Total de visualizações de página

terça-feira, 5 de abril de 2011

Vídeo: Os segredos de Steve Jobs para fazer apresentações fantásticas

Steve Jobs, CEO da Apple e semi-Deus para alguns, é extremamente conhecido por ser um exímio apresentador. Seus lançamentos de produtos são sempre esperados por toda a mídia e pelos fanáticos de tecnologia.

Nesse vídeo são explicados alguns dos fatores que tornam as apresentações de Steve Jobs tão interessantes. Eles são:

  • Definir o tema no começo – Steve sempre começa a apresentação com uma frase marcante
  • Começar e terminar cada seção de forma clara – Sempre é possível saber sobre o que ele está falando, já que as transições são sempre muito claras
  • Vender uma experiência - Steve não simplesmente joga números e fala o que o produto faz, ele mostra a experiência do usuário na prática
  • Saber usar recursos visuais – Ótimos slides e figuras facilitam muito a comunicação
  • Tenha entusiasmo – Steve sempre se empolga muito com seus produtos, esse entusiasmo também empolga a plateia
  • Ensaie – Steve é muito perfeccionista. Antes de uma apresentação ele passa horas testando o equipamento e ensaiando para que tudo saia de forma perfeita na hora
  • Espere, tem mais! – Ao final de suas apresentações ele sempre tem uma última carta guardada para o final.

Para ver as legendas, clique no CC no canto inferior direito do vídeo.


Link para o vídeo no Youtube.

A ousadia de Steve Jobs nos negócios

A dica de hoje foi dada por Sylvio Ribeiro no blog Pequeno Guru.

Aqui vão algumas atitudes que transformaram Steve Jobs em um dos executivos mais admirados da atualidade:

1. Parceria com o concorrente.

Pouca gente sabe, mas se não fosse pela Microsoft, talvez (enfatizo no talvez) a Apple não estivesse aqui. Em 1997, após muitos anos no vermelho, Steve Jobs precisava juntar dinheiro rápido e foi esperto o bastante para procurar Bill Gates. A Microsoft investiu $150 milhões na Apple e foi parceira da marca na Macworld Expo 97. Jobs justificou dizendo: “Isso é pela saúde da Apple, para que ela possa dar grandes contribuições à indústria e voltar a prosperar”. O que, de fato, aconteceu.

2. Colocar sexo nos produtos.

Jobs é um vendedor nato. No início, Wozniak cuidava da engenharia enquanto Jobs tratava de vender e conseguir parcerias. Eu não sei o que ele quis dizer com “sexo”, mas em 1998, Jobs convocou uma reunião e disse: “sabe o que essa empresa tem de errado? Os produtos são uma droga! Não há sexo neles.” O que eu se é que hoje, o design dos produtos Apple levam pessoas ao orgasmo.

3. Criar soluções possíveis para problemas impossíveis.

A Apple é uma indústria, certo? Errado. É também comércio. Tudo começou quando Steve Jobs achou que as lojas de varejo não davam a atenção que os produtos Apple mereciam. Então, ele fez o que na época ninguém fazia: criou lojas próprias. Pode parecer fácil, mas atuar com algo que você não domina, como o varejo, é sempre um grande desafio.

4. Dizer aos consumidores o que eles querem em vez de perguntar.

Ele é famoso por dizer que os consumidores não sabem o que querem até verem um. Sua teoria pôs abaixo um dos maiores mitos do marketing: o de que os consumidores conhecem seus desejos. A Apple não usa grupos de foco, em vez disso diz o que as pessoas querem antes de quererem. Ano passado quando o iPad foi anunciado, as pessoas acharam o produto bobo, e não foi que ele se tornou sonho de consumo?

5. Produtos que funcionam melhor juntos.

A Apple é famosa por favorecer seus próprios produtos. iPod com iTunes, iTunes com iMacs, interação entre iPhones e iPads e iTunes store, etc. A justificativa por trás disso na opinião de Steve Jobs é: “A Apple está sempre mostrando que a soma das partes é maior que o todo”.

6. Não contratar apenas os melhores.

Como muitos estudiosos da criatividade defendem, a empresa aposta na diversidade da sua equipe. O próprio Steve Jobs atribui parte do sucesso dos Macintosh ao fato de ter funcionários com formação em música, história, zoologia e literatura.

7. Estimular o pensamento diferente.

“Pense diferente” não é apenas o título de uma das campanhas publicitárias mais memoráveis da história, mas é também a filosofia que a empresa se sustenta.

8. Não incrementar demais.

Apenas recentemente os iPods passaram e ter rádio FM e o primeiro iPhone tinha uma câmera péssima. Essa é uma das maiores lições da Apple: você não precisa lançar o produto perfeito, apenas crie algo incrível e antes de todo mundo. “Nós somos absolutamente consumidos pela ideia de criar uma solução que seja muito simples”, disse o designer Jonathan Ive, vice-presidente de design da Apple.

9. Vender sonhos, não produtos

Foi-se o tempo em que Mac OS X era o mais seguro , o mais rápido e o mais estável, mas ficou a imagem de um super produto, uma grande reputação e o melhor design para se ter na sala de casa. As pessoas não compram iMac, iPhones e iPads pelo que eles são, mas pelo que eles representam.

10. Acreditar em si próprio

Steve Jobs disse no seu famoso discurso em Stanford: “Tenha a coragem para seguir o seu coração e sua intuição. Ele, de alguma forma, já sabe o que você quer se tornar”.

___

Por falar em Steve Jobs, ele é ótimo em fazer apresentações. Quer aprender com ele? Recomendo o post: Os segredos de Steve Jobs para fazer apresentações fantásticas.

3 palavras importantes na hora de competir

Rápido, melhor e mais.

Essas são 3 grandes dicas para se ganhar uma competição.

Ser mais rápido. Mais rápido em lançar produtos no mercado, mais rápido em responder, mais rápido em obter usuários.

Ser melhor. Melhor produtividade, melhor história, melhor benefício, melhor impacto.

E mais. Mais para o seu dinheiro. Mais opções. Mais cuidado. Mais coragem.

Você tem mais concorrência hoje do que tinha ontem. E espero que essa tendência continue.