Total de visualizações de página

sábado, 27 de agosto de 2011

APPI mostrará que o modelo superou as metas nas cidades onde foi implantado como piloto e está pronto para ampliar a escala nos principais mercados do país A sala temática sobre os sistemas pré-pagos do Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor, C4, terá como destaque a palestra do diretor da Unidade de Negócio Saúde, da APPI, Alberto Techera. A partir das 14 horas do dia 31 de agosto (quarta-feira), ele abordará os planos de expansão do modelo de cartão pré-pago para o setor de saúde criado pela empresa como alternativa aos brasileiros que tem dificuldades para quitar as parcelas dos convênios médicos. O funcionamento deste instrumento é parecido com o sistema da telefonia pré-paga. O usuário, quando quiser, carrega no cartão o valor que desejar e usa o plástico para fazer os pagamentos numa rede previamente cadastrada. Desta forma não existe uma despesa mensal fixa como nos planos de saúde, o aproveitamento é extensivo a toda a família (não havendo um custo para cada membro), o preço é mais acessível e não há restrição de uso. Em média cada consulta, independentemente da especialidade médica, custa R$ 60,00. Os exames variam de preço de acordo com o tipo, mas também têm os valores previamente fixados. Alberto Techera revela que a receptividade ao produto tem sido acima da expectativa da empresa. Segundo ele, na cidade de Itaperuna, no Estado do Rio de Janeiro onde ele foi implantado como projeto piloto as metas foram alcançadas com um ano de antecedência. "O planejamento era registrar 12.500 usuários em três anos, mas em dois anos de funcionamento 13.100 pessoas já aderiram. Este número representa 21% do mercado potencial do município", diz. Outro exemplo de sucesso ocorreu na cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais. Neste município o plano era alcançar 19.313 clientes em três anos, mas nos dois primeiros anos já existe uma carteira de 18.100 cartões ativados. Isto representa 18% do mercado potencial desta cidade," explica. Segundo Techera, esses resultados e algumas parcerias desenvolvidas pela empresa revelaram a viabilidade da expansão do projeto ainda este ano para as regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro. De acordo com estudos, somente nas capitais destes dois Estados existe um publico alvo potencial de aproximadamente 4.160 milhões de pessoas. Para implantar o modelo, a APPI criou uma empresa de processamento e credenciamento que provê a rede de estabelecimentos de saúde e pontos de recarga por onde passam as operações do cartão. Também foi desenvolvida uma bandeira chamada Sempre. Já para distribuir o cartão aos usuários, a instituição busca parcerias com lojas de departamentos, redes de farmácia, supermercados e outros nichos que já emitem seus próprios cartões e que possam fazer com que estes tenham dupla função. "O modelo já foi testado e aprovado. Agora é momento de ganhar escala em todos os sentidos. Tanto em usuários como em profissionais de saúde cadastrados e também em postos de recarga", finaliza Techera. O C4 - Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor acontecerá nos dias 31 de Agosto e 01 de Setembro no Centro de Convenções Frei Caneca, São Paulo/SP. APPI -Fundada em 1993 a APPI é uma empresa de tecnologia da informação que atua oferecendo soluções de conectividade aos segmentos de meios de pagamentos, transportes e saúde, entre outros. Ela tem mais de 1.300.000 licenças nacionais e internacionais da solução POSWEB para captura de transações com cartões, mais de 150 clientes entre alguns dos principais agentes mundiais do setor de pagamentos eletrônicos como CIELO, MASTERCARD, AMEX, BRADESCO, BANCO DO BRASIL, UNIMED, SICRED, BBVA e PAYMENTEC. A empresa já conquistou diversos prêmios por sua inovação tecnológica, concedidos por instituições como FINEP, FIRJAN e RioInfo. Em 2008, foi citada na publicação do Monitor Group por ter desenvolvido a tecnologia POSWEB, considerada uma das 101 melhores inovações brasileiras dos últimos anos. |www.appi.com.br


APPI mostrará que o modelo superou as metas nas cidades onde foi implantado como piloto e está pronto para ampliar a escala nos principais mercados do país
A sala temática sobre os sistemas pré-pagos do Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor, C4, terá como destaque a palestra do diretor da Unidade de Negócio Saúde, da APPI, Alberto Techera. A partir das 14 horas do dia 31 de agosto (quarta-feira), ele abordará os planos de expansão do modelo de cartão pré-pago para o setor de saúde criado pela empresa como alternativa aos brasileiros que tem dificuldades para quitar as parcelas dos convênios médicos.
O funcionamento deste instrumento é parecido com o sistema da telefonia pré-paga. O usuário, quando quiser, carrega no cartão o valor que desejar e usa o plástico para fazer os pagamentos numa rede previamente cadastrada. Desta forma não existe uma despesa mensal fixa como nos planos de saúde, o aproveitamento é extensivo a toda a família (não havendo um custo para cada membro), o preço é mais acessível e não há restrição de uso. Em média cada consulta, independentemente da especialidade médica, custa R$ 60,00. Os exames variam de preço de acordo com o tipo, mas também têm os valores previamente fixados.
Alberto Techera revela que a receptividade ao produto tem sido acima da expectativa da empresa. Segundo ele, na cidade de Itaperuna, no Estado do Rio de Janeiro onde ele foi implantado como projeto piloto as metas foram alcançadas com um ano de antecedência. "O planejamento era registrar 12.500 usuários em três anos, mas em dois anos de funcionamento 13.100 pessoas já aderiram. Este número representa 21% do mercado potencial do município", diz.
Outro exemplo de sucesso ocorreu na cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais. Neste município o plano era alcançar 19.313 clientes em três anos, mas nos dois primeiros anos já existe uma carteira de 18.100 cartões ativados. Isto representa 18% do mercado potencial desta cidade," explica.
Segundo Techera, esses resultados e algumas parcerias desenvolvidas pela empresa revelaram a viabilidade da expansão do projeto ainda este ano para as regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro. De acordo com estudos, somente nas capitais destes dois Estados existe um publico alvo potencial de aproximadamente 4.160 milhões de pessoas.
Para implantar o modelo, a APPI criou uma empresa de processamento e credenciamento que provê a rede de estabelecimentos de saúde e pontos de recarga por onde passam as operações do cartão.
Também foi desenvolvida uma bandeira chamada Sempre. Já para distribuir o cartão aos usuários, a instituição busca parcerias com lojas de departamentos, redes de farmácia, supermercados e outros nichos que já emitem seus próprios cartões e que possam fazer com que estes tenham dupla função. "O modelo já foi testado e aprovado. Agora é momento de ganhar escala em todos os sentidos. Tanto em usuários como em profissionais de saúde cadastrados e também em postos de recarga", finaliza Techera. O C4 - Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor acontecerá nos dias 31 de Agosto e 01 de Setembro no Centro de Convenções Frei Caneca, São Paulo/SP.
APPI -Fundada em 1993 a APPI é uma empresa de tecnologia da informação que atua oferecendo soluções de conectividade aos segmentos de meios de pagamentos, transportes e saúde, entre outros. Ela tem mais de 1.300.000 licenças nacionais e internacionais da solução POSWEB para captura de transações com cartões, mais de 150 clientes entre alguns dos principais agentes mundiais do setor de pagamentos eletrônicos como CIELO, MASTERCARD, AMEX, BRADESCO, BANCO DO BRASIL, UNIMED, SICRED, BBVA e PAYMENTEC.
A empresa já conquistou diversos prêmios por sua inovação tecnológica, concedidos por instituições como FINEP, FIRJAN e RioInfo. Em 2008, foi citada na publicação do Monitor Group por ter desenvolvido a tecnologia POSWEB, considerada uma das 101 melhores inovações brasileiras dos últimos anos. |www.appi.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário