Total de visualizações de página

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Prefeitura deverá licitar em junho serviço de estacionamento rotativo

 
 
“Porto Velho cresceu, a população aumentou, surgiram muitas oportunidades de emprego e a economia avançou, com isso o poder aquisitivo também elevou e as pessoas puderam comprar novos veículos. Além disso, com o número grande de empresas que se instalaram na cidade, muitos carros funcionais também começaram a circular. Este é um processo natural do desenvolvimento da cidade”, explicou o secretário municipal de Trânsito e Transportes, Itamar Ferreira, ressaltando que devido a este cenário, o estacionamento está gerando certo transtorno na cidade.
 
 
“Estamos estudando formas de amenizar esta situação, principalmente na Avenida Sete de Setembro, maior alvo das reclamações. Como ações iniciais da prefeitura, identificamos e regulamentamos os estacionamentos de motos e carros, táxis e mototáxis, carros fortes, vagas para deficientes e idosos e corredor de ônibus, porém ainda há muita falta de conscientização.
 
Muita gente acaba estacionando motocicletas na vaga de carro e vice versa, ou utilizando os acessos restritos. E o mais complicado existem pessoas que estacionam pela manhã e retiram seu veículo somente à noite. Não dando espaço para outras pessoas que precisam circular nesta região. Como é um centro comercial há a necessidade de garantir um estacionamento rotativo e um horário estipulado de duas horas no máximo para utilização da vaga”, comentou o secretário.
 
Ainda de acordo com Itamar Ferreira a frota cresceu 20% em relação ao ano de 2008 e em novembro de 2010 foram registrados 145 mil carros circulando pelas ruas da cidade, o que resulta numa ocupação quase que total das vagas existentes.
 
“A Semtran intensificou a fiscalização e os agentes têm notificado os condutores que estacionam de forma irregular. Porém o controle do limite de tempo de estacionamento ainda não é feito. Para isso vamos no inicio de junho, licitar o serviço de estacionamento rotativo. Estamos finalizando alguns estudos, esta semana iniciaremos uma série de ações para orientar a população sobre a implantação deste serviço, como pit stop e panfletagens. E assim, ele sendo implantado vamos garantir que estes veículos possam circular e não segurar as vagas disponíveis”, destacou.
 
A ação deve ser levada para outros centros comerciais como Jatuarana, na zona Sul e Amador dos Reis, na Zona Leste. “Dar um tratamento melhor à questão do ordenamento desses estacionamentos é uma das orientações do prefeito Roberto Sobrinho, que tem priorizado a questão do trânsito como um todo, seja a sinalização, abertura de novas vias para garantir outras rotas para desafogar as tradicionais, e em breve os viadutos. O estacionamento também faz parte destas ações e do Plano Municipal de Mobilidade Urbana de Porto Velho”, afirma.
 
O secretário salienta que ao implantar o estacionamento rotativo as vagas existentes serão utilizadas de maneira mais democrática, permitindo que um número maior de pessoas utilize esses espaços.
 

Para CIOs, falta de mão de obra ameaça crescimento das organizações

Desenvolvimento de novas competências e formação de gestores estão entre os pilares estratégicos das áreas de TI nas maiores empresas
Recrutamento e retenção de mão de obra qualificada são preocupações que tiram o sono de qualquer CIO no Brasil. Esta realidade foi confirmada no estudo "Antes da TI, a estratégia", realizado pela IT Mídia com o objetivo de mapear as tendências de investimentos em tecnologia entre as mil maiores empresas do País. Segundo a pesquisa, mais da metade dos líderes de TI indica a falta de profissionais capacitados entre as três maiores ameaças ao crescimento futuro das organizações.
Não por acaso, gestão de pessoas esteve entre os temas mais urgentes e problemáticos tratados no IT Forum 2011, durante os intercâmbios de ideias batizados com o mesmo nome do estudo. Mais do que profissionais preparados tecnicamente, o atual grande desafio dos CIOs, concluíram os congressistas, reside na preparação de equipes com conhecimento de negócios e competências gerenciais.

Jorge Cordenonsi, vice-presidente de tecnologia da Sodexo para Américas do Sul e Central, que o diga. Há três anos, o executivo liderou localmente um processo de transformação global da TI da companhia. O plano foi viabilizado por uma decisão pouco ortodoxa: a criação de uma área de recursos humanos dentro da estrutura de TI, voltada a preencher os gargalos de recrutamento e retenção deixados pelo departamento de pessoas corporativo. O mesmo foi feito com os núcleos de finanças e supply chain, tornando a divisão de TI quase que uma empresa independente.

O que poderia parecer um isolamento da unidade e, consequentemente, um desalinhamento entre TI e negócio, na verdade, significava o contrário para a corporação. "Com uma área de recursos humanos específica, conseguimos adquirir novas competências para criar essa sinergia com o negócio", explica Cordenonsi, adicionando que a ponte com as demais áreas é feita por meio de representantes dedicados.

Com mais de 1,2 mil colaboradores de TI em todo o mundo, a Sodexo conseguiu, a partir desse revisão, reduzir os elevados índices de turn-over para apenas 5%, no Brasil. Desde então, desafios como reter talentos, administrar carreira e salário, gerenciar o conhecimento e formar líderes está permanentemente na agenda do executivo. "Pessoas são a minha prioridade número um como diretor de tecnologia", ressalta ele.

Mais recentemente, a companhia lançou o programa ‘My carrear, my way" (no português, ‘Minha carreira, meu caminho", que estabelece processo e uma ferramenta para que o profissional visualize e entenda o seu plano de crescimento, identificando oportunidades de atuação. A organização já apurou um aumentou de 10 pontos percentuais na satisfação dos colaboradores.

TI e negócios

A reestruturação da equipe de TI também consistiu em um dos grandes pilares da transformação liderada por Fabio Faria no Grupo Votorantim, a partir de 2005. Mais de 70% dos colaboradores foram substituídos, a fim de moldar a área de tecnologia - até então de perfil totalmente operacional e carente de práticas de governança - com a implementação de um modelo baseado em melhores práticas de mercado, plano de desenvolvimento de pessoas e unificação do planejamento estratégico de TI.

O Projeto Integra SAP, que seguiu até fevereiro de 2007, deu início à padronização dos ambientes de TI das empresas que compõem a frente industrial do grupo. "O maior desafio foi a parte política da empresa, ao termos que integrar tudo isso. A mudança foi gradual e difícil, mas tivemos apoio muito forte dos acionistas, e isso foi fundamental. Realizamos mais de mil workshops de discussão de processos", recordou Faria.

Com isso, a companhia conseguimos criar objetivos e metas compartilhados. "Todas as pessoas pertencem à holding, e não a cada segmento de negócios, serão perderíamos o conjunto. Hoje, temos 90% de padronização, com diferenças apenas nas áreas comercial e de produção", contou o CIO.

Com a missão de suportar os processos de negócios para conduzir a consolidação da empresa como organização de classe mundial, José Carlos Padilha, CIO da Carbocloro, ressaltou ainda o envolvimento de todo o time do planejamento estratégico. "Eu incentivo a participação de todo o grupo. Não adianta levar só uma equipe de gestores, que talvez não tenha conhecimento sobre detalhes importantes", destacou o executivo.

AGV compra a Exata e já projeta receita acima de R$ 1 bilhão

Depois de três anos de negociação, a AGV anunciou ontem a compra da Exata, empresa líder no segmento de operação logística nas regiões Centro-Oeste e Norte do país. Com a aquisição, cujo valor é sigiloso por questão contratual, a AGV passa a atuar com armazenagem e transporte rodoviário em 20 Estados brasileiros. "Nenhum outro operador logístico no Brasil tem presença com armazéns próprios em tantos Estados. Com a Exata, damos um foco maior na região Centro-Norte, que tem um crescimento muito expressivo em termos populacionais. Consequentemente, o consumo vem a reboque", explica o presidente da AGV, Vasco Carvalho Oliveira Neto.

A companhia, nascida em Vinhedo (SP) há 12 anos, planeja encerrar este exercício com faturamento acima de R$ 1,1 bilhão, ante R$ 657 milhões de 2010. O crescimento não será fruto apenas da compra da Exata. "Existem outros negócios em curso sobre os quais ainda não podemos falar", afirma Vasco.

A Exata nasceu há 14 anos, como uma das empresas do grupo Arex. À época, faturava até R$ 10 milhões. Hoje tem cerca de 35 clientes, conta com 550 funcionários e 15 centros de distribuição espalhados pelo país. Segundo o diretor-geral, Mauricio Pastorello, o trabalho nos últimos anos foi fazer da Exata uma empresa média. Neste ano deve encerrar com R$ 101 milhões. "Para se tornar uma empresa grande é muito custoso, um trabalho que demanda um esforço mais complexo". Foi quando as conversações com a AGV deslancharam. "Vejo como uma continuidade do trabalho que venho fazendo há sete anos na Exata. Os 550 colaboradores que sempre deram a vida pela Exata vão agora dar a vida pela AGV", diz Pastorello. De acordo com ele, a compra foi de "porteira fechada". Em relação ao capital humano, "não muda praticamente nada."

De acordo com Pastorello, a complementaridade de atuação da AGV e Exata não se limita ao aspecto geográfico. Contempla também a atuação nos respectivos setores. A AGV, por exemplo, tem grande destaque em bens de consumo. A Exata é focada principalmente nos setores de bens de consumo, eletroeletrônicos e automotivo. Entre seus principais clientes estão a Vivo, a Case New Holland (CNH) e a Ingenico.

A AGV nasceu em 1999 como armazéns gerais frigorífico de Vinhedo (daí as iniciais do nome). No primeiro mês, Neto percebeu que não bastava fazer a armazenagem, era preciso ser um operador logístico que oferecesse o maior número possível de soluções ao cliente.

Até 2006 a empresa tinha foco muito grande no setor de medicamento veterinário. Quando conquistou praticamente 100% de participação desse mercado, no qual é líder até hoje, fez um plano de crescimento agressivo. "O plano era nos tornarmos em cinco anos o maior e melhor operador logístico de capital nacional". A empresa diversificou os ramos de atuação, apostou na área de saúde humana e cosmético e buscou oportunidades de fusões e aquisições. "O nosso mercado de logística ainda é muito novo, muito fragmentado. E o processo de consolidação em 2006 estava numa fase embrionária, mas a gente já enxergava que iria acontecer. Acabamos nos preparando para isso", explica Neto.

A empresa tem governança corporativa, é auditada, e tem registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em agosto de 2008 o Equity International (que investe muito no setor imobiliário, como na Gafisa e BR Malls, no Brasil) entrou como sócio.

Desde 2008 a empresa já adquiriu oito concorrentes pelo valor global de R$ 240 milhões de uma lista de 35 empresas elaborada em fins de 2006. "Buscamos adicionar empresas que trazem mais clientes nos setores que já atuamos, ou que vão trazer serviços novos, ou que venham trazer expertise regional", explica Neto. No caso da Exata, os principais fatores de atração foram justamente o foco no segmento de tecnologia associado à cobertura regional. Além disso, o modelo de negócio das empresas é semelhante. Da mesma forma que a AGV, a Exata é uma empresa considerada "asset light" (carteira enxuta, com ativos básicos).

Nos últimos três anos a AGV cresceu 6,5 vezes, sendo 60% de fusões e aquisições de empresas e 40% orgânico.

Fonte: Valor Econômico/Fernanda Pires | Para o Valor, de São Paulo

http://www.noticiasdeipiau.com/2011/05/03/prefeitura-gasta-quase-meio-milhao-de-reais-com-aluguel-de-veiculos/

Por Marcelo Martins

Como se não bastasse a contratação de empresa para aluguel de veículos exclusivos para o seu gabinete no valor de R% 57.000,00, o prefeito Deraldino Araújo homologou mais alguns contratos milionários com locadoras de veículos para atender as diversas secretarias do município. Confira os contratos que, somados, resultam em R$ 460.640,00 (quatrocentos e sessenta mil, seiscentos e quarenta reais):

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPIAÚ
CNPJ N: 13.701.651/0001-50
PREGÃO PRESENCIAL POR REGISTRO DE PREÇOS

HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO – PREGÃO PRESENCIAL POR REGISTRO DE PREÇOS N° 012/2011.

O Prefeito Municipal de Ipiaú, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais resolve acatar o julgamento do Pregoeiro e Equipe de Apoio, no interesse da Administração, Adjudicar e Homologar o resultado da Licitação, Processo Administrativo: 029/2011. Modalidade: Pregão Presencial Por Registro De Preços nº 012/2011, cujo objeto é Registro De Preço Para Locação De Veículo Para Atender A Demanda Das Diversas Secretarias Desta Prefeitura Municipal. Em favor das empresas:
- Piropauto – Piropo Automóveis Ltda CNPJ: 00.191.746/0001-20. Valor Global R$ 187.440,00 (cento e oitenta e sete mil quatrocentos e quarenta reais)

- Locadora de Veículos Gontijo Ltda CNPJ: 32.680.878/0001-01 Valor Global R$ 131.100,00 (cento e trinta e um mil e cem reais)

- Viação Campo Verde Transporte e Turismo Ltda CNPJ:
07.101.420/0002-94 Valor Global R$ 142.200,00 (cento e quarenta e dois mil e duzentos reais);

Por terem sido vencedoras do Processo Licitatório acima especificado, a qual passam a ter expectativa de direito à contratação, caso a Administração queira, mesmo não tendo a obrigatoriedade da contratação. Respaldada pelas leis nº 8.666/93, 10.520/02, Decreto Municipal nº 4.152/09 e termos do Edital Pregão Presencial Por Registro de Preço n° 012/2011, e da proposta consagrada, sujeitando-se às penalidades decorrentes da não celebração do contrato nos termos, prazos e condições estabelecidas.

Ipiaú-Ba, 07 de abril de 2011. Hipólito Antonio Andrade – Pregoeiro.
Deraldino Alves de Araújo
Prefeito Municipal

Grupo FITTA anuncia parceria para Inspiração 2011

Empresa sorteará quatro FITTA MasterCard Cash Passport para participantes do evento.

O Grupo FITTA, pioneiro em franchising de agências de câmbio no Brasil e líder nacional no mercado de ouro e metais preciosos, vai sortear quatro cartões pré-pagos FITTA MasterCard Cash Passport para os participantes do Inspiração 2011 - evento internacional de Inovação e Design Estratégico para o varejo no País - que será realizado no dia 14 de maio, em São Paulo (SP).

“Os sorteados terão acesso ao que há de mais moderno em cartão pré-pago, como chip de segurança e maior recarga e capacidade de armazenamento do mercado”,afirma Luiz Ramos, diretor comercial do Grupo FITTA.

Os cartões estarão carregados em dólar, em valor equivalente a R$ 500,00, e os sorteios serão realizados com os cartões de visitas depositados em uma urna pelos participantes do evento.

O cartão pré-pago FITTA MasterCard Cash Passport é aceito para compras em cerca de 32 milhões de estabelecimentos e para saque em mais de 1,8 milhão de caixas automáticos em todo o mundo. Pode ser carregado em dólares americanos, euros ou libras, antes e durante a viagem, de acordo com a conveniência do cliente.

Perfil-O Grupo FITTA, pioneiro em franchising de agências de câmbio no Brasil e líder nacional no mercado de ouro e metais preciosos, iniciou suas operações há 11 anos e é dividido em três grandes unidades:

FITTA DTVM: Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários, a Instituição Financeira tem foco no comércio atacadista de câmbio e de moedas estrangeiras. Credenciada pelo Banco Central do Brasil, é responsável pela concessão das autorizações de funcionamento das franquias do Grupo e é parceira oficial de câmbio da ABAV – Associação Brasileira de Agências de Viagens.

FITTA Franquias: é a franqueadora do Grupo FITTA, que, desde 2007, oferece ao investidor a oportunidade de atuar no mercado legal de câmbio. A companhia prima pela ética de procedimentos e é baseada em princípios como modernidade, inovação e legalidade - adotando a própria postura do governo de combater operações ilegais, conhecidas pelo mercado como câmbio paralelo ou Black. A FITTA é associada à ABF – Associação Brasileira de Franchising.

Reserva Metais: é líder no mercado formal de ouro e metais preciosos no Brasil, sendo uma das principais fornecedoras das agências de publicidade e de grandes companhias que realizam sorteios e premiações com Certificados de Barra de Ouro ou Barras de Ouro Físicas no País. A companhia é fruto da joint-venture dos grupos FITTA e Marsam (empresa com mais de 50 anos de atuação e uma das únicas credenciadas pela BM&F no Brasil).

GE Capital Fleet Services Identifies $326 Million in Cost Savings for Customers in 2010 - News - Automotive Fleet

GE Capital Fleet Services Identifies $326 Million in Cost Savings for Customers in 2010 - News - Automotive Fleet

Full Maintenance Program Aids Cost Control - Articles - Maintenance - Automotive Fleet

Full Maintenance Program Aids Cost Control - Articles - Maintenance - Automotive Fleet

Pros and Cons of Using a Fuel Card vs. a Corporate Card for Fleet Fuel Expenses - Article - Automotive Fleet

Pros and Cons of Using a Fuel Card vs. a Corporate Card for Fleet Fuel Expenses - Article - Automotive Fleet

Porto Seguro registra lucro de R$ 143 milhões

são Paulo -   A Porto Seguro registrou no primeiro trimestre de 2011 lucro líquido contábil de R$ 143,5, de acordo com o padrão Internacional Financial Reporting Standars (IFRS). Já no padrão brasileiro BR Gaap, o lucro líquido ficou em R$ 152,7 milhões.

Apesar das fortes chuvas ocorridas nos dois primeiros meses do ano em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, que aumentaram os índices de sinistralidade, a rentabilidade das empresa se manteve no trimestre, segundo balanço de resultados da Porto Seguro. A rentabilidade das aplicações financeiras foi de 2,72%.

O crescimento de prêmios foi de 11,9%, com destaque para as elevações no segmento saúde. A sinistralidade total de 60,4%, valor 0,4 pontos percentuais maior que o mesmo período do ano anterior.

Qual é a formação ideal para trabalhar com redes sociais? Profissionais falam sobre a necessidade de escolas que formem profissionais para atuar na área

A crescente necessidade das empresas monitorarem as redes sociais e planejarem ações de Marketing para estes canais é uma oportunidade para os profissionais da área. Quem deseja se dedicar ao trabalho em sites como Orkut, Twitter e Facebook tem como perspectiva salários iniciais em torno de R$ 1.500,00, mas que podem chegar a R$ 12 mil, dependendo do cargo ocupado e do porte da empresa.

Segundo a pesquisa Marketing Visão 360º, realizada pelo Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International, os investimentos em redes sociais são realizados por 67% das empresas brasileiras. Ações deste tipo são as segundas de Marketing Digital mais utilizadas, perdendo apenas para o E-mail Marketing, com 80% das citações. Os números mostram o potencial da área para quem deseja apostar no segmento como oportunidade de trabalho.

Como a prática é recente, a especialização em mídias sociais ainda não é frequente no meio acadêmico. Mas se até bem pouco tempo bastava ter afinidade com a internet e as redes sociais, agora o cenário começa a se modificar e torna-se mais concorrido. Com o aumento da oferta de empregos na área, conhecer os conceitos e as ferramentas de Marketing a fundo é cada vez mais importante para saber aproveitar ao máximo as possibilidades oferecidas pelas mídias sociais.
 
Para isso, é necessário compreender como funciona o mercado e o comportamento do consumidor, além de construir relacionamento e fazer um bom trabalho de branding. A partir daí, é possível utilizar as ferramentas como armas dentro do planejamento de ações. Quem souber agregar conhecimentos estratégicos de Marketing ao entendimento sobre tecnologia, informática e comportamento humano pode aumentar suas chances de atuar no segmento.
 
Conhecimento autodidata
O processo de amadurecimento do mercado faz com que a formação dos profissionais seja, de certa forma, empírica. “Por ser algo relativamente novo, a busca por conhecimento está sendo por experimentação. As mídias sociais estão na internet há um tempo, mas o boom veio de três anos para cá”, acredita Mauricio Salvador (foto acima), Diretor Geral da E-commerce School, em entrevista ao Mundo do Marketing.
 
Mas apesar de ser válido, o aprendizado autodidata dos profissionais não é suficiente para as empresas que buscam candidatos. Hoje é possível encontrar pós-graduações em Marketing Digital, que trazem conteúdo de mídias sociais. Há ainda cursos específicos, como é o caso da E-commerce School, que oferece os de “Marketing em Redes Sociais” e “Formação de Gerente de Mídias Sociais”.
 
“O cenário atual melhorou bastante em relação há três anos, quando não existiam pós, cursos e palestras sobre o tema. Ainda não há uma pós focada 100% em mídia social e também não vejo essa necessidade. O profissional que for trabalhar nesta área tem que ter base de Comunicação e Marketing para depois se especializar em Marketing Digital”, explica Andre Telles (foto), CEO da agência Mentes Digitais e autor dos livros Orkut.com, Geração Digital e A Revolução das Mídias Sociais, em entrevista ao portal.
 
Faltam mídias sociais na graduação
No ambiente acadêmico, entretanto, o tema não aparece nos cursos de graduação. “Sinto falta da disciplina de Marketing Digital, ou até mesmo de mídia social, na própria graduação de Comunicação Social. Os alunos estão saindo da faculdade sem uma base principal para permear todas as estratégias de Marketing, que hoje passam pelas plataformas digitais”, acrescenta Telles.
 
Já em relação às pós-graduações, o maior problema está na falta de opções fora das capitais e dos grandes centros. Outra questão é a baixa qualidade de cursos que prometem formar profissionais na área. Com o aumento da procura, é natural que apareçam também muitas ofertas.
 
“Têm aparecido muitos cursos na área, porque o mercado é novo e há muita demanda. Dentro disso, no entanto, há muito oportunismo. Cursos com professores pouco qualificados, ou meramente técnicos”, ressalta Nino Carvalho (foto), Consultor de Estratégias Digitais, Superintendente de Marketing da Ativa Corretora e Coordenador dos cursos de MBA e Pós MBA em Comunicação e Marketing Digital da FGV, em entrevista ao portal.
 
Técnica aliada a conceitos
O risco de se tornar um profissional meramente técnico quando o assunto são as redes sociais é outro obstáculo para quem deseja atuar na área. Não adianta ter aulas que ensinam apenas a usar um software e não falam em estratégias, planejamento de Marketing ou como usar as ferramentas disponíveis na internet. Uma saída para as escolas é preencher o corpo docente com profissionais de mercado, que saibam aplicar na prática os conceitos de mídia social e tenham casos para exemplificar.
 
Estes profissionais são também responsáveis por contribuir para o desenvolvimento do mercado. “Ainda há uma divisão das áreas online e offline por parte da empresas. Mas acredito que daqui a um tempo teremos uma diretoria de Marketing mais integrada”, diz Carvalho, da FGV.
 
As mudanças nas empresas contribuirão também para o meio acadêmico e as possibilidades de formação para quem deseja se especializar. “Na medida em que vão aparecendo cases, o mercado começa a amadurecer. Assim como hoje poucas pessoas fazem curso de informática, acredito que chegará um momento em que a questão do uso das mídias sociais será natural por estar diluída no dia a dia”, conta Salvador, da E-commerce School.
 
Mas o executivo lembra que, mesmo as redes sociais estando integradas à rotina dos profissionais e das empresas, é necessária uma evolução do meio acadêmico. “As técnicas para usar as redes como negócio, transformar em venda e relacionamento devem passar por uma escola e um professor experiente que ensine a linguagem. Hoje faltam profissionais para exercerem a função nas empresas, mas também há poucos professores qualificados”.

Itaú Unibanco lucra R$ 3,5 bi, mas ações têm forte queda

São Paulo - Por conta do contínuo crescimento do crédito, os grandes bancos brasileiros apresentam resultados expressivos no primeiro trimestre de 2011, como já observado com os balanços do Bradesco (23,8%) e Santander (17,5%). O Itaú Unibanco segue a tendência de aumento, mas com variação percentual inferior. O lucro líquido contábil totalizou R$ 3,5 bilhões, com elevação de 9,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. A rentabilidade anualizada (Roae) ficou em 22,7%. Já a Roae do Bradesco foi de 23,8%.

Os índices de inadimplência se mantiveram no primeiro trimestre, com 4,2% em 90 dias. No entanto, o diretor corporativo de controladoria do Itaú Unibanco, Rogério Calderón, declarou aumentos em pessoa física e jurídica nos próximos meses, cerca de 0,2 ou 0,3 pontos percentuais. Devido à antecipação de perdas e o crescimento do calote em financiamentos de 30 a 60 dias, o banco aumentou a provisão complementar para crédito de liquidação duvidosa no primeiro trimestre em 15%, para R$ 4,3 bilhões.

Os resultados apresentados pelo banco não agradaram o mercado. No fechamento da terça-feira, a ação PN registrou queda de 3,41%, com valor de fechamento de R$ 35,50. O Ibovespa recuou 1,75%, com 64.318 pontos.

O patrimônio consolidado totalizou R$ 63,7 bilhões e o valor de mercado ficou em R$ 175,2 bilhões. Com base nesses números, o banco está como o 10º maior do mundo. O Índice de Basileia ficou em 16,1%. "Com o valor de capitalização de R$ 175 bilhões, somos o mais lucrativo entre os maiores bancos do mundo", declarou Calderón.

O crescimento do lucro foi puxado pelas carteiras de crédito. Com inclusão de avais e finanças, as operações alcançaram estoque total de R$ 344,8 bilhões, com acréscimo de 21,9% em relação ao primeiro trimestre de 2010.

Assim como já observado nos resultados do Bradesco e Santander, o segmento com maior aumento, de 24,2%, é o de pessoa jurídica, com destaque para micro, pequenas e médias empresas, com crescimento de 28,8% nos últimos 12 meses, para R$ 86 bilhões. As grandes empresas elevaram o total das operações em 20,9%, para R$ 115,4 bilhões.

Em pessoas físicas, com aumento de 18,6%, para R$ 128,7 bilhões, os principais destaques foram cartão de crédito, crédito pessoal e imobiliário, com crescimento de 21%, 24,1% e 61,8%, respectivamente. "Acompanhamos o ritmo da economia brasileira. Mas com as medidas macroprudenciais há a redução de algumas linhas, como financiamento de veículos", comentou o diretor. O volume originado com novas concessões somou R$ 6,2 bilhões, o que resultou em redução de 30% na comparação com o último trimestre de 2010.

A projeção de crescimento das carteiras de crédito para pessoa física e jurídica é de 16% a 20%, com investimento do banco em diversas linhas, como o crédito consignado. Em relação a esse segmento, o Itaú consolida nos valores pessoa física somente originação própria. A compra de carteiras de crédito de bancos de menor porte é contabilizada em pessoa jurídica. "O ritmo de compra de carteiras diminuiu em 2011, já que esperamos a regulamentação, que vai aumentar a segurança do mercado".

O Itaú Unibanco abriu 13 novas agências no Brasil e pretende inaugurar de 120 a 150 unidades em 2011, sendo que 95 já estão em fase de construção. "No ano passado, não crescemos nesse sentido, pois estávamos focados na migração das agências Unibanco. A tendência é de colocar agências onde está a riqueza, com PIB maior. A predominância deve ser Sul e Sudeste, mas também com crescimento no Nordeste e Centro-Oeste", pontuou Calderón.

No que se refere a expansão internacional, a estratégia de varejo está na América Latina, com duas agências já inauguradas no Chile e uma em Puerto Madero, na Argentina. "Por um lado temos a estratégia de banco de varejo na América Latina. Por outro, queremos acompanhar a internacionalização da economia brasileira, com apoio às empresas com bancos de investimento, corretoras e private bank em diversos países".

UFC Rio: Soldado do Bope é confirmado no card

O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) será representado no óctogono do UFC do Rio de Janeiro, marcado para o dia 27 de agosto, na HSBC Arena. O brasileiro Paulo Thiago acabou confirmado como um dos representantes do País no segundo evento da história no Brasil.

Dono de um cartel de 13 vitórias e três derrotas no MMA (Artes Marcias Mistas, em inglês), Paulo Thiago enfrentará no Rio o americano David MItchell, que perdeu a invencibilidade somente no dia 15 de setembro do ano passado. O confronto envolvendo o policial do Bope valerá pela divisão da categoria dos meio-médios.

Além de Paulo Thiago, outros seis combates estão confirmados para o evento na capital fluminense. A luta em destaque é a defesa do cinturão de categoria dos médios por parte de Anderson Silva, que irá enfrentar o japonês Yushin Okami, exatamente o responsável pela última derrota do campeão na carreira, em 2006.

ANTT diz que vai recorrer de revisão de taxas de concessões

Document Actions

ANTT diz que vai recorrer de revisão de taxas de concessões
Autor(es): Marta Salomon
O Estado de S. Paulo - 04/05/2011
 
O presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, antecipou que recorrerá da decisão do TCU, caso o tribunal determine a revisão das taxas de retorno previstas nos primeiros contratos de concessão de rodovias federais. "A agência reguladora não concorda com isso, e acredito que uma decisão dessas vai provocar ida à Justiça."

Figueiredo entende que a redução das taxas de remuneração das concessionárias, entre 17% e 24% acima da inflação, não estava prevista nos contratos e, portanto, representaria uma "quebra" dos contratos. O relatório do ministro Walton Alencar Rodrigues, cuja votação está suspensa, determina a revisão das taxas de retorno das concessionárias em 120 dias.

Ao mesmo tempo em que defende a manutenção dos contratos, o presidente da ANTT se apresentou como crítico do modelo das primeiras concessões de rodovias federais, feitas nos anos 90, ainda no governo Fernando Henrique Cardoso. "Eu acho que os contratos não são bons, e a gente está tentando acertar isso", disse Figueiredo.

Entre os problemas, ele mencionou pedágios com preços muito altos, em parte decorrentes de subsídios a motoristas que não pagam por não passarem por praça de pagamento, e também a qualidade dos serviços prestados pelas concessionários. Duas das principais concessões questionadas, a Nova Dutra e a Ponte Rio-Niterói, teriam, segundo ele, notas baixas na classificação da qualidade.

Como tentativa de correção, o presidente da agência citou resolução editada há menos de um mês pela ANTT, disciplinando novos investimentos nas rodovias privatizadas que não estavam previstos no contrato original. Esses investimentos não teriam mais a taxa de remuneração original dos contratos.

Bernardo Figueiredo tenta justificar os contratos das primeiras privatizações de rodovias pelas condições econômicas da época. "Naquela época, havia risco país elevado e taxas de juros mais elevadas, e isso justificava contratos por taxas altas", disse o presidente da ANTT.


Divergência

BERNARDO FIGUEIREDO
PRESIDENTE DA ANTT
"A agência reguladora não concorda com isso."

Frotistas ganham linha especial de crédito no Itaú

Parceria oferece condições especiais para que os frotistas operacionalizem o abastecimento das frotas, acompanhamento online do desempenho e controle dos gastos com abastecimento e manutenção. Iniciativa, que tem como objetivo fomentar crescimento do setor, deve beneficiar 500 mil transportadores de carga.

4 de maio de 2011, Economia e Finanças
O Itaú e a Ticket Car, líder nacional em gestão de despesas de veículos, anunciam parceria para a criação do Compror Ticket Car, linha de crédito e de benefícios especialmente desenvolvida para o mercado de frotas. Por meio do cartão Ticket Car, que pode ser utilizado em mais de 10 mil postos e pontos de venda conveniados a Ticket, os frotistas terão mais facilidade e benefícios ao financiar a aquisição de bens e de serviços – como combustível, frete, manutenção, entre outros -, contando com a flexibilidade de pagamento a prazo associada ao limite de crédito no Itaú, o que melhora o fluxo de caixa das empresas. O produto possibilita ainda uma economia de até 20% na gestão de frotas empresariais e o atendimento personalizado de gerentes do Itaú e da Ticket Car.
Além de usufruir uma ampla rede de postos conveniados, é possível credenciar novos postos de acordo com a logística de transporte de cada empresa. Os frotistas podem acompanhar online o desempenho da frota por meio dos relatórios e painéis de controle, e definir os parâmetros desejados para o melhor controle dos gastos com abastecimento e manutenção. O uso do Compror Ticket Car elimina o adiantamento de recursos para o motorista e possibilita o gerenciamento financeiro por meio do site Itaú 30 Horas Empresa Plus, ambiente online onde é possível consultar notas faturadas, pagas, financiadas e não financiadas. Tudo isso com segurança, pois as informações dos veículos e das operações são capturadas pelo Ticket Car e enviadas para o Itaú de forma 100% eletrônica.
A parceria beneficiará 500 mil transportadores de carga em 2011, o que significa mais de 1,3 milhão de veículos de carga em todo o País, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Esses números constituem mais de 400 mil transportadores autônomos e 700 mil empresas de transporte de cargas. “O setor de transporte de carga vem apresentando crescimento significativo. Por isso, uma das prioridades da área empresas do banco é oferecer serviços específicos para esse mercado, fomentando ainda mais o seu crescimento”, afirma Carlos Eduardo Maccariello, diretor de Produtos Pessoa Jurídica do Itaú Unibanco.
A parceria, lançada oficialmente na segunda etapa da temporada 2011 da Fórmula Truck, que aconteceu no início de abril, no Rio de Janeiro, reforça o importante papel do Ticket Car no mercado de frotas. Ao oferecer o serviço, a empresa espera dobrar a sua carteira de clientes do setor até o final de 2011. Atualmente, o segmento de transporte de cargas corresponde a 30% da carteira de clientes do produto. “Com esse novo produto, esperamos chegar a 50% do volume de negócios total do Ticket Car. Como o Brasil possui um amplo mercado de transporte de cargas é muito importante estar atento a todas as necessidades do setor. A carência de financiamento é um dos principais fatores que impedem o crescimento desse mercado no Brasil, por isso estamos investindo nessa parceria”, afirma Marco Mamari, diretor de Marketing e Produto do Ticket Car.

Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco é hoje o 10º maior banco do mundo em valor de mercado. Possui hoje mais de 5 mil pontos de atendimento e cerca de 30 mil caixas eletrônicos no Brasil. Além disso, está presente em 18 países e dois territórios das Américas, Europa e Ásia, com atuações em diferentes áreas de negócio. O Itaú atua no mercado de micro, pequenas, médias e grandes empresas buscando identificar as melhores soluções em negócios para necessidades específicas de seus clientes. Pensando no crescimento sustentável das empresas, o Itaú se estruturou para ser um grande parceiro de negócios de seus clientes, prestando consultoria financeira e buscando orientá-los não só sobre as necessidades do dia a dia, mas sobre temas que agreguem valor e efetivamente contribuam para a melhoria do desempenho financeiro dos negócios. Esse papel consultivo se traduz, dentre outras iniciativas, na realização de uma série de eventos voltados ao empresário nos quais são abordados temas como educação e gestão financeira, segurança e agilidade nos processos, educação financeira, tecnologia, gestão de mudanças e cenário macroeconômico.

Sobre a Ticket

Presente no Brasil desde 1976, a Ticket conquistou a liderança histórica do setor de refeição-convênio, com o Ticket Restaurante. Nestes 34 anos no País, a empresa também ampliou seu leque de atuação, com o lançamento de produtos inovadores como o Ticket Alimentação, Ticket Car e Ticket Transporte. Com abrangência nacional, a Ticket atende a 54 mil empresas-clientes e 5,3 milhões de usuários por meio de uma rede de 280 mil estabelecimentos credenciados nos 4,8 mil municípios brasileiros. A Ticket é uma empresa Edenred – que integra as empresas Ticket e Accentiv´ Mimética.

Sobre o Ticket Car

No mercado desde 1990, o Ticket Car é líder e pioneiro em gestão de frota, sendo o primeiro cartão com chip do País com operação 100% online. Inicialmente apenas para abastecimento, é uma linha de produtos e serviços para gestão de despesas de veículos, que inclui gestão de abastecimento e manutenção, serviços de assistência 24h, administração de bomba de combustíveis interna, telemetria, leitura de tacógrafo e uma ampla oferta de produtos sustentáveis, como o Ticket Carbon Control e Carbon Free que busca a compensação do CO2, juntamente com diversas ONGs e comunidades, entre outros. O Ticket Car atualmente atende a mais de cinco mil empresas-clientes. Ao todo, são mais de 300 mil veículos geridos, atendidos por meio de 10 mil estabelecimentos credenciados.

PAT Alimentação que desenvolve

TICKET CAR LANÇA PRODUTO QUE COMPENSA EMISSÃO DE CARBONO

Ticket Car Carbon Free ajuda na preservação do meio ambiente

O Ticket Car investe em soluções 100% sustentáveis. A empresa acaba de lançar o Ticket Car Carbon Free, produto voltado à compensação da emissão de carbono para empresas com frotas leves e pesadas.

Com uma proposta inovadora, o Ticket Car Carbon Free, será um produto aliado ao já existente Ticket Car Carbon Control, oferecendo uma solução completa aos gestores de frota para obtenção de informações detalhadas sobre a emissão de CO2 a partir do consumo de combustível de suas frotas e, por fim, promover ações de compensação através de projetos socioambientais.

Os produtos contam, ainda, com a consultoria dos profissionais especializados da empresa e têm como objetivo principal auxiliar na elaboração de métodos eficazes para minimizar e compensar a emissão de poluentes nos veículos de frotas leves e pesadas.

“Cada vez mais a responsabilidade ambiental e social se faz presente no mundo dos negócios. A Ticket compartilha dessa ideia e está totalmente focada em oferecer ao mercado produtos em linha com essas necessidades. Lançar o Ticket Car Carbon Free durante a Fórmula Truck foi a maneira que encontramos de apresentar aos nossos clientes mais uma novidade exclusiva e retribuir à sociedade em favor das causas ambientais”, afirma Marco Mamari, diretor de Marketing e Produto do Ticket Car.

A temporada 2011 da Fórmula Truck conta com a participação do Ticket Car como um dos patrocinadores oficiais do campeão de 2010, o piloto Roberval Andrade. A nova equipe se chama Ticket Car Corinthians Motorsport.

Durante a primeira etapa da temporada 2011, que aconteceu em 27 de fevereiro em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, a equipe 100% sustentável da Fórmula Truck recebeu da ONG Iniciativa Verde um Certificado de Sustentabilidade por ter compensado 6,59 toneladas de gases de efeito estufa através do plantio de árvores nativas da Mata Atlântica.

Já na segunda etapa, que aconteceu em 3 de março no Rio de Janeiro, a equipe também recebeu o Certificado de Sustentabilidade por ter compensado 7,89 toneladas de gases de efeito estufa através do plantio de árvores nativas da Mata Atlântica.

Presente no Brasil desde 1976, a Ticket conquistou a liderança histórica do setor de refeição-convênio, com o Ticket Restaurante. Nestes 34 anos no País, a empresa também ampliou seu leque de atuação, com o lançamento de produtos inovadores como o Ticket Alimentação, Ticket Car e Ticket Transporte.

Com abrangência nacional, a Ticket atende a 54 mil empresas-clientes e 5,3 milhões de usuários por meio de uma rede de 280 mil estabelecimentos credenciados nos 4,8 mil municípios brasileiros.

A Ticket é uma empresa Edenred – que integra as empresas Ticket e Accentiv´ Mimética.

Ticket Car realiza workshop especial para oficinas credenciadas

De Abril a Julho de 2011, o Ticket Car, líder nacional em gestão de despesas de veículos da Ticket, irá realizar um ciclo de workshops direcionado a proprietários e gerentes de oficinas credenciadas. A ideia é oferecer aos parceiros cursos e palestras sobre o mercado automotivo e frotista, com o tema “Gestão Eficiente na Manutenção Veicular”. O primeiro workshop, com duração de 8 horas, foi realizado no dia 12 de abril. Ao todo, serão 11 palestras durante o período.

Os cursos serão ministrados em sete cidades brasileiras – São Paulo, Campinas, Recife, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília – com a finalidade de aprimorar o conhecimento dos credenciados e consolidar a parceria entre o Ticket Car e as oficinas (Confira agenda de workshop abaixo).

“Durante os workshops esperamos reunir mais de 150 estabelecimentos de nossa rede credenciada em todo o país. Esta ação tem como objetivo ampliar o relacionamento com a nossa rede, tendo em vista a importância do estabelecimento em nosso negócio e em demonstrar o foco que temos em trabalhar com profissionais altamente qualificados”, explica Wilson Ponso, gerente de Serviços do Ticket Car.

Agenda:

12 e 13 de abril, das 09h às 17h – Recife

27/04 e 01/06, das 09h às 17h – São Paulo

03 e 04 de maio, das 09h às 17h – Porto Alegre

18/05, das 09h às 17h – Campinas

15/06, das 09h às 17h – Rio de Janeiro

05 e 06 de julho, das 09h às 17h – Salvador

13/07, das 09h às 17h – Brasília