Total de visualizações de página

sábado, 4 de junho de 2011

EDP é líder mundial na sustentabilidade

São excelentes notícias para Portugal, para as empresas portuguesas e para a sustentabilidade em língua portuguesa. A EDP foi nomeada, na quinta-feira, a líder mundial nos índices Dow Jones de Sustentabilidade, no sector de utilities.
É a primeira vez que uma empresa portuguesa consegue ser líder deste prestigiado índice de sustentabilidade, comunicou a eléctrica nacional à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
O índice de sustentabilidade da Dow Jones avalia o desempenho das empresas cotadas na Bolsa de Nova Iorque tendo em conta níveis de sustentabilidade e é considerado uma referência por analistas e investidores.
A elaboração do ranking ficou a cargo do SAM Group, que analisa vários critérios e dimensões de desenvolvimento sustentável. De realçar que, na dimensão social, a EDP alcançou a pontuação de Best In Class.
“A liderança competitiva de uma empresa global como a EDP no mundo de hoje passa por uma gestão ambiciosa e inovadora e equilibrada na vertente económica, ambiental e social”, explicou no próprio dia António Mexia, presidente da EDP, em declarações ao Jornal de Negócios.
No ano passado, a EDP tinha já sido considerada a melhor empresa europeia, ao nível da sustentabilidade, no sector de utilities. Um prémio que, como é óbvio, acumula também este ano.
A empresa liderada por António Mexia conseguiu nota máxima em seis dos 22 critérios relacionados com desenvolvimento sustentável. Nas restantes avaliações, a empresa portuguesa conseguiu pontuação máxima em controlo de risco de preço e sistemas de scorecard. Em biodiversidade – avaliação que faz parte do item de dimensão ambiental – a EDP arrecadou também a pontuação máxima.
Recorde-se também que a EDP teve uma grande visibilidade internacional através do projecto de responsabilidade social que está a desenvolver no campo de refugiados de Kakuma, no Quénia.
O projecto prevê o investimento de 1,3 milhões de euros na instalação de equipamentos de energias renováveis no campo, que alberga quase 76 mil refugiados.
Confira aqui a explicação da Dow Jones para esta atribuição.
Em 2009, a posição agora ocupada pela EDP foi atribuída à CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais).

Nenhum comentário:

Postar um comentário