Total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Na exportação, BRF e Marfrig detêm 72% do mercado de carne de aves | Notícias | AviSite - O Portal da Avicultura na Internet *

Na exportação, BRF e Marfrig detêm 72% do mercado de carne de aves | Notícias | AviSite - O Portal da Avicultura na Internet *

Sonegação recorde em usina de cana-de-açúcar

Uma operação da Secretaria Estadual da Fazenda, dentro do programa Malha Fina, descobriu uma sonegação gigante em uma usina do estado. A empresa - que não teve o nome divulgado - deixou de pagar R$ 7 milhões em ICMS por não registrar as notas fiscais de saída para destinatários de dentro e fora do estado.

Os fiscais verificaram que o contribuinte emitiu as notas, mas não lançou os documentos no registro de saída do Sistema de Escrituração Fiscal (SEF). Desta forma, o imposto devido acabou não sendo recolhido. Mas os clientes que compraram o produto fizeram o registro de entrada. Isso fez com que, a partir do cruzamento dos dados entre as partes, a infração fosse detectada.

Somando o imposto devido às multas previstas na legislação, os cofres estaduais vão receber R$ 19 milhões. “É meta da Secretaria da Fazenda aperfeiçoar cada vez mais o sistema arrecadatório do estado. Por isso estamos intensificando nossas ações fiscais sendo o cruzamento de dados por meio do Malha Fina essencial nesse processo. Os contribuintes devem se conscientizar e cumprir com o seu papel”, disse em nota o secretário da Fazenda, Paulo Câmara.

O programa da Malha Fina foi implantado em 2008 para combater a evasão fiscal. Ele realiza o cruzamento de informações entre diversas bases de dados, como o Sistema de Escrituração Fiscal, Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadoria (Sintegra), Sistemas Fronteiras, Administradoras de Cartão de Crédito, Simples Nacional, NF-e e Todos com a Nota.

Usuários do Ticket Car têm vantagem exclusiva na hora do táxi

O check-in não é o único momento de longa espera nos aeroportos. Outra fila também incomoda: as de táxis. Pensando nisso, o Ticket Car traz mais um benefício para os seus usuários. A partir de agora, usuários do produto terão mais conforto e praticidade na hora do embarque e desembarque no guichê Rádio Táxi Vermelho e Branco do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.
“Mais uma vez ampliamos o leque de produtos, serviços e parcerias para nossas empresas-clientes, estabelecimentos credenciados e usuários. Com essa iniciativa, queremos reforçar a liderança nacional do Ticket Car no segmento, aliando praticidade e ferramentas de gestão para despesas veiculares com frotas pesadas, leves e locomoção”, afirma Marco Mamari, diretor de Marketing e Produto do Ticket Car.

Sobre o Ticket Car
No mercado desde 1990, o Ticket Car é líder e pioneiro em gestão de frota, sendo o primeiro cartão com chip do País com operação 100% online. Inicialmente apenas para abastecimento, é uma linha de produtos e serviços para gestão de despesas de veículos, que inclui gestão de abastecimento e manutenção, serviços de assistência 24h, administração de bomba de combustíveis interna, entre outros. O Ticket Car atende, atualmente, a mais de seis mil empresas-clientes. Ao todo, são 330 mil veículos geridos, atendidos por uma rede de 10 mil estabelecimentos credenciados.

Fuel Card News Motoring Updates: Web searches for Aston Martin double ... - Fuelcards - HOTheadlines - Australian News Headlines

Fuel Card News Motoring Updates: Web searches for Aston Martin double ... - Fuelcards - HOTheadlines - Australian News Headlines

ANTT regulamenta o pagamento do frete

Dentre outras regras, ANTT proibiu a utilização da tão polêmica “Carta-Frete”
Marta Aline Lourenço Canato *
Após dez meses de publicação da alteração da Lei nº 11.442, de 05 de janeiro de 2007, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) regulamentou o pagamento do frete, consolidando, dentre outras regras, a proibição da utilização da tão polêmica “Carta-Frete”.
Anteriormente a Lei nº 11.442, alterada pela Lei 12.249, de 11 de junho de 2010, o pagamento do frete nas operações de transporte rodoviário era feito de forma livre, por meio de dinheiro, cheque, depósito bancário, cartões pré-pagos e pela Carta-Frete, modalidade mais utilizada pelo mercado.
A operação da Carta-Frete caracterizava-se pela emissão de um documento simples, desprovido de permissão legal e era utilizado como “ordem de pagamento” pelo contratante do transporte em favor do transportador autônomo. A Carta-Frete era entregue ao transportador autônomo que a utilizava para receber o valor da prestação de seus serviços, apresentando a ordem de pagamento nos locais indicados pelo contratante, no geral, postos de combustível credenciados ou vinculados. Estes, por sua vez, condicionam a disponibilização do dinheiro, inadequadamente chamada como “saque”, à aquisição de outros produtos e serviços pelo transportador naquele estabelecimento, muitas vezes, praticando preço majorado para o combustível em razão da apresentação da Carta-Frete como forma de pagamento.
Outra ilegalidade da Carta-Frete, que justificou na época a edição da Lei 12.249/2010, ratificando a restrição do pagamento do frete a crédito em conta de depósitos mantida em instituição bancária ou por outro meio de pagamento regulamentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), era as fragilidade de controle fiscal e tributário das operações de frete pagas pela Carta-Frete, trazendo benefícios ilusórios para as partes envolvidas na operação, onde a empresa contratante não recolhia o imposto de renda (IR) sobre os rendimentos pagos aos transportadores autônomos e estes, por sua vez, não recolhiam as contribuições previdenciárias e do Sistema “S” (conjunto de onze contribuições de interesse de categorias profissionais, estabelecidas pela Constituição), ficando impossibilitados de fazerem uso dos respectivos benefícios, inclusive de comprovar seus rendimentos.
Agora, com a publicação da Resolução nº 3.658/2011 pela ANTT, o pagamento do frete somente por ser feito por meio de (i) crédito em conta de depósito mantida pelo transportador autônomo em instituição bancária; e/ou (ii) por meio de pagamento eletrônico habilitados pela ANTT, consoante as regras estabelecidas no respectivo normativo.
A Resolução nº 3.658/2011, que tem 37 artigos tem como cunho trazer segurança para o mercado de frete, protegendo os direitos do transportador e da empresa contratante dos serviços de transporte. Traz ainda diversas regras de habilitação para as administradoras de meios de pagamento eletrônico de frete junto à ANTT, abrindo novas oportunidades para o mercado de cartões de meio de pagamento.
A Regulamentação da ANTT também estabelece regras operacionais de pagamento de frete, dentre elas, a obrigatoriedade de cadastro de Código Identificador da Operação de Transporte para cada frete. Além disso, a norma traz punições claras para cada participante da operação, como por exemplo, a empresa contratante que não realizar o pagamento do frete dentro das regras estabelecidas estará sujeita a multa de 100% do valor do frete, com limitação mínima de R$ 550,00 (quinhentos e cinquenta reais) e máxima de R$ 10.500,00 (dez mil e quinhentos reais). O transportador que não receber o frete na forma obrigatória estará sujeito a perder seu registro no RNTRC (Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga) e pagar multa de R$ 550,00 (quinhentos e cinquenta reais).
Com a efetivação da regulamentação do pagamento de frete, cabe agora a ANTT fiscalizar efetivamente essas operações, sendo que, durante os primeiros 180 dias de sua publicação, a fiscalização somente terá fins educativos, sem aplicação das sanções previstas, exclusivamente para as empresas contratantes e os transportadores. Após esse prazo, espera-se que as operações de pagamento de frete já estejam seguindo as regras da Resolução, que certamente beneficiará a todos os envolvidos.


* Marta Aline Lourenço Canato - sócia titular do escritório Rigo de Souza Advogados & Consultores – especialista em direito empresarial.
* Rigo de Souza Advogados & Consultores Jurídicos, com sede em São Paulo, possui filial em Porto Alegre (RS), tem escritório associado em Fortaleza (CE) e afiliados nas principais cidades do Brasil. Com mais de 12 anos de experiência no mercado, a banca atua na assessoria integral a empresas dos mais diversos portes e segmentos, tanto nacionais como estrangeiras, com trabalho de aquisições e fusões de empresas, elaboração e análise de contratos de todos os tipos, reorganizações societárias, planejamento fiscal e tributário, patrimonial e sucessório, licitações e contratação com órgãos públicos, privatizações, concorrências publicas, questões ambientais, trabalhistas, etc. Conta com um corpo de advogados altamente capacitados e especializados, cujas principais características são o conhecimento técnico-jurídico, a dedicação ao cliente, a criatividade e a iniciativa de trabalho. Recentemente atuou no processo de abertura do mercado de cartões brasileiro e vem trabalhando junto com seus clientes em novas operações nesse mercado, envolvendo assessoria jurídica nos projetos de tecnologia e meios de pagamento. Dentre outras especializações, o escritório tem forte atuação na área de energia, tecnologia e bancária. (www.rigodesouza.com.br)

Fuelcard News Motoring Updates: Many towns and cities have no electric car charging infrastructure, research shows 17/05/2011 16:18:15

Research by Chargemaster has shown that despite significant growth in the number of electric car charging points in the first quarter of this year, 61 per cent of UK towns and cities with a population of over 120,000 have no public charging infrastructure at all.
According to a report in Fleet News, the National Charge Point Index (NCPI) shows strong regional differences in deployment around the country.  London Newcastle and Oxford are the best-served locations.
Other key NCPI findings include:
·         704 charging bays available for public use across the UK
·         The number of points has more than doubled in the past year
·         A 48 per cent increase in charging bays over the last quarter alone.
First quarter growth comes as the first generation of electric vehicles hits the roads.  Some 43 new models will be brought to market over the next three years, including the Nissan Leaf, Mitsubishi I-MiEV, Peugeot iOn and the Citroen C-Zero.  Purchases will be subsidised by the government’s £5,000 Plugged-in car grant.
Despite this, lack of infrastructure is a major obstacle to widespread uptake for low carbon plug-in vehicles, which will be crucial in meeting strict EU emissions targets.
Chargemaster chief executive, David Martell, told Fleet News: “There is a long way to go before there is the coverage necessary to stop consumers worrying about where they may be able to charge their electric cars.”
In other news, companies are warned of an HMRC crackdown on fuel and mileage payment irregularities.

Plástico verde da Braskem recebe certificação da Vinçotte

Certificado traz validação internacional para um dos principais atributos do polietileno verde: seu conteúdo renovável.
O plástico verde da Braskem [www.braskem.com.br] acaba de receber da instituição Vinçotte a certificação máxima para produtos de conteúdo renovável. A certificadora belga é uma das principais referências no mundo neste tipo de avaliação.
Foram avaliadas amostras das famílias de PEAD (Polietileno de alta Densidade) e PEBDL (Polietileno de Baixa Densidade Linear) e, ao final, toda a linha de PE Verde recebeu a classificação máxima conferida pela Vinçotte, de quatro estrelas. O PE Verde da Braskem passa então a poder utilizar o selo ‘Ok Biobased’, identificação internacional concedida pela certificadora para produtos de fonte comprovadamente renovável.
Para a Braskem, a certificação confirma o reconhecimento internacional em relação ao conteúdo renovável do PE Verde, com reforço de credibilidade para o mercado e de criação de valor no relacionamento com os Clientes.
O plástico verde começou a ser produzido em escala industrial em setembro de 2010 com a inauguração da fábrica de sua matéria-prima, o eteno derivado de etanol, em Triunfo – RS. O PE Verde foi desenvolvido pela Braskem com o objetivo de ser totalmente reciclável e reutilizável, como os plásticos tradicionais, e capturar CO2 durante seu ciclo de produção, ajudando na redução de emissões dos gases do efeito estufa. Para cada tonelada de resina produzida, são capturadas até 2,5 toneladas de CO2 da atmosfera.
A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. Com 31 plantas industriais distribuídas pelo Brasil e Estados Unidos, a empresa produz anualmente mais de 15 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos.| MaxPR

Inspeção veicular rendeu R$ 55 milhões para o PIB de São Paulo, afirma estudo


Pesquisa de professor da FMUSP mostra que norma poupou 252 vidas na cidade
João Varella, do R7
Luiz Guarnieri/12.04.11/AELuiz Guarnieri/12.04.11/AE
Camada de poluição é vista sobre São Paulo
Publicidade
A obrigatoriedade dos caminhões de São Paulo fazerem a inspeção veicular em 2010 rendeu ao PIB (produto interno bruto) da cidade R$ 55,56 milhões (U$ 33,34 milhões), segundo estudo apresentado nesta quarta-feira (18) na FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Considerando que em São Paulo foram inspecionados 121.426 caminhões, isso significa que cada caminhão inspecionado rendeu R$ 456,62 ao PIB da cidade. Mesmo descontando a taxa de R$ 56,44 cobrada no ano passado, é ainda interessante para a cidade o ganha de R$ 400,18.

Para chegar a esse valor, o professor Paulo Saldiva, que é coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da FMUSP, cruzou os dados do quanto foi retirado da poluição do ar da cidade com a inspeção, o custo médio das internações e o quanto o trabalho de um paulistano médio rende.

Saldiva apresentou os dados nesta quarta-feira (18) em um auditório da FMUSP. Diante de autoridades da cidade, como o prefeito Gilberto Kassab (PSD), ele destacou que faz questão de fazer o cálculo em termos de dinheiro porque é esse elemento que sensibiliza os gestores públicos.

- Com o tempo, você aprende que a melhor maneira de sensibilizar o gestor público é falando de grana.

O cálculo é feito com base no Daly (anos de vida ajustados à incapacidade, na sigla em inglês), que é uma medida usada por órgãos internacionais que considera o quanto uma pessoa gera de riqueza em média ao longo da vida.

Para chegar a esse valor, Saldiva calculou que 252 pessoas morreriam de doenças cardiorrespiratórias em razão da fuligem que o diesel deixa no ar caso a poluição dos caminhões não houvesse sido ajustada na inspeção. Isso é cerca de metade do total de mortes por tuberculose no município, segundo Saldiva. Outras 298 teriam que ficar internadas. O impacto dessas internações seria de R$ 1,6 milhão (U$ 987 mil) no SUS (Sistema Único de Saúde) e sistema de saúde privado.

Em 2010, a frota registrada de veículos movidos a diesel era de 319.990.

Se todos os caminhões tivessem feito a inspeção veicular, o resultado seria ainda maior. Segundo Saldiva, o número de mortes evitadas subiria para 498; internações, 588; e o PIB da cidade ganharia U$ 65,7 milhões.

As projeções do impacto na saúde e no PIB ainda não foram feitos com os carros leves. Saldiva disse que pretende fazer isso em breve. Os veículos a diesel foram escolhidos para serem objetos de estudo primeiro por serem responsáveis por cerca de 40% de toda a poluição particulada de São Paulo. A chamada  frota circulante (descontando veículos que não trafegam mais e ainda não deram baixa no Detran) estimada é de 239.993.
Segundo cálculos do engenheiro Gabriel Murgel Branco, da empresa Enviromentality, a inspeção veicular sacou do ar da capital paulista poluição equivalente a 1,4 milhão de carros.

Bebês que nascem abaixo do peso normal, internações por doenças cardiorrespiratórias, infecções das vias aéreas, infertilidade masculina, redução significativa de recém-nascidos do sexo masculino, são algumas das consequências da poluição nas cidades, apontam estudos divulgados por pesquisadores brasileiros recentemente.

Inspeção
A inspeção veicular é obrigatória para toda a frota da capital paulista. O valor da multa para quem não passa pelo serviço é de R$ 550. Um cronograma de agendamento e realização da inspeção é estabelecido no início de cada ano, de acordo com o final da placa dos veículos. O agendamento deve ser feito no site da empresa responsável (www.controlar.com.br).

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS -

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS -

Cartão Combustível já comprova eficácia

Mais uma ação da Prefeitura de Pelotas, a utilização do Cartão Combustível, coordenada por intermédio da Secretaria de Gestão Financeira (SGF), voltada ao controle e à redução de despesas, já se consolida como exitosa. Somente nos três primeiros meses de 2011, o uso da ferramenta oportunizou uma economia aproximada a R$ 37 mil.
Conforme os dados apresentados pelo gestor da ferramenta e gerente Matricial de Despesas do Comitê da Qualidade da Prefeitura, Guilherme Àvila, a redução mensal média no período foi de R$ 12.263,14, somente na administração direta. O valor apontado tem como referência a despesa com combustível no mesmo período de 2010.
O Cartão Combustível foi adotado pela Prefeitura de Pelotas para utilização na frota da administração direta, e posteriormente foi ampliado o uso da ferramenta na indireta, com a utilização na frota do Serviço Autônomo de Pelotas (Sanep). Tal ferramenta proporciona um maior controle da frota da Prefeitura em tempo real pela Internet. A gestão on-line possibilita identificar os gastos por veículo, histórico da quilometragem e média de consumo por quilômetro/litro e tipo de combustível.
Com a ferramenta, a Prefeitura pretende gerenciar os veículos de forma mais eficiente e completa, tornando os processos organizacionais menos burocráticos e dispendiosos, além da segurança agregada ao uso do cartão. O próximo passo do Comitê, no controle de gastos com a frota, será a implantação da utilização do Cartão Manutenção, que deverá ser implantado ainda neste semestre.
O sistema de controle de abastecimento, assim como a inovação, o Cartão Manutenção, integram uma série de ações que a Prefeitura, por intermédio da Superintendência de Controladoria da SGF, com suporte do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), utiliza para manter o equilíbrio fiscal da municipalidade, e que, somado às receitas próprias, têm sido cruciais para superar a queda nos repasses de recursos oriundos da União.
Autor: Laura Alam - 1928- BA

Midia News | Economia | Vendas de máquinas agrícolas batem recorde de 66,8 mil unidades

Midia News | Economia | Vendas de máquinas agrícolas batem recorde de 66,8 mil unidades

Sustentabilidade: IBEF certifica cases de empresas

Da Agência Ambiente Energia - Certificar e premiar cases sustentáveis de empresas e administrações, a fim de estimular e divulgar os avanços na área de sustentabilidade. É o que busca o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) com a criação doo projeto Padrão IBEF de Sustentabilidade. O projeto, que conta com o patrocínio da Vale, Deloitte, Usinas e Cemig, incentiva as ações  que contribuam para o crescimento econômico, a preservação ambiental e o bem estar social no país. A iniciativa vai abordar pontos como responsabilidade ambiental, justiça social, viabilidade econômica, gestão, conflitos, governança e estrutura da operação.
A iniciativa do IBEF é voltada para qualquer empresa que tenha projeto na área de sustentabilidade. Para aprová-lo e certificá-lo, é preciso inscrever o projeto em uma das categorias da premiação, que são Valorização, Gestão, Governança, Administração de Conflitos e Estrutura da Operação. Os cases serão avaliados por um comitê técnico formado por 15 profissionais, de reconhecida atuação nas respectivas áreas.
O prazo de inscrição e entrega dos cases vai até o dia 31 de maio01/03/2011 a 31/05/2011 – Inscrição e entrega dos “cases”. A banca avaliadra examinará os projetos até o dia 15 de junho.  Os vencedores de cada categoria serão premiados em evento que será realizado em Julho de 2011, receberão o troféu / escultura Ecosofia, terão seus projetos divulgados pela instituição e serão convidados especiais nas palestras e seminários do IBEF.
Com base no livro “Avaliação de Investimentos Sustentáveis, e autoria de Marcos Rechtman (Diretor do IBEF) e Carlos Eduardo Frickmann, o projeto definiu um direcionamento estratégico. Os autores, por meio de pesquisas, estudos e orientações de profissionais da área, estabeleceram conceitos de direção e gestão empresarial, – a Metodologia do Pentágono em Sustentabilidade – caracterizando e disseminando a responsabilidade sócio-ambiental como paradigma complementar a performance econômico-financeira, permitindo a criação do projeto.
“É de responsabilidade do IBEF contribuir para o aprimoramento e fortalecimento do segmento das finanças corporativas, visando desenvolver princípios que somem valor as empresas, de modo a conciliar os interesses dos acionistas e da comunidade como um todo”, disse Marcos Varejão, Diretor Executivo do IBEF-Rio. “A viabilidade econômica é um dos pilares que norteiam o caminho da sustentabilidade. Ou seja, se a empresa não tiver condições de se autossustentar, não terá condições de praticar ações na área. O objetivo do projeto é levar a ideia do verdadeiro sentido da sustentabilidade, por meio de cases premiados e assim estimular a adoção de práticas viáveis”, completou.
Veja o regulamento do Projeto Padrão IBEF de Sustentabilidade no site da entidade www.ibefrio.org.br.

Câmaras discutem infraestrutura para o agronegócio

19 de maio de 2011 - 08:16h 
Autor: Mapa 

Representantes das 33 câmaras setoriais e temáticas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento se reuniram, nesta quarta-feira, 18 de maio, para o Seminário de Infraestrutura e Logística do Agronegócio. O objetivo do encontro é debater a infraestrutura e a logística necessárias para o desenvolvimento das cadeias produtivas do agronegócio. A reunião também pretende criar uma agenda estratégica com prioridades anuais de investimentos.

“Precisamos identificar as prioridades de cada uma dessas cadeias, consolidar e apresentar as necessidades e particularidades de cada um dos setores”, destaca o coordenador-geral de Apoio às Câmaras Setoriais e Temáticas, Aguinaldo Lima. O encontro busca, ainda, identificar maneiras de melhorar o sistema de transporte das cadeias que mais dependem de um rápido escoamento da produção -- carnes, grãos, produtos florestais e setor sucroalcooleiro. “As rodovias, ferrovias e portos são o principal gargalo do agronegócio”, diz Aguinaldo.

O setor portuário é o modal mais importante para o agronegócio brasileiro. Hoje, cerca de 95% de todos os produtos agropecuários exportados pelo país passam pelos portos. “A fruticultura da Região Nordeste, o café produzido no Sudeste e o fumo do Sul são exemplos de cadeias produtivas que dependem do uso de contêineres para armazenagem em portos brasileiros até a exportação”, explica o consultor para Logística e Infraestrutura da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Luiz Fayet, que também é membro da Câmara Setorial de Infraestrutura e Logística do Ministério da Agricultura.

O consultor afirma que é necessário aprimorar o modal para igualar o Brasil aos padrões internacionais portuários. A deficiência no sistema de contêineres nos portos, o excesso de tributação e as taxações inadequadas são citadas pelo especialista como pontos que merecem atenção.

Ao término do seminário será elaborado um documento com as principais demandas de cada um dos setores produtivos com representação nas câmaras setoriais e temáticas do Ministério da Agricultura. Na próxima reunião de Infraestrutura e Logística, o documento será apresentado e avaliado pelos membros da câmara. 

Alta do petróleo afetou resultados das refinarias da Petrobras

DA AGÊNCIA BRASIL

O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, admitiu nesta segunda-feira que a política de não repassar a volatilidade do preço do barril de petróleo ao mercado nacional contribuiu para o prejuízo de R$ 95 milhões no setor de abastecimento, no primeiro trimestre deste ano. Segundo a Petrobras, nesse período, o preço do barril de petróleo do tipo brent aumentou 37%, sem que houvesse repasse desse aumento para o consumidor brasileiro.

No primeiro trimestre do ano passado, o setor de abastecimento havia tido um lucro de R$ 1,1 bilhão. O aumento do preço do petróleo no mercado internacional nos últimos meses tem sido provocado, principalmente, pela instabilidade política nos principais centros exportadores de petróleo no mundo: o Norte da África e o Oriente Médio.

"O efeito fica no abastecimento e isso vai existir enquanto a diferença continuar acontecendo no mercado internacional. Se houver tendência de estabilidade do preço internacional, isso pode levar a um reajuste [dos derivados]. Se houver manutenção da incerteza [do preço do petróleo no mercado internacional], o resultado do abastecimento refletirá essa instabilidade", disse Barbassa.

Apesar do prejuízo específico na área de Abastecimento, a empresa teve um lucro recorde de R$ 10,98 bilhões no primeiro trimestre deste ano, segundo balanço divulgado na última sexta-feira. Entre os fatores que contribuíram para isso, está o aumento de 7% na venda de combustíveis.

Segundo Barbassa, o resultado mostra que a empresa está executando bem seus projetos. "O lucro recorde foi resultante de maior produção, maior volume refinado, maior volume de produtos vendidos. No refino, tivemos as refinarias operando com 90% de sua capacidade. O câmbio é um outro fator que teve uma influência grande em relação ao primeiro trimestre de 2010", disse o diretor.

Apenas o câmbio foi responsável por um ganho contábil de R$ 2 bilhões no período, decorrente da valorização do real frente ao dólar. Isso porque muitas dívidas da empresa são atreladas à moeda norte-americana.

De acordo com Barbassa, a empresa também acelerou, no primeiro trimestre deste ano, a perfuração de poços do pré-sal na Bacia de Santos. De 2007 a 2010, a Petrobras concluiu a perfuração de 20 poços na região. Apenas nos três primeiros meses, foram perfurados oito poços para a execução de testes de longa duração.

"Isso é muito positivo para a empresa, porque a perspectiva que tínhamos está se confirmando. Temos uma produção esperada, por poço, de 20 mil barris por dia. Com essa produtividade, o custo médio acaba caindo", disse Barbassa.

O diretor da Petrobras disse ainda que a empresa já captou cerca de US$ 8 bilhões no mercado internacional e em instituições financeiras para sustentar os investimentos da estatal neste ano, apesar de a Petrobras ter feito uma grande capitalização no ano passado.

"É uma visão de longo prazo. Temos que estar preparados para sustentar a implementação desse plano que é hoje o maior plano de investimentos de uma empresa no mundo", disse Barbassa, que afirmou que a Petrobras prevê investimentos de R$ 93 bilhões neste ano. No ano passado, os investimentos totalizaram R$ 76 bilhões de R$ 89 bilhões previstos.

Preço do etanol deve continuar caindo, diz BR Distribuidora

‘Com a entrada da nova safra, há a expectativa de redução’, disse executivo.
Ele negou que redução de preços tenha sido determinada pelo governo.
Bernardo Tabak
Do G1 RJ
imprimir
O presidente da BR Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, afirmou, na tarde desta quarta-feira (18), que a tendência é que o preço do etanol continue cair nas próximas semanas, o que também pode representar a queda no preço da gasolina, que tem etanol anidro na mistura. “Com a entrada da nova safra, há a expectativa de continuidade da redução dos preços do etanol. Não sei para que patamar vai voltar, mas, em 2010, o etanol ficou abaixo de R$ 1 o litro”, afirmou.
Questionado sobre se recente redução do preço do etanol não havia sido uma determinação do governo federal em uma tentativa de conter a alta do preço de combustíveis, Andrade Neto não respondeu a pergunta diretamente, e explicou que a queda foi apenas por causada pela variação do mercado.
“Foi exatamente isso que aconteceu: o preço subiu por causa do anidro, e desceu por causa do anidro”, enfatizou Andrade Neto. “Se vocês olharem os gráficos de queda dos preços do etanol anidro, que tinha chegado a R$ 2,80, na semana anterior a BR anunciar a redução de preço já estava em torno de R$ 1,60. Hoje já tem álcool anidro negociado a R$ 1,25, R$ 1,30”, explicou.
Consumo chegou a ser de 93% de gasolina e 7% de etanol
De acordo com Andrade Neto, o aumento dos preços do etanol e da gasolina é explicado pelo fato de a safra da cana-de-açúcar no Brasil terminar em dezembro, e a produção ser retomada apenas quatro meses depois, em meados de abril, início de maio. “A gasolina subiu não por conta dos preços na refinaria da Petrobras, mas por causa do aumento do preço do etanol”, acrescentou ele.
Por conta da alta, Andrade Neto disse que o consumo de gasolina chegou a ser de 93%, no final de abril, contra 7% de etanol. “Até dezembro de 2010, as vendas da BR eram de 75% de gasolina, e 25% de etanol”, explicou. “Agora, o consumo de gasolina já está abaixo de 90%, e o álcool passou a ser mais competitivo”, acrescentou.
Aumento da frota de carros flex pressiona preço do etanol
O aumento da frota de carros flex é outro fator que pode contribuir para pressionar o preço do etanol, e fazer com que ocorra uma queda menor, mesmo com o aumento da produção. “A demanda vem crescendo. A frota de automóveis flex no Brasil vem crescendo. A questão é que a produção de álcool foi menor do que a demanda”, comentou.
“Como tendência, já que a safra está começando, é os preços continuarem em queda”, afirmou o presidente da BR. “Assim que houver um momento em que a gente julgue adequado fazer uma nova redução, provavelmente faremos”, disse Andrade Neto, sem especificar o quanto o preço cairia, nem quando.

Governo freia a exportação de etanol

O governo brasileiro impôs uma operação para limitar as exportações de etanol. Utilizando esse método, aqueles navios que não possuem o documento regularizado (registro de exportação), que é expedido pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), se vêem obrigados a permanecer no porto por um período que chega às vezes a mais de 30 dias.

Considerando que aproximadamente US$ 50 mil é o custo das usinas para manter um navio parado no porto, o prejuízo está sendo grande, pois na sexta feira foi constatado que 3 navios estavam parados no porto com cerca de 50 milhões de litros de etanol.

Já que esse documento é essencial para que se consiga a Declaração de Despacho de Exportação, o governo aparentemente está conseguindo, com isso, forçar a queda no preço do combustível no mercado interno. Os resultados são informados pelo ANP como queda de 13,1% no preço do etanol e 1,92% no valor da gasolina, entre as duas primeiras semanas do mês de maio.

Se tudo mantiver seu curso como está, segundo a ANP, provavelmente obteremos uma nova queda no preço dos dois combustíveis. O objetivo dessa medida adotada é de que  evite a exportação do etanol aumentando assim a oferta do combustível no mercado nacional.

Existem divergências nas opiniões, uns apóiam, outros não, porém um fato é que “como o consumo interno está muito forte, não há excedente para exportar. A nossa prioridade é atender ao mercado local”, disse Sérgio Prado, representante de Única. Mas, se as melhorias realmente serão significativas, só o tempo dirá.

Fontes Estadão e Automotive Business

Accentiv’ Mimética fecha parceria com O Melhor da Vida para ações de Experience Marketing

Trabalhando com foco e ações de motivação, conquista, fidelização de clientes e reconhecimento junto ao mercado, a Accentiv’ Mimética, especializada em programas de incentivo, gestão de comportamento e relacionamento com cliente, fechou contrato com a agência O Melhor da Vida, pioneira no conceito de Experience Marketing no Brasil.

O objetivo foi incrementar experiências como novas e diferentes formas de incentivo junto aos clientes em que a Accentiv’ Mimética presta serviços, indo além dos tradicionais eletroeletrônicos, a fim de aplicar o conceito e a prática do Experience Marketing.

A partir de cada projeto desenvolvido junto ao mercado, a Accentiv’ Mimética insere no plano de ação de incentivo e relacionamento o Color Box, produto do O Melhor da Vida oferecido como uma espécie de vale presente, em diversas opções para escolha de experiências que vão desde um jantar romântico, passando por vôos de balão até um passeio de Ferrari.

O Color Box selecionado é definido de acordo com o tipo de ação desenvolvida e por faixa de preço alinhada ao perfil do cliente interno ou externo a ser beneficiado. Os premiados normalmente são clientes dos clientes da Accentiv’ Mimética - que investem nas ações para programas de fidelidade -, funcionários de empresas que premiam pela performance das equipes e premiação de parceiros, que envolvem distribuidores de produtos dos clientes da empresa que buscam presentear com experiências vivenciais a partir das metas cumpridas nas vendas realizadas.

“O fato de incluirmos o conceito de Experience Marketing em nossas ações junto ao cliente está atrelado a um esforço de performance para melhor qualidade de vida com experiências que contribuem para que o premiado saia da rotina e alivie o stress. Estamos proporcionando uma experiência de algo realmente novo, saindo do convencional. Quando esse público recebe o Color Box, as experiências tornam-se objetos de desejo”, explica Odair Silva, Coordenador de Trade Marketing da Accentiv’ Mimética.

Entre alguns dos resultados alcançados com a parceria junto ao Melhor da Vida, a Accentiv’ Mimética atribui como principais pontos a fidelização de clientes e a conquista de novas contas.

Sobre O Melhor da Vida:

Com cinco anos de atuação, O Melhor da Vida foi a primeira agência de Experience Marketing do Brasil e já realizou mais de 350 mil experiências com ações 100% planejadas para seduzir o cliente e despertar 5 pontos de contato entre empresas e público alvo: relacionamento, fidelização, motivação, incentivo e premiação. A empresa também tem forte atuação na área de eventos de experiência como diferencial para proporcionar melhor relação entre marcas e públicos. São mais de 2,5 mil experiências espalhadas por todo o mundo, onde a missão é quebrar a rotina com presentes como: sentir novas sensações, tocar os céus em um maravilhoso voo de balão, mergulhar nos fabulosos oceanos, explorar a natureza, desafiar a velocidade ou simplesmente passar um dia em um dos spas mais luxuosos do país. A empresa proporciona o encontro de experiências e sonhos de forma simples, rápida e divertida.

Acesse: www.omelhordavida.com.br

Edenred marca presença no esporte e patrocina piloto da Stock Car Luciano Burti

A Edenred, líder mundial em cartões e vouchers de serviços pré-pagos, que no Brasil integra as marcas Ticket e Accentiv´Mimética, acredita e incentiva o esporte e a cultura no país. A nova aposta da empresa é o sucesso da Stock Car, que marca a largada da inédita parceria com o patrocínio do consagrado piloto Luciano Burti.

Já para a próxima etapa em Nova Santa Rita (RS), que acontece em 15 de maio, a Edenred estará presente no apoio ao piloto. Daqui para frente, isso acontecerá em todas as fases da corrida até o final da temporada 2011, o que reforçará ainda mais a presença da marca no segmento esportivo. “Apoiamos o piloto Luciano Burti, pois acreditamos que o esporte também faz parte do crescimento e evolução do profissional. Além da alimentação, estamos focados em proporcionar acesso à cultura e ao esporte, afinal, o trabalhador também precisa de diversão e arte”, afirma Gustavo Chicarino, diretor de Estratégia, Marketing e Novos Negócios da Edenred.

Além de piloto automobilista, Luciano Burti é comentarista da Fórmula 1 da Rede Globo. É conhecido por correr na F1 pela Ferrari, Jaguar e Prost e desde 2005 disputa a Stock Car na equipe Itaipava Racing Team. Nessa edição da competição, Luciano vem tendo um bom desempenho e ocupa a 12° posição na classificação geral.

Inclusão social e riqueza cultural

A Edenred, em especial a Ticket, apoia projetos sociais para a democratização da cultura e do esporte há anos, como é o exemplo da Semana Ticket Cultura & Esporte, que já atraiu, desde 2007, mais de 300 mil pessoas com atividades gratuitas para toda população. “O nosso objetivo principal ao organizar o evento, é incentivar e levar cultura, esporte e educação por meio de uma programação de qualidade e totalmente gratuita, atingindo o maior número de pessoas possível, em todas as regiões de São Paulo”, diz Rodrigo Cândido, gerente de Marketing e Comunicação Institucional da Edenred.

Serviço

15 de maio - NOVA STA. RITA/RS
05 de junho - CAMPO GRANDE/MS
03 de julho - JACAREPAGUÁ/RJ
07 de agosto - SÃO PAULO/SP
04 de setembro - SALVADOR/BA
18 de setembro - STA. CRUZ DO SUL/RS
02 de outubro - LONDRINA/PR
16 de outubro - BRASÍLIA/DF
06 de novembro - NOVA STA. RITA/RS

Sobre a Edenred

Criadora do Ticket Restaurante® e líder mundial em cartões e vouchers de serviços pré-pagos, no Brasil, a Edenred integra as marcas Ticket® e Accentiv´Mimética, oferecendo soluções que proporcionam maior bem-estar às pessoas e apoio ao melhor desempenho das empresas
As soluções oferecidas pela Edenred estão divididas em 3 famílias de soluções:

- Benefícios para os trabalhadores e cidadãos na área de alimentação (Ticket Restaurante e Ticket Alimentação), Transporte (Ticket Transporte) e de qualidade de vida (Ticket CESU, Childcare Vouchers, entre outros);
- Gestão de despesas profissionais (Ticket Car);
- Programas de incentivo e recompensa (Top Premium, Presente Perfeito).

Cotada na Bolsa de Valores de Paris, a Edenred está presente em 40 países e conta com 6 mil colaboradores, cerca de 530 mil empresas-clientes, 1,2 milhão de estabelecimentos credenciados e 34,5 milhões de usuários. Em 2010 seu volume de emissão em cartões e vouchers foi de 13,9 bilhões de Euros, sendo mais de 55% em países emergentes.

"Santa Catarina tem o diesel mais barato do Brasil"

esquisa da Ticket Car, que levanta os preços dos combustíveis em todo o País, revelou que o Estado de Santa Catarina oferece o menor preço para o diesel combustível.

A rodovia BR 153, que corta os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Tocantins, é a opção que oferece o menor preço do Brasil.

Em Santa Catarina o motorista paga, em média, R$ 1,89 pelo litro do combustível, enquanto no estado do Mato Grosso o preço do litro é R$ 2,28, o mais caro do Brasil, segundo a pesquisa. Veja os preços do diesel em todos estados do País, segundo a Ticket Car.

A mesma pesquisa mostra que, nas zonas urbanas, Minas Gerais tem os menores preços para o óleo diesel, onde a média cobrada é de R$ 1,949 por litro.
Fonte: Auto Informe

Facebook e Microsoft unidas por um ideal Desde o dia 16 de maio, na última segunda-feira, as empresas Facebook e Microsoft se uniram para combater a poderosa empresa de busca na internet, a empresa Google.

A briga entre as grandes empresas no mundo da informática e tecnologia está grande. Desde o dia 16 de maio, na última segunda-feira, as empresas Facebook e Microsoft se uniram para combater a poderosa empresa de busca na internet, a empresa Google.
A estratégia adotada pelas empresas foi usar o Bing com a ajuda da rede social Facebook para assim conseguir tornar seus resultados mais eficientes. Nessa estratégia, três ferramentas foram acrescidas ao plano de combate; as ferramentas são: o Trusted Friends, o Collective IQ e o Travel Features, cada ferramenta com sua característica, assim conseguindo aproximar mais os dois serviços.
Mas para que tudo isso funcione corretamente, o internauta precisa estar conectado na rede social Facebook quando for acessar o site de busca da Microsoft, o Bing, para que assim, quem estiver usando a ferramenta, sinta os efeitos. Desta maneira, o usuário poderá colocar fotos dos amigos do usuário que curtiram o assunto pesquisado junto aos resultados, com a ajuda da ferramenta Trusted.
O uso da ferramenta Collective, funciona da seguinte maneira: quando uma empresa oferecer descontos em anúncios na rede social, o usuário conseguirá ver a mesma oferta no site de busca Bing e assim se um anúncio tiver muitos “likes”, este mesmo aparecerá nos resultados também.
Já no uso da ferramenta Travel, ajudará o usuário a ver resultados de busca por um local onde estiveram, moraram, ou até mesmo pretendam viajar. Sendo assim, quem estiver fazendo a busca no “botão curtir” por um preço de passagem, as atualizações nos valores das mesmas, serão publicadas na news feed do usuário.
Essas mudanças não chegam a assustar o Google, mas de certa maneira, mostra o empenho das empresas Facebook e Microsoft para tentar pressionar e assim atrair mais usuários para suas páginas na internet, tirando um pouco a mística de que as buscas devam ser feitas somente pela página da empresa Google.

Edenred Applauds Congressman Blumenauer for Unveiling Legislation To Improve Commute Alternatives

BOSTON - (BUSINESS WIRE) - Edenred, the premier provider of national commuter benefit programs, Commuter Check and WiredCommute, would like to thank Congressman Blumenauer for introducing the Commuter Relief Act. This important piece of legislation will provide real options to commuters who need them the most. With rising gas prices, increasing congestion, and a heightened awareness of environmental and personal health, Americans are looking for new ways of getting to and from work. The Center for Neighborhood Technology estimates that, on average, 27% of a family's income goes towards transportation cost. With gas prices again soaring above $4.00/gallon in much of the country, the need to incentivize alternative commuting options has never been greater.

Commuter benefits allow pre-tax deduction amounts of $230 per month for transit, vanpool, and parking expenses. In addition, it allows employers to subsidize up to $20 per month for commute-related bicycle expenses. The net result of this benefit is a reduction in commuting costs for employees and payroll taxes for employers, a less-stressed more productive workforce, less congested highways, cleaner air and a demonstrated commitment to the triple bottom line (people, planet and profit). Over the past four years, employers participating in commuter benefits with Edenred saved over $75 million in payroll taxes. Commuter benefits industry wide the estimated payroll tax savings to employers over the same time period is just shy of $275 million. What would you, as business professional, do with the savings...hire new employees, invest in research and development, or increase your marketing budget? These are just a few of the ways employers using their savings.


Unless action is taken, the cap on transit and vanpool will reduce from $230/month to $120/month at the end of this year while parking will remain the same; thereby giving a financial incentive to drive alone to work. The Commuter Relief Act introduced today takes that action. By establishing parity between transit and parking benefits at $200/month, this legislation will eliminate the financial incentive to driving alone while also making the transit portion of the benefit more flexible by encouraging companies to create and expand vanpool programs. This is all done without increasing the federal debt one dollar.

About Edenred USA

Edenred USA is a leader in innovative employee benefits solutions and premier provider of national commuter benefit programs: Commuter Check, a nationwide commuter benefits program provider; and WiredCommute, a private label program for third party administrators. Its mission is to make tax-free commuter benefits a staple in employee benefits packages throughout the American workplace - while helping protect the environment.

About Edenred Group

Edenred, which invented the Ticket Restaurant meal voucher and is the world leader in prepaid corporate services, designs and delivers solutions that make employees' lives easier and improve the efficiency of organizations.

By ensuring that allocated funds are used specifically as intended, these solutions enable companies to more effectively manage their:

Employee benefits (Ticket Restaurant, Ticket Alimentación, Ticket CESU, Childcare Vouchers, Commuter Check, WiredCommute etc.)
Expense management process (Ticket Car, Ticket Cleanway, etc.)
Incentive and rewards programs (Ticket Compliments, Ticket Kadeos, etc.)
The Group also supports public institutions in managing their social programs.

Listed on the NYSE Euronext Paris stock exchange, Edenred operates in 40 countries, with 6,000 employees, nearly 530,000 companies and public sector customers, 1.2 million affiliated merchants and 34.5 million beneficiaries. In 2010, total issue volume amounted to €13.9 billion, of which 55% was generated in emerging markets.

Ticket Restaurant and all other tradenames of Edenred products and services are registered trademarks of Edenred SA.



Edenred
Jeremy Doak, +1 857-228-1449
Director of Marketing
jeremy.doak@edenredusa.com