Total de visualizações de página

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Uma em cada 10 empresas causadoras de impacto ambiental deveria ter financiamentos recusados devido a irregularidades Pequena parte das ocorrências se relaciona com a utilização de trabalho escravo


Um levantamento elaborado pela Serasa Experian apontou que 11% das empresas causadoras de impacto ambiental e que figuram hoje na carteira de crédito do sistema bancário nacional, exibe algum tipo de irregularidade do ponto de vista socioambiental. Para se chegar a esta conclusão a consultoria analisou, mediante aplicação da ferramenta Conformidade Ambiental, uma amostra de 14.589 clientes pessoas jurídicas, ativas em crédito junto a quatro instituições bancárias. Das quase 15 mil empresas, 53% delas são causadoras de impacto ambiental, de acordo com a legislação em vigor, e deveriam estar "ambientalmente" adimplentes para poder receber financiamentos da rede bancária pública (por lei) e privada (por boas normas de conduta e governança corporativa). Todavia, 11% delas apresentam alguma irregularidade do ponto de vista socioambiental.
As irregularidades
Dos três tipos de irregularidades apuradas, a maior incidência delas diz respeito ao licenciamento ambiental, que pode estar relacionado tanto à falta de licenciamento em si (licença inexistente, expirada, negada etc.) quanto à intercorrência de sanções e/ou infrações emitidas pelo órgão fiscalizador ambiental competente sem que tenha sido implementado, pela empresa autuada, o termo de ajuste de conduta, além de outros tipos de irregularidades envolvendo a questão do licenciamento ambiental adequado. Nesta categoria encontraram-se 95,0% das irregularidades observadas.
Outros 4,9% das irregularidades ambientais detectadas relacionam-se com a operação da atividade produtiva em áreas embargadas. Já 0,1% das ocorrências se relaciona com a utilização de trabalho escravo.
Por região
Por região geográfica, a maior incidência de empresas ativas em crédito, apresentando irregularidades socioambientais foi a Nordeste, com 18% das empresas causadores de impacto ambiental em estado irregular. Em seguida vieram as regiões Norte (16%) e Cento-Oeste (15%). Logo abaixo, mas ainda acima da média nacional, aparece a Região Sul com 14% de incidência. Apenas a Região Sudeste situou-se abaixo da incidência média nacional (de 11%), com 8% de empresas irregulares. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário