que são os consumidores que mantém uma empresa aberta. As decisões dos consumidores podem ser modificadas através de um trabalho específico em torno das ferramentas do marketing, que são, preço, produto, promoção e distribuição.
"O comportamento do consumidor abrange o estudo dos processos envolvidos quando indivíduos ou grupos selecionam, compram, usam ou dispõem de produtos, serviços ou experiências para satisfazer necessidades e desejos." (SOLOMON, 2002, p. 24).
Segundo Solomon, "o consumo compulsivo refere-se ao comprar repetitivo, muitas vezes excessivo, como um antídoto para a tensão, ansiedade, depressão ou tédios. Os compulsivos recorrem às compras de modo muito semelhante à forma como dependentes químicos recorrem às drogas e ao álcool" (2002 p. 38).
A decisão de compra do consumidor geralmente é tomada baseada em alguns fatores, entre eles alguns que o profissional de marketing não consegue controlar, entretanto devem conhecer bem para poder prever quais são as atitudes que se baseiam nestes fatores.
Os fatores culturais são os responsáveis pelo molde de comportamento do consumidor de uma determinada sociedade. São eles que determinam quais atitudes uma pessoa deverá tomar e todos os outros aspectos do indivíduo inerentes ao comportamento do consumidor. Podemos citar entre eles, a cultura, subcultura e a classe social.
Podemos considerar que os fatores sociais representam os influenciadores da decisão de compra, eles são os grupos sociais e a família. A maioria dos consumidores são influenciados por terceiros no momento da decisão de compra, ou em uma pré-seleção do que o consumidor vai comprar. Essa influência se dá através da família ou até mesmo do grupo social que o consumidor convive.
As influencias dos fatores pessoais são a idade, estudos, trabalho, situação econômica, estilo de vida entre outros. Estes fatores são responsáveis pelas influências que podem surgir de acordo com características particulares de cada consumidor sem a intervenção de terceiros. Por exemplo, um estudante pode querer adquirir um notebook porque necessita na faculdade.
Os principais fatores psicológicos são motivação, percepção, aprendizagem, crenças e atitudes. Estes fatores também influenciam as decisões de compra.
Como o próprio nome já diz é o motivo da ação. Considerando no campo de marketing, motivação é o motivo que leva o consumidor a comprar determinado produto. Podemos dizer que motivação é o impulso que o cliente pode ter no momento da decisão de compra. Uma pessoa motivada está prestes a suprir sua necessidade, ela enxerga isso porque está motivada a comprar. Tem a ver com as expectativas do cliente. Quando se tem uma expectativa de conseguir atender aos desejos e necessidades, o consumidor se sente motivado a comprar.
Percepção é como o ser humano vê o mundo a sua volta, ou seja como ele percebe os vários estímulos neste mundo. Baseado nestes valores ele pode determinar se o bem ou serviço satisfaz seus desejos e necessidades. O valor percebido pelo cliente pode ser positivo ou negativo, dependendo do que a empresa construiu ao longo do tempo. Cada consumidor/cliente tem sua percepção, entretanto, através do marketing a empresa tem condições de mudar a percepção do cliente através do posicionamento, segmentação de mercado e definição de mercados-alvo.
É o processo pelo qual os consumidores aprendem e mudam seu comportamento através das experiências. Podemos aprender mesmo quando não se damos conta disto. A aprendizagem se dá através dos sentidos humanos, por exemplo, quando experimentamos um produto com um sabor diferente e bom, associamos esta característica à marca do produto consumido, ou quando você ouve uma propaganda no rádio com um slogan marcante e após algum tempo começamos a repetir sem querer aquela frase ou saímos imitando um artista da propaganda que passa freqüentemente na televisão.
O conceito behaviorista de aprendizagem é baseado em estímulos e respostas, no qual o consumidor responde aos estímulos ou eventos percebidos a partir do mundo externo, dessa forma, o consumidor é comparado a uma caixa, onde entra um estímulo que é processado e se traduz em resposta.
Crença é o que se acredita, por meio da aprendizagem podemos descrever algo como imaginamos que seja, um exemplo seria um produto novo que é lançado no mercado, podemos ter crenças que estimulem a comprar ou que nos desestimule. As pessoas podem formar crenças sobre vários aspectos, sobre produtos, serviços, empresas e mercado. Talvez uma pessoa acredite que se o preço é mais caro é porque o produto é melhor, ou que embalagens maiores são mais econômicas e assim os profissionais de marketing devem ficar atentos quanto ás crenças em relação aos itens mencionados acima.
As atitudes são desenvolvidas por meio dos processos de aprendizagem. Também são movidas pela motivação de cada indivíduo, ou seja, o motivo que leva a ação, pois cada pessoa sente-se motivada a agir de acordo com sua cultura e experiências, podendo decidir pela compra a partir de suas crenças, o que por sua vez motivará suas atitudes de compra. Nós temos várias atitudes e podemos não saber como desenvolvemos e o que nos motivou a agir desta maneira, entretanto, o que nos leva a agir desta ou de outra forma são nossas experiências e tudo aquilo que passamos ao longo de nossa vida.
Neste capitulo serão abordados os principais conceitos, ferramentas e métodos utilizados pelos profissionais de Marketing, comparando as ferramentas de Marketing de Produto, de empresa e Pessoal.
3.1 Conceituação de Marketing Pessoal
Comparando que o Marketing genérico é conceituado como a relação de troca entre duas partes, podemos dizer que esta frase também se torna verdadeira no Marketing Pessoal, pois também compreende a relação de troca entre duas partes: Empresa x Colaborador.
Segundo Lígida, "...pode-se dizer que toda estratégia que leve a imagem do profissional (produto, pessoa) até o consumidor final, o cliente que no caso do produto pessoa é o patrão, amigos, colegas de trabalho, esposa, etc, é Marketing Pessoal." (2002 p. 21).
Também podemos conceituar o Maketing pessoal como uma ferramenta de promoção do individuo e alavancagem da carreira profissional no mercado de trabalho.
Marketing Pessoal pode ser definido também como uma estratégia individual para atrair e desenvolver contatos e relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e profissional, bem como para dar visibilidade a características, habilidades e competências relevantes na perspectiva da aceitação e do reconhecimento por parte de outros.
3.2 Composto de Marketing Pessoal
O estudo do composto de marketing e a inter-relação imediata com as ações de marketing pessoal são necessárias para determinar a importância do networking. O composto de marketing é formado por quatro variáveis: produto, preço, praça e promoção. Desse modo, podem-se buscar fatos que relacionam diretamente as características pessoais com cada respectivo elemento do composto de marketing.
3.2.1 Elemento Produto (Conteúdo, Embalagem)
O elemento produto do composto de marketing é responsável pelas características e benefícios que determinado produto ou serviço oferece ao mercado.
O marketing de produtos estuda o lançamento de novos produtos tangíveis, a análise de produtos existentes, o ciclo de vida do produto.
Segundo Kotler (2000), serviço é qualquer ato ou desempenho, essencialmente, intangível, que uma parte pode oferecer a outra e que não resulta na propriedade de nada. A execução de um serviço pode estar, ou não, ligada a um produto concreto.
Segundo Kotler (2000), os serviços possuem quatro características principais, sendo elas:
Intangibilidade: os serviços são intangíveis. Ao contrário de produtos físicos, eles não podem ser vistos, tocados, ouvidos, cheirados ou provados antes de serem adquiridos.Inseparabilidade: de modo geral, os serviços são produzidos e consumidos simultaneamente. Além disso, a pessoa encarregada de prestar o serviço é parte dele.Variabilidade: pelo fato de dependerem de quem os fornece, além de onde e quando são fornecidos, os serviços são altamente variáveis.Perecebilidade: serviços não podem ser estocados.
3.2.2 Preço
O elemento preço do composto de marketing, ao longo da história foi determinado por meio da negociação entre compradores e vendedores. O preço é o elemento do composto de marketing que produz receita; os demais produzem custos.
Segundo Churchill (2000), "o preço é quantidade de dinheiro, bens ou serviços que deve ser dada para se adquirir a propriedade ou uso de um produto ou serviço".
3.2.3 Praça
O elemento praça do composto de marketing, basicamente, tem a função do gerenciamento dos canais de marketing e da escolha do lugar onde a organização venderá o seu produto ou serviço.
Kotler (2000) cita que os canais de marketing "são conjuntos de organizações interdependentes envolvidas no processo de disponibilização de um produto ou serviço para uso ou consumo".
3.2.4 Promoção (network)
O elemento promoção do composto de marketing, segundo Kotler (2000), é composto pelo mix de comunicação de marketing. São eles: propaganda, promoção de vendas, relações públicas e publicidade, vendas pessoais e marketing direto.
Kotler define propaganda, "como qualquer forma paga de apresentação e promoção não pessoais de idéias, mercadorias ou serviços por um anunciante identificado" (KOTLER, 2000, p.570)
Apesar de, na última década, ser amplamente difundida a venda da marca de pessoas nos veículos de comunicação de massa, sabe-se que a confiabilidade passada por mensagens publicitárias, que não são de origem em fatos reais e de notícias, são, normalmente, vistas com desconfiança pelo público consumidor.
Segundo Kotler, "promoção de vendas sugere uma variedade de incentivos de curto prazo para encorajar a experimentação ou a compra de um produto ou serviço." (2000, p.570)
Serão descritos, a seguir, os outros dois elementos do mix de comunicação de marketing que estão mais orientados às ações de marketing pessoal:Relações públicas (ou publicidade) e venda pessoal.
3.3 Ciclo de Vida Profissional
Quando contratamos um profissional, qual a expectativa em relação ao seu currículum? A vida profissional dentro da empresa tem um ciclo, os colaboradores são contratados, assumem responsabilidades, crescem, ganham novas oportunidades, estudam, até o dia em que se afastam por algum motivo. Aposentadoria, troca de emprego, demissão, afastamento por doença, entre outros. Este ciclo chamamos de ciclo de vida profissional e descreve todas as fases que o profissional segue em sua carreira.
3.4 Comunicação
O que é comunicação em Marketing Pessoal? Para vender um produto necessitamos conhecê-lo muito bem e apresentar ao nosso cliente todos os benefícios proporcionados por ele. Assim como na comunicação do produto, no marketing pessoal também devemos comunicar os benefícios de se contratar o profissional, um exemplo clássico da comunicação pessoal é o Currículum. Ele pode ser utilizado como uma ferramenta de comunicação. Ao invés de descrever as empresas onde trabalhou, descrever as conquistas nas empresas onde trabalhou. Ao invés de descrever os cursos e palestras, descrever aquilo que realmente o profissional domina e onde aquiriu aqueles conhecimentos. Essa é uma ferramenta simples e somente um exemplo de comunicação profissional, existem muitas outras, como livros, blogs, participação em eventos, entrevistas e relacionamentos pessoais em geral.
3.5 Metas
Todos os profissionais têm sonhos, mas sonhos por si só não se realizam, é parte inicial e fundamental escrevê-los, isso chama- se metas. Estas devem conter descrição e data, ser visivelmente exposta para que se possa observá-la todos os dias e se auto- instigar para cumpri-las.
3.6 Network (Rede de contatos)
O mercado de trabalho está mudando muito rapidamente. Nas últimas duas décadas, a aceleração do processo de globalização tem alterado em alta velocidade o cenário enfrentado pelas empresas e pelas pessoas. Mais competitivas entre si em termos mundiais, as organizações são forçadas a tornar-se mais enxutas e cada vez mais exigentes em relação ao desempenho de sua equipe de profissionais. Elas precisam de resultados efetivos e rápidos para permanecer em condições de competir, crescer e assegurar a longevidade do negócio.
O mercado de trabalho está realmente muito mais competitivo, exigente e excludente neste início de século XXI. Não basta ser competente, é fundamental que o profissional saiba manter suas condições de empregabilidade. Minarelli (1995) apresenta os seis pilares que sustentam a carreira de um profissional: Adequação vocacional, competência profissional, idoneidade, saúde física e mental, reserva financeira e networking (relacionamentos).
4 CONCLUSÃO
Assim como uma empresa verticalizada tem mais chances de sucesso por ser especialista em seu ramo de atividade, o profissional precisa ter um foco também, existem médicos especialistas em coração, existem administradores especializados em Administração Rural, Designers que desenham móveis, advogados criminais, engenheiros que trabalham com usinas hidrelétricas, entre outros exemplos. Esses profissionais especialistas têm mais chances de terem sucesso que outros sem especialidades. Além disso, o valor do serviço de um profissional especialista é geralmente maior que um generalista.
Cada profissional deve planejar sua carreira de maneira seqüencial e objetiva, traçando metas a curto e longo prazo, levando em consideração os recursos disponíveis, os investimentos a serem feitos, as barreiras que terão que ser superadas, os desafios da profissão e aonde se quer chegar. Falamos do Planejamento, mas podemos adaptar todas as ferramentas do marketing na carreira profissional, preço, produto, praça, promoção, comunicação, imagem, propaganda, merchandising, pesquisa e network. Propaganda por exemplo, não é exclusividade de produto, você pode ser criativo e fazer a sua própria propaganda na empresa onde trabalha sem ser aquele profissional que fica se exibindo. Quando estiver conversando com os colegas nos corredores contar sutilmente sobre conquistas dentro da empresa, o que fez para chegar onde está atualmente, quais foram as principais habilidades que levaram a essa conquista. Essa propaganda vai melhorar a sua imagem internamente junto a equipe, e conseqüentemente junto ao seu superior também. Outro Exemplo é a comunicação: Estar sempre bem apresentado, falando corretamente. Escrever e-mails e documentos sem erros e com uma boa concordância. Conhecer pessoas e a fazer contatos, e quem sabe amigos. Ser paciente, honesto, correto, enfim, utilizar da melhor forma possível tudo o que pode para se promover, mas "seja assim", não apenas demonstre algo que não é. O marketing pessoal não é uma decisão de projeção de uma imagem que se toma num instante específico da carreira do profissional. Antes disso, é um conjunto de ações que se deve incorporar ao dia a dia de todo profissional, acrescentando esse procedimento à suas qualificações. Com essa atitude, os profissionais poderão obter maiores resultados em sua profissão.
ABSTRACT
THE MAIN TOOLS OF MARKETING FOR PERSONAL employed MARKET
In the globalized and competitive world in which we live, there are new needs for both consumers and businesses, knowing who your target audience, work with creative and innovative strategies and maintain this bond long-term procedures are intrinsic to this process mutual exchange. From the perspective of personal marketing is the keyword visibility, recognition and success we all desire, so it needs to be planning and setting goals in all fields of human life, such as: professional, social and emotional development. The marketing staff is in our daily lives and the most extraordinary about this is that many people use this strategy without even knowing (since there are others that dominate this area of ​​knowledge and the conduct engaged in search for their professional ascent), and gradually will thus enabling the construction of an image, a favorable image for itself, carried out the preparatory work of self-promotion strategies in pursuit of solidifying a successful career. The marketing folks and their allies are powerful tools for success and becomes extremely important within the social and professional relationships, not only do realize the dream job, the establishment of profitable trading, as a wonderful life together, a social circle stable as an image and self-image that suggests its objectives and qualities (for image, in this context refers to principles, nature and character).

Nenhum comentário:

Postar um comentário