Total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Bolsa: Três em cada quatro empresas têm programas... (ATUALIZADA)

Lisboa, 21 jun (Lusa) - Três em cada quatro empresas cotadas na bolsa em Portugal têm programas de atração e de retenção de talentos, refere um estudo hoje divulgado.

De acordo com o relatório de 2010, elaborado a partir de um inquérito efetuado pela KPMG - Consultores de Gestão, em colaboração com a Euronext Lisboa, das empresas inquiridas cotadas na bolsa em Portugal, 75 por cento responderam que têm programas de atração e de retenção de talentos, dos quais a medida mais referida por 90 por cento das empresas são os programas de formação avançada.

O estudo "Riscos e Oportunidades do Desenvolvimento Sustentável", surge no seguimento do que foi desenvolvido em 2008 e tem a ver com o impacto das questões éticas, económicas, sociais e ambientais no modelo de gestão das empresas cotadas.

À semelhança do que se verificou no último relatório apresentado, todos os assuntos relacionados com o conceito sustentável foram considerados importantes por 93 por cento das 24 empresas que participaram no estudo.

Assim, cerca de 75 por cento das empresas afirmaram ter "uma estratégia de sustentabilidade", contra 63 por cento que disseram incluir apenas os temas da sustentabilidade nos seus objetivos de negócios.

"As principais dificuldades na implementação de uma estratégia de sustentabilidade continuam a ser a gestão fragmentada dos temas da sustentabilidade, a dispersão geográfica e a diversificação dos negócios", bem como a necessidade adicional de recursos humanos, refere o relatório.

No âmbito da governança, 67 por cento dos participantes refere que existe um administrador com o pelouro da sustentabilidade.

Mais de metade das empresas (54 por cento) afirma que a comissão executiva é o órgão dentro da empresa que assume a responsabilidade pela sustentabilidade.

Em relação ao relatório de 2008 registou-se um aumento do reconhecimento das empresas como "entidades impulsionadoras" no combate às alterações climáticas.

Por sua vez, 83 por cento das empresas cotadas dizem ter um modelo de risco que inclui temas relacionados com a sustentabilidade.

O tipo de risco para o negócio mais vezes mencionado pelas empresas no âmbito da sustentabilidade tem a ver com a reputação e a imagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário