Total de visualizações de página

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Abertura de empresas no Rio apresenta crescimento de 9,7% Por Redação


RIO DE JANEIRO (O REPÓRTER) - O Estado do Rio colhe em todos os setores os frutos do excelente momento econômico que vive. E o empresarial, em franca expansão, é um dos mais ativos. O número de processos de abertura de novas empresas em território fluminense aumentou 9,7% no primeiro semestre deste ano, conforme levantamento da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços.
Nos primeiros seis meses de 2011, houve 20.683 registros de aberturas de novas empresas, enquanto no mesmo período de 2010 foram 18.837. Os municípios que mais receberam as novas empresas no estado foram os seguintes: Rio (11.104), Duque de Caxias (1.014), Niterói (927), São Gonçalo (872), Nova Iguaçu (750), Campos (656), Petrópolis (623), Macaé (462), Volta Redonda (423) e São João de Meriti (420). E a perspectiva é a melhor possível, na previsão do presidente da Jucerja, Carlos de La Rocque.
"Todas as projeções de crescimento são positivas, a menos que atravessemos uma grande crise financeira em razão dos últimos acontecimentos mundiais, que inevitavelmente venham a afetar a nossa economia", ressalvou Carlos de La Rocque.
A maior parte das novas empresas é do segmento de comércio de artigos de vestuário e acessórios, com 2.073, seguida da área de lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares, com 1.254 novos negócios. O comércio de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal, com a abertura de 954 empresas, e o segmento de restaurantes e similares, com 909 novos estabelecimentos, também foram destaques.
"O Estado do Rio está em um momento extremamente favorável para novos investimentos. A melhoria do ambiente de negócio e o aumento da renda per capita com nova onda de consumidores possibilitaram esse aumento", explicou o presidente da Jucerja.
Com a obrigatoriedade do uso do Regin via internet para constituição de novos negócios a partir de julho, o estudo da Jucerja aponta 2.930 novas empresas abertas no primeiro mês de vigência da medida. Pela deliberação 44, da Jucerja, passa a ser obrigatória a busca prévia de nome e de local, via Regin, nos casos de constituição, alteração de nome, de endereço e atividade. O sistema está funcionando em 23 municípios do estado. A meta da Jucerja é ter, até o final de 2011, 50 municípios integrados ao sistema, entre eles a capital e as principais cidades da Baixada e Região Metropolitana.
Desde 1 de julho, só é permitida abertura de novas empresas por intermédio da internet, usando o Regin. Este sistema integra os órgãos públicos envolvidos no registro de estabelecimentos como Junta Comercial, Receita Federal, Secretaria Estadual de Fazenda e prefeituras municipais visando à desburocratização dos processos de abertura, alteração e baixa de empresas. Com isso, um cidadão pode abrir sua empresa em poucos dias, se toda a documentação estiver correta.
"Será obrigatório acessar o site para alguns registros empresariais, antes de ingressar com processo na Jucerja, independentemente do resultado, ou seja, se o processo será deferido ou não", esclareceu Carlos de La Rocque.
Como usar o Regin para abrir uma empresa
O processo é mais rápido, seguro e econômico, porque o empreendedor inicia a ação, no site da Jucerja – www.jucerja.rj.gov.br, com o pedido da viabilidade de nome empresarial e a busca prévia do local, com preenchimento das informações sobre o empreendimento. As informações vão para a Junta Comercial e para a prefeitura solicitada. Esta tem o prazo de dois dias para responder se o negócio desejado pode ser aberto ou não e se tem exigências a serem cumpridas.
Feito isso, o empresário ou seu representante deve ir à Jucerja ou suas delegacias para dar entrada no pedido, levando o protocolo do Regin, o pedido do CNPJ da Receita Federal (DBE), o pedido da inscrição estadual (DOCAD) e o contrato social. Todo processo poderá ser acompanhado pelo portal da Junta Comercial.
Depois, a autarquia, também via internet, encaminha os dados diretamente para a Secretaria de Fazenda do Estado, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Meio Ambiente, Receita Federal e Prefeitura Municipal. Se tudo estiver correto, sem cair em exigências, o empresário pode ter sua empresa em funcionamento em poucos dias.
Com a maior facilidade e impulsionadas pela proximidade de grandes eventos no estado do Rio de Janeiro, a expectativa é um crescente aumento no registro de novas empresas nos próximos anos, segundo La Rocque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário