Total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Edenred has been accepted in the FTSE4Good ethical index

Edenred has been accepted this year as a member of the FTSE4Good Index Series thanks to its commitment in terms of social and environmental responsibility.
 
The FTSE4Good series of ethical stock-market indexes was designed to measure the performance of companies that meet internationally accepted standards in terms of social responsibility. This recognition follows an analysis by the rating agency EIRIS on a variety of themes, such as environment, governance, human rights, training, or
diversity policies.
Among the 305 companies rated by the FTSE4Good index, only 45 are French.
 
Edenred’s membership strengthens the Group's corporate social responsibility policy.

Dólar fecha a R$ 1,59 após 3 dias de baixa; Bovespa avança 0,40%

Em três dias a taxa de câmbio doméstica derreteu mais de 1%, em cima da expectativa dos mercados de que o drama grego tenha um desfecho positivo.

O parlamento grego deve votar nas próximas horas uma moção de apoio ao novo gabinete do primeiro-ministro George Papandreou.

Esse voto de confiança é visto como "o primeiro passo" para que o país mediterrâneo aprove as severas medidas fiscais exigidas pela União Europeia e os organismos internacionais para liberar as novas parcelas do pacote de socorro financeiro de 110 bilhões de euros acertado no ano passado.

"Se a Grécia conseguir completar essas reformas econômicas, a aversão a risco tende a diminuir bastante", avalia Mário Paiva, analista da corretora BGC Liquidez. "Não vai ser bom para ninguém que a Grécia entre em 'default' [suspensão dos pagamentos]", acrescenta.

Os mercados, por enquanto, concentram suas fichas de que o parlamento grego deve aprovar as duras medidas para cortar gastos públicos, vender divisas do Estado, de modo a melhorar o estado das contas nacionais. "Eles somente têm duas opções: ou aprova, ou aprova", ironiza Paiva.

Refletindo essa confiança das praças financeiras, o euro teve mais uma jornada de recuperação: o preço subiu de US$ 1,4305 ontem para US$ 1,4416 neste expediente.

No front doméstico, o dólar comercial oscilou entre R$ 1,597 e R$ 1,587, para encerrar a sessão sendo negociado por R$ 1,590, em um decréscimo de 0,31% sobre o fechamento de ontem. Já o dólar turismo foi vendido por R$ 1,700 e comprado por R$ 1,530 nas casas de câmbio paulistas.

O Banco Central fez mais um de seus leilões de câmbio "tardios", após as 16h (hora de Brasília), e aceitou ofertas por R$ 1,5882 (taxa de corte).

Ainda operando, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) ganha 0,40%, aos 61.412 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,5 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York valoriza 1%.

JUROS FUTUROS

As taxas projetadas mercado futuro da BM&F subiram no pregão desta terça-feira.

Entre as notícias mais importantes do dia, a inflação medida pelo IPCA-15 teve variação de 0,23% em junho, ante 0,70% em maio. Nos 12 meses, a inflação acumulada é de 6,55%. Economistas do setor financeiro projetavam uma taxa de 0,17% para o período.

O IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado) teve deflação de 0,21% na segunda estimativa prévia deste mês. Em maio, a inflação para o mesmo período foi de 0,66%. Analistas previam uma deflação de 0,15%.

No contrato de julho (a exceção do dia), a taxa prevista recuou de 12,13% ao ano para 12,12%; para janeiro de 2012, a taxa projetada avançou de 12,42% para 12,45%. E no contrato para janeiro de 2013, a taxa prevista ascendeu de 12,49% para 12,56%. Esses números são preliminares e estão sujeitos a ajustes.

Extraído de: Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina  - 21 de Junho de 2011 istema multimídia para gerenciamento da frota do governo Compartilhe

Anúncios do Google
CT-e Emita pela internet
Emita você mesmo seu CT-e. precisa de um sistema só para isso.
www.gcte.com.br
Programa desenvolvido pelo Ciasc e D-Gov é apresentado aos gestores públicos pelos auditores do Grupo de Especialistas em Despesas Veículos Oficiais

Com um mês de operação, mais de 140 usuários já foram cadastrados e têm acesso às informações sobre veículos da frota do governo do Estado, o que possibilitará um desempenho mais eficiente da gestão e tomada de decisão por parte dos gestores. O Sistema Gestão Multimídia desenvolvido pelo Ciasc está sendo oferecido aos gestores públicos pelos auditores que compõem o Grupo de Especialistas em Despesas Veículos Oficiais (GED Veículos Oficiais), da Diretoria de Auditoria Geral da Fazenda.

O novo sistema permite a tomada de decisões de governo sobre uma visualização tridimensional de informações como mapas, tabelas e gráficos na Internet. Além disso, vai agrupar as informações sobre a frota, calculada em torno de 9 mil veículos, que hoje rodam nos sistemas DetranNet e Patrimonial.

A mesma tecnologia será aplicado pela Diretoria de Gestão de Governança Eletrônica (DGov) da Secretaria da Administração para controle das despesas de governo em energia elétrica, água, correio, imóveis, telefonia.

De acordo com o auditor interno do Poder Executivo Jaime Luiz Klein, as visões apresentadas pelo Sistema Gestão Multimídia contemplam todos os veículos oficiais do Estado, sendo atualizadas a partir das bases de dados dos Sistemas DetranNet e Patrimonial, reunindo num só local todas as informações sobre o tema.

Como foi desenvolvido o sistema

A Diretoria de Gestão de Governança Eletrônica (DGOV) da Secretaria de Estado da Administração, responsável pela gestão de tecnologia da informação e governança eletrônica do Estado, está coordenando e fomentando as ações de disponibilização de dados.

O Sistema Gestão Multimídia foi desenvolvido integralmente pelo CIASC para plataforma web. Utiliza a tecnologia de Data Warehouse para estruturar dados oriundos de diversos sistemas informatizados do governo, transformando-os em informação necessária ao processo de gerenciamento e tomada de decisão.

Até o momento, estão disponíveis informações atualizadas sobre as funções administração, fazenda, educação, comunicação e segurança pública, sendo que algumas já podem ser acessadas pela sociedade Catarinenses, como é o caso da "Segurança em números" e "Indicadores" da Educação", acessíveis a partir dos sites http://www.ssp.sc.gov.br/ e sistemas.sed.sc.gov.br/serieedu/hinicial.aspx.

(Com colaboração de Benta Regina Moreira de Farias, coordenadora de Marketing e Produtos do Ciasc)

Férias de julho: American Express GlobalTravel Card anuncia parcerias inéditas

As parcerias proporcionam aos portadores do cartão vantagens nos principais outlets dos Estados Unidos e no Parque Universal na Flórida.

As férias de julho estão se aproximando e, com isso, milhões de brasileiros já começaram a planejar suas viagens para o exterior. Esse mês, em especial, registra recorde de decolagens e gastos, já que é o período das férias escolares e também é possível aproveitar o verão nos países do Hemisfério Norte. Segundo dados do Banco Central, os turistas brasileiros gastaram no exterior US$ 1,53 bilhão em julho de 2010, um recorde para todos os meses.

Além de decidir o destino, onde se hospedar, entre outros aspectos, é importante que o viajante também analise a melhor opção de pagamento para utilizar durante esse período e essa decisão deve ser tomada antes do início da viagem. Nesse contexto, o cartão pré-pago American Express GlobalTravel Card mostra-se uma excelente opção, que proporciona o máximo de segurança e conveniência aos viajantes brasileiros. O Cartão pode ser encontrado nos bancos Bradesco e Itaú.

Parceria com o Simon Malls -A American Express firmou parceria com o Simon Malls, grupo que detém os principais shoppings dos Estados Unidos. A partir de julho os Associados ao American Express GlobalTravel Card vão receber benefícios exclusivos nos shoppings e outlets mais importantes da Florida: Dadeland Mall (Miami), Florida Mall (Orlando), Premium Outlet (Orlando, próximo da Disney World), Premium Outlet (Orlando, próximo da Universal Studios) e Sawgrass Mills Mall (Miami).

Cada cliente que adquirir o American Express GlobalTravel Card receberá Presentes Exclusivos: .Um American Express® Simon Giftcard® com US$ 25 para compras |.Um presente especial no valor de US$ 25 ou mais |. Um catálogo com centenas* de dólares em descontos em compras |.Descontos especiais em hotéis próximos aos shoppings participantes: Marriott Dadeland, Courtyard by Marriott, The Florida Hotel, Hyatt Regency Bonaventure Conference Center, Walt Disney World Swan e Dolphin Resort

O voucher é entregue ao cliente no momento da aquisição do American Express GlobalTravel Card ou pode ser impresso diretamente da página do Cartão (www.americanexpress.com.br/globaltravel). A troca pelos Presentes Exclusivos deve ser feita diretemante no Balcão de Informações ou Serviço de Atendimento dos shoppings participantes. Ao receber o voucher o cliente passa a ter acesso aos códigos promocionais para fazer reservas com descontos especiais nos hotéis parceiros.

Para receber o catálogo de descontos, o presente especial no valor de US$ 25 ou mais e o American Express® Simon GiftCard® com US$ 25 para compras., o cliente deve apresentar seu voucher, o GlobalTravel Card e uma identificação com foto.O cliente tem direito de utilizar o voucher somente uma única vez em um dos shoppings participantes. A parceria é válida de julho a dezembro 2011, com possibilidade de prorrogação.

Parceria com o parque Universal -A American Express é o meio de pagamento oficial do parque Universal em Orlando. Utilizando o American Express GlobalTravel Card é possível aproveitar vantagens e ofertas especiais do parque.

O cliente também tem acesso ao Lounge American Express no Universal Studios® ao adquirir no site (www.universalorlando.com) ou no portão principal do parque qualquer ingresso Universal Orlando® Multi-Park ou o Annual Pass (passe anual) com o American Express GlobalTravel Card.

Os turistas brasileiros que possuem um cartão American Express GlobalTravel Card podem relaxar no lounge durante a tarde e aproveitar aperitivos, drinks, serviço de concierge e outras vantagens. O Lounge American Express está aberto sete dias por semana das 12h às 17h e está localizado em frente da loja de souvernir do Shrek.

Para ter acesso ao lounge exclusivo da American Express no Universal Studios®, basta apresentar a página de confirmação de compra ou o recibo original junto com o o cartão American Express. [www.universalorlando.com/Tickets/special_offers/american_express/special_offers.aspx?ComponentId=1666&SourcePageId=7805#4) ].

American Express GlobalTravel Card -O Cartão foi desenvolvido pela American Express a partir de pesquisas de mercado realizadas com os consumidores. Entre os benefícios mais citados, os viajantes brasileiros consideraram como extremamente/muito importante: .Ausência de tarifa de inatividade e saldo que nunca expira (90% dos entrevistados) |. Substituição gratuita do Cartão e acesso a fundos de emergência sem custo adicional (89% dos entrevistados) |.Acesso aos serviços exclusivos American Express Global Assist® (89% dos entrevistados). Além dos diferenciais explicados abaixo, a American Express traz novidades especiais para os turistas que viajarem para os Estados Unidos.

Diferenciais -O American Express GlobalTravel Card apresenta benefícios únicos no mercado para os viajantes brasileiros: Cartão reserva: O Consumidor recebe no ato da compra um cartão principal e outro reserva. |.Reposição grátis de cartão: em caso de perda ou roubo, o consumidor não tem custos com a substituição. |. Fundos de emergência: acesso sem custo adicional no caso da perda ou roubo dos Cartões Principal e Reserva |.Ausência de taxa de inatividade: o consumidor não tem custo adicional se ficar sem utilizar o cartão. |. Ausência de taxa de aquisição: o consumidor não tem custo para adquirir o cartão |. Fundos que nunca expiram: o saldo fica armazenado no cartão. |.American Express Global Assist: programa que disponibiliza um serviço de suporte para emergências 24 horas por dia, sete dias por semana; acesso a médicos e advogados; assistência para passaporte; assistência para perda e roubo de bagagem;

. American Express SelectsTM: benefício exclusivo da American Express traz uma lista de estabelecimentos no exterior que oferecem descontos e promoções especiais. A lista é atualizada freqüentemente. Disponível no site: (americanexpress.com.br/selects) | Benefícios - Taxa de câmbio: é fixada no momento da aquisição ou recarga do Cartão, evitando flutuações da taxa de câmbio. |.Compras online: permite a realização de compras online, em lojas no exterior. |.Facilidade: basta assinar os comprovantes de compra nos estabelecimentos e usar a senha nos caixas eletrônicos (ATMs) |.Ampla aceitação: pode ser utilizado em milhões de estabelecimentos e caixas eletrônicos (ATMs) onde os Cartões American Express são aceitos ao redor do mundo, independente da moeda do Cartão. |.Saldo online: os clientes podem checar o saldo no site americanexpress.com.br/globaltravel ou pelo telefone onde quer que estejam, 24 horas por dia, sete dias por semana. |.IOF: utilizando o Cartão, os consumidores pagam somente 0.38% de IOF em vez de 6.38% em transações internacionais efetuadas com cartões de crédito. |. Recarga: os consumidores podem recarregar (adicionar fundos) no seu próprio ritmo e conveniência no banco onde adquiriu o Cartão. |* Descontos variam conforme a loja e o valor gasto em compras .

Perfil-A American Express é uma companhia global de serviços, oferecendo aos consumidores acesso aos produtos, conhecimento e experiências que enriquecem vidas e constroem negócios de sucesso. [americanexpress.com ou americanexpress.com.br/globaltravel].

Shopping instala terminais de autoatendimento para pagamento do estacionamento

A partir de agora o Shopping Iguatemi conta com um serviço exclusivo na cidade e que garante maior agilidade no atendimento aos clientes no momento de pagar o estacionamento.
 O empreendimento instalou três terminais de autoatendimento, localizados no piso L3 (próximo ao cinema) e dois na G1, para pagamento e validação dos cartões. Assim, o cliente pode utilizar o serviço para pagar o estacionamento com cartão de débito, evitando filas e facilitando sua saída do shopping. 
       Os terminais também podem ser utilizados para as recargas do cartão pré-pago recarregável, que pode ser adquirido em qualquer caixa de atendimento do shopping.  Além do cliente não precisar passar pelos caixas de pagamento, o cartão pré-pago oferece bônus entre R$ 8 e R$ 20. Quem carrega o seu cartão com a carga máxima de R$ 100 recebe um valor adicional de R$ 20. 

Amex anuncia novas parcerias para o seu cartão pré-pago

O cartão pré-pago da American Express para viagens ao Exterior, o American Express Global Travel Card (dos bancos Bradesco e Itaú), anunciou novas parcerias. Os novos acordos foram firmados com o parque Universal Orlando e com o grupo Simon Malls.

O acordo entre a Amex e a Universal Orlando prevê o acesso ao lounge American Express no Universal Studios para os clientes que adquirirem os seus ingressos através do site (www.universalorlando.com) ou no portão principal, com o seu respectivo cartão pré-pago. O espaço está aberto diariamente e funciona das 12h às 17h.

Detentor dos principais shoppings e outlets nos Estados Unidos, o grupo Simon Malls é o outro novo parceiro do cartão. A partir de julho, os associados do American Express Global Travel Card receberão benefícios, como por exemplo, descontos em hotéis próximos aos shoppings participantes.

Apesar de valuation incerto, acordo com Bertin é bastante positivo para MPX, diz banco

SÃO PAULO – A MPX Energia (MPXE3) anunciou um acordo com a Bertin para a aquisição de 660 MW em plantas termais, o que deverá provocar uma reação positiva dos papéis, de acordo com o Credit Suisse. 

Os projetos já haviam vendido energia no mercado regulado em 2008, com contratos de 15 anos e início das operações programado para 2013. Os projetos, diz o analista Vinicius Canheu, deverão reduzir a dependência da empresa de leilões de novos projetos competitivos para o desenvolvimento de reservas de gás na região da bacia do Parnaíba. 

Destino: Parnaíba

A aquisição, porém, ainda é sujeita a autorização da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para a transferência dos projetos, atualmente situados no Espírito Santo, para a bacia do Parnaíba no Maranhão, onde a MPX pretende produzir 5,7 milhões de metros cúbicos por dia de gás em 2013. 

Canheu também lembra que os números da aquisição não foram divulgados e só o serão após a autorização da Aneel. Para ele, isso faz com que o valuation do projeto não fique claro, já que variáveis como capex (custos de capital), opex (custos operacionais) e a capacidade enérgica devem se modificar com a transferência do projeto. 

Contudo, a primeira visão do analista é de que a aquisição é bastante positiva para a MPX, já que isso deverá potencializar a aceleração da monetização das províncias de gás no Parnaíba. É válido lembrar que BTG, Ativa e HSBC já haviam considerado a aquisição positiva.

Ações da Cielo apresentam mais potencial que as da Redecard, diz Ágora Analista elevou o preço-alvo para os papéis da Cielo, ao mesmo tempo em que cortou suas projeções para a Redecard

Com o fim da exclusividade, Redecard ganhou terreno sobre a fatia de mercado até então controlada pela antiga Visanet
São Paulo – Apesar de a Redecard (RDCD3), segunda maior processadora de pagamentos do Brasil, ter elevado sua participação de mercado nos últimos trimestres, a Ágora Corretora prefere a rival Cielo (CIEL3), por apresentar maior potencial de valorização até o final de 2012.

Leia Mais

22/06/2011 | Cielo e Redecard sobem após recomendação do Credit Suisse
22/06/2011 | OSX desencanta e sobe 10% na semana; Ibovespa tem leve alta
22/06/2011 | Após lucro 33% maior, FedEx vê ganhos robustos para 2012
22/06/2011 | 4 fatores que pesam sobre os mercados
Em relatório, o analista Aloísio Lemos elevou o preço-alvo para as ações ordinárias da Cielo de 47,10 reais para 51,50 reais até o final do próximo ano, ao mesmo tempo em que reduziu de 30,90 reais para 29,90 reais sua estimativa de preço-alvo para os papéis ordinários da Redecard. A recomendação para as duas companhias foi reiterada em comprar.

Com base nos novos preços-alvos, a Redecard apresenta um potencial de valorização de 31,02%, enquanto o da Cielo é de 35,17%, levando em consideração o fechamento das ações no último pregão.

Em sua análise, Lemos incorporou os resultados apresentados pelas companhias no primeiro trimestre do ano e o aumento de participação de mercado pela Redecard e redução pela Cielo vistos nos últimos trimestres, o que ocorreu devido ao “fim da exclusividade das bandeiras”, justifica o analista.

“Até o primeiro semestre de 2010, a Redecard tinha exclusividade com a Mastercard e a Cielo (antes Visanet) era adquirente da bandeira Visa, que detém maior participação de mercado entre estas duas principais bandeiras. Com o fim da exclusividade, foi natural um reequilíbrio entre as fatias de cada empresa”, acredita Lemos.

Antecipação de recebíveis

Com o aumento do negócio de antecipação de recebíveis, Lemos prevê que a Cielo poderá ser beneficiada, isso porque a companhia adotou “há poucos anos” esta prática, até então bastante comum para a Redecard.

Segundo a Ágora Corretora, as receitas originadas de antecipação de recebíveis representavam cerca de 23% do total das receitas da Redecard e apenas 5% da Cielo. Até 2014, Lemos prevê uma tendência de ajustamento para 16% e 12%, respectivamente.

Descontos aos lojistas

Na opinião do analista, o período mais forte de ajustes nas taxas cobradas pela Redecard e pela Cielo aos lojistas “já passou, devendo ser mostrada alguma sintonia fina ainda nos balanços do segundo trimestre e depois tendendo à estabilidade (para as duas empresas)”, explica.

IMA e MP podem fechar 50 postos de combustíveis por crimes ambientais 70% dos postos atenderam às exigências impostas pelos órgãos de fiscalização

Matéria(s) relacionada(s)
04.05.2011 14h05
Órgãos anunciam força-tarefa para investigar aumento no preço da gasolina
MP solicita divulgação diária dos postos que estão vendendo mais barato
O Ministério Público Estadual (MPE) e o Instituto do Meio Ambiente (IMA) deram o ultimato. O posto de combustível que até o dia 30 de junho não tiver se adequado à Lei Ambiental pode amanhecer o dia 1º de julho interditado e com a aplicação de uma multa que pode ultrapassar o montante de R$ 8 mil.

O primeiro prazo foi dado no dia 24 de dezembro de 2008, mas, segundo o promotor Alberto Fonseca, o Sindicombutíveis/AL em dezembro do ano passado solicitou a prorrogação por mais 180 dias para que os postos de combustíveis se adaptassem às normas.

Para ele, o resultado é animador. Em Alagoas, dos 400 postos, ele afirma que cerca de 50, apenas, ainda não foram legalizados e estão em fase terminal de adequação. “Quem não se adequar irá sofrer punição, partindo de uma autuação administrativa com direito ao fechamento do posto e a aplicação de uma multa. O que não pode é ficarmos prorrogando o prazo”, ressalta o promotor.

Adriano Jorge, presidente do Ima, diz que o momento é de comemoração porque o objetivo foi atendido com a ação conjunta dos órgãos. “Isso mostra que coisas boas também acontecem e que é possível obtermos êxito. Procuramos trabalhar para ter um menor impacto tanto para o setor quanto para a sociedade. Eis a necessidade de os postos se adequarem e aí termos a garantia de que não vai haver vazamento, contaminação do solo, entre outros”, afirma Adriano Jorge.

Ele garante que as situações mais complicadas foram detectadas no interior do Estado “onde existem postos que sequer são asfaltados, pavimentados e funcionam ainda no chão batido”.

População de baixa renda terá telefone a R$ 9,90 Governo justifica que não há motivos para os Estados manterem o ICMS, uma vez que não haveria perda de arrecadação

Os cadastrados no Bolsa Família terão linha telefônica ao custo de R$ 9,90 por 90 minutos mensais. O benefício deve ser anunciado na próxima semana e garante telefone fixo às cerca de 12,6 milhões de casas atendidas pelo programa, além de aposentados rurais e deficientes, informa reportagem de Eliane Cantanhêde na Folha de S.Paulo.

Será necessária isenção de ICMS para que se chegue aos R$ 9,90. Caso os Estados não queiram cortar o imposto, o preço subirá para R$ 13,30, mas ainda se manterá mais baixo do que os atuais R$ 46 cobrados pela assinatura básica.

O governo justifica que não há motivos para os Estados manterem o ICMS, uma vez que não haveria perda de arrecadação porque o alvo do programa atualmente não paga imposto sobre esse tipo de serviço, já que não o possui. Isso significa que quem arcará com a redução serão as concessionárias. 

Agenda de inovação deve incluir MPE Afirmação é do presidente do Sebrae, Luiz Barretto, durante Conferência Anpei, que acontece até esta quarta (22), em Fortaleza

Compartilhar
Imprimir
As micro e pequenas empresas (MPE) não podem ficar fora da agenda da inovação. É imprescindível uma mudança cultural associada à inovação tecnológica e à qualificação de profissionais para implementação desses processos, que buscam dar maior competitividade ao Brasil no ambiente global dos negócios. A afirmação foi feita hoje (21) pelo presidente do Sebrae, Luiz Barretto. Ele falou para uma platéia de aproximadamente mil participantes da 11ª Conferência Anpei de Inovação e Tecnologia, que acontece até esta quarta-feira (22), no Centro de Convenções de Fortaleza.
"Talvez nunca se tenha tido coincidência e esforço concentrado nesse tema, como ocorre atualmente no Brasil", disse Barretto. Segundo ele, as condições brasileiras são favoráveis, uma vez que há duas décadas de estabilidade econômica, 30 milhões de consumidores ingressaram no mercado doméstico e existe mais trabalho e renda com melhor distribuição.
Luiz Barretto assinalou que Sebrae e Associação Nacional de Desenvolvimento de Empresas Inovadoras (Anpei) têm agenda comum. "Mas como incorporar na prática mais de 5 milhões de empresas de pequeno porte?", indagou. Ele enfatizou que inovar é decisivo para o País, no mercado interno e na economia mundial, como parceiro internacional, competitivo e sustentável no mundos negócios, nos processos de gestão e no sentido tecnológico.
Cooperação
Luiz Barretto ressaltou que o Sebrae já garantiu investimentos da ordem de R$ 780 milhões nos próximos três anos, por meio do Sebraetec, programa nacional que oferece às pequenas empresas um conjunto de soluções para impulsionar a inovação em seus negócios. "Vamos alcançar 10% desse universo de micro e pequenas empresas com o apoio da parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)", informou.
A cooperação entre as duas instituições pretende dobrar o atual time de agentes locais de inovação (ALI) com profissionais recém-graduados para visitar as empresas e, a partir de um diagnóstico, promover mudanças necessárias à sua maior competitividade. "A meta é ultrapassar mil agentes e queremos um atendimento de forma permanente nas empresas", contou.
Barretto afirmou ainda que o Brasil construiu um consenso sobre o investimento em inovação, público e privado, mas é fundamental introduzir as MPE no debate, promovendo mudanças culturais, além dos aspectos tecnológicos. Na visão dele, gargalos como a crise europeia, a redução do crescimento da economia norte-americana e a questão cambial não devem impedir os processos de inovação, "fundamentais diante das transformações e das perspectivas que o País oferece enquanto nação emergente e de destaque no cenário mundial". 

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Should Your Strategy Be Constantly Changing? Posted: 21 Jun 2011 08:45 AM PDT

I read Holly Green’s Shifting from Strategic Planning to Strategic Agility, on Forbes.com the other day. Ok, agile sounds good for a business. And the world does change rapidly, too. But what about this, from something I wrote about 10 years ago:

Better a mediocre strategy, consistently applied over time, than a series of brilliant strategies, changing rapidly, contradicting each other.

Is that no longer true? Here, in contrast, is Holly’s argument for strategic agility:

At its core, strategic planning involves a process of analysis. You do some research into what is and what is possible. You define a goal, break that goal down into manageable steps, and determine how to implement them while identifying the expected consequences of each step. It’s a logical, straightforward process designed to sequentially move the organization from where you are now to where you want to go.

The huge flaw in this is the assumption that the world is reasonably stable and somewhat predictable. Maybe a few generations ago. But anyone who has been paying attention the last few years knows that today’s world is neither.

That sounds reasonable as I read it, but in fact, I disagree. I don’t think strategic planning assumes that the world is stable and predictable. It does, however, assume that one core foundation of any strategy is your identity. It’s your uniqueness, what sets you apart from the rest of the world. That’s true for companies as much as for individuals. And that doesn’t change easily. You can change strengths and weaknesses only over a long time, and with a great deal of effort. So that part of strategy is relatively stable. And that’s a very important part.

Of course markets change, technologies change, and goals change; which is why the “agility” component is attractive. But strategic agility doesn’t replace strategy. I say good business strategy mixes long-term attributes with changing markets and focus, and of course it’s always a process, never fully stable. One element affects the other elements. It is never sequential. But strategy is also a matter of focus, understanding core identity, building positioning over time, and it takes consistency too.

What do you think?

Bolsa: Três em cada quatro empresas têm programas... (ATUALIZADA)

Lisboa, 21 jun (Lusa) - Três em cada quatro empresas cotadas na bolsa em Portugal têm programas de atração e de retenção de talentos, refere um estudo hoje divulgado.

De acordo com o relatório de 2010, elaborado a partir de um inquérito efetuado pela KPMG - Consultores de Gestão, em colaboração com a Euronext Lisboa, das empresas inquiridas cotadas na bolsa em Portugal, 75 por cento responderam que têm programas de atração e de retenção de talentos, dos quais a medida mais referida por 90 por cento das empresas são os programas de formação avançada.

O estudo "Riscos e Oportunidades do Desenvolvimento Sustentável", surge no seguimento do que foi desenvolvido em 2008 e tem a ver com o impacto das questões éticas, económicas, sociais e ambientais no modelo de gestão das empresas cotadas.

À semelhança do que se verificou no último relatório apresentado, todos os assuntos relacionados com o conceito sustentável foram considerados importantes por 93 por cento das 24 empresas que participaram no estudo.

Assim, cerca de 75 por cento das empresas afirmaram ter "uma estratégia de sustentabilidade", contra 63 por cento que disseram incluir apenas os temas da sustentabilidade nos seus objetivos de negócios.

"As principais dificuldades na implementação de uma estratégia de sustentabilidade continuam a ser a gestão fragmentada dos temas da sustentabilidade, a dispersão geográfica e a diversificação dos negócios", bem como a necessidade adicional de recursos humanos, refere o relatório.

No âmbito da governança, 67 por cento dos participantes refere que existe um administrador com o pelouro da sustentabilidade.

Mais de metade das empresas (54 por cento) afirma que a comissão executiva é o órgão dentro da empresa que assume a responsabilidade pela sustentabilidade.

Em relação ao relatório de 2008 registou-se um aumento do reconhecimento das empresas como "entidades impulsionadoras" no combate às alterações climáticas.

Por sua vez, 83 por cento das empresas cotadas dizem ter um modelo de risco que inclui temas relacionados com a sustentabilidade.

O tipo de risco para o negócio mais vezes mencionado pelas empresas no âmbito da sustentabilidade tem a ver com a reputação e a imagem.

Nova parceria visa colaboração inglesa para sustentabilidade na Copa 2014 Governo do Distrito Federal realiza primeira reunião pública com organizadores das Olimpíadas de Londres visando projetos com "selos verdes"

O parque aquático que será usado nas Olimpíadas de 2012 foi todo construído com projetos verdes
Tema do momento, a sustentabilidade foi o centro da discussão de ontem entre o Comitê Organizador Brasília 2014 e o diretor de Sustentabilidade e Regeneração Urbana dos Jogos Olímpicos de Londres/2012, Dan Epstein. O encontro foi o primeiro resultado da parceria entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e a Embaixada da Inglaterra para a troca de experiências sobre a realização de grandes eventos com selo verde.

“Queremos que a Copa de 2014 seja considerada o ‘evento da sustentabilidade’. Esse pode ser também o primeiro passo para elaborarmos um acordo de cooperação técnica, que terá, provavelmente, o nome Londres e Brasília: cidades irmãs por uma Copa do Mundo Sustentável”, anunciou o governador Agnelo Queiroz, na abertura da reunião.


Segundo Vicente Castro Mello, coautor do projeto do Estádio Nacional de Brasília, a diminuição dos custos por meio dos projetos verdes chega a uma economia anual de mais de R$ 7 milhões.

Pelos modelos de Londres, a principal ênfase de Epstein foi a utilização das construções no futuro. “Vocês podem fazer um estádio maravilhoso, mas se não o usarem nunca mais, terá sido uma perda de tempo”, afirmou o inglês. “Vamos entregar nosso produto final um ano antes dos Jogos, com tempo para testar todas as obras. Mas o mais importante é que elas poderão ser usadas nos 100 anos seguintes”, destacou o diretor de sustentabilidade.

Possibilidade de redução
Uma das medidas para evitar o pouco uso das obras inglesas foi a construção de um estádio olímpico de 85 mil lugares, mas com uma estrutura superior e que poderá ser removida após os Jogos, reduzindo assim o espaço para 25 mil lugares. Para se ter uma ideia, o novo Mané Garrincha está sendo preparado para comportar 70 mil pessoas.

“Queremos aprender com os erros dos outros para fazer o melhor”, ressaltou o secretário executivo do Comitê Brasília 2014, Cláudio Monteiro. A sugestão de Dan Epstein foi que as discussões sejam logo colocadas em prática. “Vocês precisam decidir como vão lidar com o trânsito, os serviços públicos, a capacitação de novos profissionais. Transformem os objetivos em metas e pensem em como alcançá-las”, apontou.

telefonia celular Em busca da sustentabilidade Publicado em 22 de junho de 2011

Operadoras de telefonia móvel buscam melhorar processos e se preocupam com o descarte correto

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil terminou o mês de abril de 2011 com 212,6 milhões de celulares e uma densidade 109,3 aparelhos móveis para cada 100 habitantes. Ante o crescimento acelerado do consumo, as operadoras têm buscado atuar de maneira mais sustentável - embora a queda na qualidade do serviço venha gerando aborrecimentos aos clientes.

As empresas de telefonia no Brasil estão investindo em sustentabilidade de formas diversas. As iniciativas vão desde programas para descarte correto de celulares e acessórios até o financiamento direto a projetos socioambientais.

Descarte adequado

A operadora Vivo acompanhou o crescimento do mercado brasileiro e triplicou o número de clientes desde sua criação, em 2003, de 20 milhões para mais de 60 milhões de usuários em 2011. Pensando em um crescimento sustentável, a empresa atua em diversos setores para reduzir os impactos gerados pelo seu negócio.

Um dos programas que melhor traduz esta crença é o Vivo Recicle seu Celular, que surgiu em 2006, com o objetivo de coletar aparelhos celulares, baterias e acessórios, para o reaproveitamento de todos componentes. No fim de 2010, o programa já havia recolhido mais de 2,5 milhões de itens (aparelhos e acessórios), e conseguiu recuperar mais de 85% dos materiais recolhidos.

A Vivo conta com a parceria da Belmont Trading, responsável pela coleta, triagem e descarte adequado desses elementos. Cerca de 90% dos aparelhos coletados são reciclados e 10% são reaproveitados e revendidos em outros países, exceto América Latina. Para cada quilo de aparelhos coletados são reciclados cerca de 650g de metal e 200g de plásticos - mais de 80% dos materiais de um único celular podem ser reaproveitados.

Novas urnas

Em alusão ao último Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, o Instituto Claro reformulou seu programa de reciclagem, a fim de reforçar o compromisso com o desenvolvimento sustentável. Todas as urnas de coleta do Claro Recicla, hoje presente em cerca de 2 mil pontos de venda da operadora em todo Brasil, serão trocadas, ainda neste mês. "Esperamos dar maior visibilidade ao programa, conscientizar os consumidores sobre a importância de se reciclar o lixo eletrônico e proporcionar melhor estrutura para o descarte seguro, além de facilitar a coleta dos materiais", diz Carime Kanbour, vice-presidente do Instituto Claro.

A nova urna terá a capacidade aumentada em 50% para que sejam depositados ainda mais celulares, baterias, carregadores, chips e outros acessórios eletrônicos com vida útil já ultrapassada. Além disso, terá estrutura mais resistente para armazenamento de todo o material e display com informações e orientações gerais do programa. Outra modificação será a criação de uma abertura lateral para que seja possível visualizar mais facilmente o nível dos itens já depositados.

O conteúdo depositado nas urnas do Claro Recicla de todo o Brasil é recolhido regularmente e encaminhado para a sede da empresa de logística reversa GM&C, em São José dos Campos (SP). Nesse local, os materiais passam por uma triagem e os diferentes tipos de peças, como baterias, celulares e carregadores, são desmontados, agrupados e contabilizados. Em seguida, os itens são enviados para a sede da Belmont Trading, em Northbrook nos Estados Unidos, para serem reciclados.

Inclusão social

O Oi Futuro - contribuição da operadora Oi para a sustentabilidade, inclusão social, diversidade cultural e democratização digital no Brasil - está investindo aproximadamente R$ 40 milhões em recursos próprios (sem incentivo) em projetos ligados ao terceiro setor, neste ano. O valor representa um aumento de cerca 3,5% em relação ao que foi destinado em 2010.

O instituto vai investir R$ 18 milhões em recursos diretos na Educação, R$ 3 milhões no já consolidado programa Oi Novos Brasis, que apoia projetos de inclusão e desenvolvimento social, e R$ 2,5 milhões em projetos de Meio Ambiente.

Projetos culturais já contam com R$ 15,3 milhões de investimento direto em Cultura. No ano passado, o total investido nos projetos apoiados pelo Oi Futuro, seja com recursos diretos ou incentivados, chegou à cifra de R$ 91 milhões. Para 2011, a expectativa é ultrapassar esse montante.

"Ao longo de seus dez anos, o Oi Futuro vem cumprindo sua missão principal de acelerar e promover o desenvolvimento humano. Com o apoio aos projetos voltados para o meio ambiente, a Oi e o Oi Futuro reforçam ainda mais o comprometimento com iniciativas sustentáveis, em busca da construção de uma sociedade solidária e também ambientalmente responsável", destaca George Moraes, vice-presidente do Oi Futuro.

Na Bovespa

A TIM busca a gestão sustentável desde o início de sua atuação no Brasil e esse compromisso está presente no dia a dia da empresa. Os projetos desenvolvidos resultaram na confirmação da operadora na carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) pelo terceiro ano consecutivo e na entrada no Índice de Carbono Eficiente (ICO2) - ambos da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), incentivando a empresa a buscar a melhoria contínua de suas práticas de sustentabilidade.

Projeto inovador e que colabora com a proteção ao meio ambiente é a solução TIM PDV, desenvolvida em 2009, que possibilita a compra de recarga com transações onlines.

O sistema já contribui para a redução do consumo de 13 toneladas plástico e 82 toneladas de papel, usados na produção 69 milhões de cartões de recarga, e da emissão de gás carbônico proveniente do seu transporte.

Também disponibiliza pontos de coleta de aparelhos, baterias e acessórios em suas lojas. Possui dois programas: um em parceira com o Grupo Santander Brasil (programa Papa-Pilhas) e outro próprio (Recarregue o Planeta).

Fique por dentro
País é recordista

O Brasil é o mercado emergente que produz o maior volume de lixo eletrônico por pessoa a cada ano, segundo estudo recente do Programa da Organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). O levantamento mostra que o País é também uma das nações em desenvolvimento que lideram em descarte de celulares, TVs e impressoras. Com a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) - que instituiu, entre outros mecanismos, o da logística reversa - a pergunta que não cala é como o consumidor e as empresas fazem para descartar corretamente aparelhos eletrônicos, como celulares?

SAMIRA DE CASTRO
REPÓRTER

Regulamentação Etanol

Da Assessoria

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) colocou em consulta pública duas minutas de resoluções relativas às novas atribuições da agência na regulação do mercado de etanol. A audiência pública está prevista para ocorrer no dia 1º de julho, ao final do período de consulta, para esclarecer as informações sobre esses regulamentos, que integrarão o novo marco regulatório do etanol.

Uma das minutas estabelece critérios para a aquisição de etanol anidro, assim como para a formação de estoque deste biocombustível. A outra medida altera portaria da agência que regulamenta a atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleos, etanol combustível, biodiesel, mistura óleo diesel/biodiesel.

Essa minuta também propõe mudanças nos requisitos para cadastramento de fornecedor, comercialização e envio de dados de etanol combustível à ANP.

A meta da ANP é aprovar as resoluções antes do prazo de seis meses estipulado pela Medida Provisória 532, de 5 de abril de 2011, que tornou a agência responsável por toda a cadeia de produção, movimentação e abastecimento de biocombustíveis (biodiesel e etanol) em todo o País, inclusive a exportação e importação de etanol.

A MP 532 também permite uma possível redução da mistura do etanol anidro na gasolina. Atualmente, a mistura ocorre na proporção de 25%. Com a medida provisória, este percentual pode ser reduzido pela ANP, a qualquer momento, para até 18%.

Compensação de carbono Natura abre edital para escolher projetos desenvolvidos no Brasil e em países da América Latina

Até dia 5 de agosto a Natura está com edital aberto para a escolha de novos projetos de compensação para o Programa Carbono Neutro. Além do Brasil, podem participar alguns países da América Latina, caso da Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru.

Na seleção para o novo biênio, os projetos poderão pertencer às seguintes categorias: redução de desmatamento e degradação florestal*** (REDD+); energéticos relacionados à eco-eficiência, que visem a substituição de combustíveis não-renováveis e o uso de energias renováveis (biomassa, solar, eólica, hídrica, etc.); florestais envolvendo ações de florestamento e reflorestamento e Sistemas Agroflorestais (SAFs); e outros que apresentem práticas, tecnologias e soluções diferenciadas no combate ao aquecimento global. O formulário de inscrição e o regulamento do Edital Natura Carbono Neutro estão disponíveis no site www.natura.net/carbononeutro de 16 de maio a 5 de agosto de 2011.

“Buscamos projetos dotados de mecanismos eficazes na comprovação de redução/ remoção das emissões de GEE, alinhados aos nossos objetivos e que levam em conta benefícios socioambientais localmente relevantes. Geração de renda, conservação da biodiversidade, uso sustentável e perfil inovador são outras características que serão observadas no processo de seleção. Assim, conseguimos engajar todos que se relacionam conosco e que possuem a mesma vontade de construir um sistema mais inclusivo e sustentável para a sociedade atual e futuras gerações”, explica Marcelo Cardoso, vice-presidente de desenvolvimento organizacional e sustentabilidade da Natura.

Desde 2007, quando foi implantado pela Natura, o Programa Carbono Neutro da empresa é destinado a reduzir de forma contínua suas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em todas as etapas de sua cadeia produtiva – desde a extração de insumos para produção de matérias-primas e de materiais para embalagens, passando por processos internos e o transporte de produtos, até o seu descarte. Porém, o que não é possível reduzir nos processos de produção da empresa, é compensado com a aquisição de créditos de carbono de projetos externos, selecionados por meio de edital público.

Desde o dia 16 de maio, está aberto Edital Natura Carbono Neutro, que tem como objetivo selecionar projetos de redução de emissão e/ou remoção de gases que causam o aquecimento global e compensar suas emissões relativas aos anos de 2011 e 2012. As unidades de redução serão adquiridas com o objetivo de compensar as emissões verificadas conforme inventário de emissões de GEE da Natura referente a este biênio.

O edital para o biênio 2009 e 2010 selecionou seis projetos eleitos em meio a 82 propostas enviadas. A seleção contou com o apoio de um time interno de especialistas da Natura, com consultores especializados em mudanças climáticas e também com o suporte de um painel de especialistas. Os projetos irão neutralizar as emissões de 2009 (232.827 toneladas de CO2e) e 2010 (253.312 toneladas de CO2e).

Por dentro das siglas

*Gases de Efeito Estufa (GEE): Constituintes gasosos da atmosfera, naturais ou antrópicos, que absorvem e reemitem radiação infravermelha. Segundo o Protocolo de Quioto, são eles: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O), hexafluoreto de enxofre (SF2), além de duas famílias de gases, os hidrofluorcarbonos (HFCs) e os perfluorcarbonos (PFCs). Entre os Gases do Efeito Estufa que estão aumentando de concentração, o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso são os mais importantes. O CO2 contribui de forma mais relevante para o aquecimento global porque representa 55% do total das emissões mundiais de Gases do Efeito Estufa. A quantidade de metano emitida é bem menor, mas seu potencial de aquecimento é 21 vezes superior ao do CO2. No caso do óxido nitroso e dos clorofluorcarbonos, suas concentrações são ainda menores, mas o poder estufa é, respectivamente, de 310 e 6.200-7.100 vezes maior do que o do CO2.

**Reduções Voluntárias de Emissões (RVEs): é uma unidade de redução de emissão ou de remoção de GEE, no âmbito do Mercado Voluntário e equivale a uma tonelada métrica equivalente de dióxido de carbono, calculada com o uso dos potenciais de aquecimento global definidos pelo Protocolo de Quioto.
 

***REDD+: REDD é a sigla para Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação florestal. Segundo o conceito adotado pela Convenção de Clima da ONU, refere-se a um mecanismo que permite a remuneração daqueles que mantêm suas florestas em pé, sem desmatar e, com isso, evitam as emissões de gases de efeito estufa associadas ao desmatamento e degradação florestal. Desde que surgiu a sigla REDD, na COP13, experiências (projetos, programas e fundos) de REDD e atividades de preparação vem sendo desenvolvidas. Porém, é necessário diferenciá-las da política de REDD ainda em construção no âmbito da ONU. Posteriormente a criação deste conceito, a Convenção incluiu na sua definição também atividades de conservação, manejo sustentável das florestas e aumento de seus estoques em países em desenvolvimento. O REDD+ é o REDD, incluindo o papel da conservação, do manejo sustentável das florestas e do aumento dos estoques de carbono das florestas em países em desenvolvimento.

Cinco razões para conduzir devagar A primeira razão é a óbvia: poupar combustível... Mas há mais

1 - Poupar combustível. Conduzir devagar é mais uma maneira de poupar combustível, para além de conduzir menos ou optar por um carro mais ecológico. Com o preço a que está o diesel e a gasolina, andar a acelerar porque provoca adrenalina, é um luxo a que muito poucas pessoas se podem dar.

2 -  Evitar acidentes. A grande maioria dos acidentes fatais é provocada por excesso de velocidade. Se conduzir sempre com o pé colado no acelerador, terá menos tempo para reagir a algum imprevisto, mesmo que considere que tem uns óptimos reflexos - até porque uma fracção de segundos pode ser a diferença entre a vida e a morte. O excesso de confiança também é perigoso. Se for daqueles que pensa que conduz muito bem e que nada de mal lhe acontece, pense outra vez, mas, desta vez, com os pés bem assentes na terra. Conduzir devagar é essencial para assegurar a sua segurança e a das pessoas que o rodeiam. Por exemplo, quando conduz perto de ciclistas, pessoas a fazer jogging, escolas e zonas com crianças a brincar na rua.

3 - Julga que poupa tempo se conduzir depressa? Está enganado. A diferença não é assim tão significativa. Quem é que nunca foi ultrapassado por um condutor que, passados uns segundos, voltou a apanhá-lo nos semáforos? O melhor é sair de casa ou do escritório um pouco mais cedo. Vai ver que chegará ao mesmo tempo que alguém que saiu mais tarde e conduziu mais depressa (ou não, já que essa pessoa não consegue contornar os sinais de trânsito). Sair mais cedo traz-lhe a vantagem de chegar ao destino mais calmo e bem-disposto. 

4 - Pela sanidade mental. Continuando com o ponto acima, trocar uma condução frenética por uma mais relaxante e agradável ajudam-no a manter os níveis de stresse e de sanidade mental. Quer melhor? Conduza devagar pela sua saúde!

5 - Simplificar a vida. Já parou para pensar? Se andar mais devagar, não só diminui os níveis de stresse, como diminui a possibilidade de ter algum acidente (grave ou não) e de apanhar uma multa. Além disso, escusa de entrar em pânico porque tem ainda de passar numa bomba de gasolina, porque o seu carro entrou na reserva. 

IVECO DAILY ELÉTRICO É DESTAQUE NO PRIMEIRO SEMINÁRIO BRASILEIRO SOBRE VEÍCULOS MOVIDOS A ELETRICIDADE

·         Desenvolvido pela Iveco e a Itaipu Binacional, o Daily Elétrico é o primeiro caminhão movido a energia 100% renovável da América Latina

 

Apresentado na última edição da Fenatran e agraciado com o prêmio “Destaque Tecnológico” do Congresso da SAE de 2009, o Daily Elétrico, veículo desenvolvido pela Iveco e a Itaipu Binacional, será uma das principais atrações do primeiro Seminário Brasileiro sobre Tecnologias para Veículos Elétricos, o TEC-VE 2011, evento que acontece hoje e amanhã, em Brasília. Promovido pela Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) e pelo instituto Besc de Humanidades e Economia, o principal objetivo deste encontro é discutir alternativas para a viabilização dos veículos elétricos no País e abrir um amplo debate entre sociedade, governo e empresas para sua ampla utilização.

Exemplos de países como Estados Unidos, França e Japão, que já investem maciçamente nesta energia 100% renovável, serão apresentados e debatidos por palestrantes especialistas no assunto que representam governo, montadoras e a sociedade. A Iveco, quarta maior montadora do Brasil, apoia o evento e o engenheiro Henrique Rezende, responsável pela área de Engenharia Avançada e Inovações para América Latina da empresa, falará aos congressistas amanhã, às 15h, sobre o expertise da Iveco no desenvolvimento de propulsores movidos a combustíveis alternativos.

De acordo com Rezende, a Iveco possui total domínio no desenvolvimento de veículos híbridos (elétrico/diesel), elétricos, diesel/etanol, GNV e biodiesel. “Vamos dar uma visão geral de como a Iveco está integralmente preparada tanto para os veículos elétricos como para outras demandas por combustíveis ambientalmente mais amigáveis”.   

O Iveco Daily movido a energia elétrica é um caminhão leve chassi-cabina dupla com entre-eixo de 3.650 mm, veículo ideal para o transporte de equipe de trabalho mais carga. O caminhão funciona com três baterias Zebra (Zeolite Battery Research Africa Project), consideradas as melhores baterias do mundo para esta aplicação. Pensado para aplicações urbanas e de curta distância, o veículo tem autonomia para 100 quilômetros e, carregado, pode desenvolver até 70 km/h. O tempo de recarga das baterias é de oito horas e a tecnologia elétrica pode ser aplicada a todas as demais versões da gama Daily que contempla caminhão chassi-cabine, furgão, van ou microônibus.

A Itaipu Binacional escolheu a Iveco como parceira na criação deste veículo elétrico porque a empresa é reconhecida por sua vanguarda no desenvolvimento de motores movidos a combustíveis alternativos. A Iveco já comercializa na Europa veículos elétricos, híbridos diesel-elétricos e a gás (a empresa é, inclusive, líder mundial na produção de caminhões movidos a GNV).   


Iveco

Iveco projeta, produz e vende uma ampla gama de caminhões leves, médios e pesados, ônibus, veículos comerciais para aplicações militares, fora de estrada, bombeiros, defesa civil e etc.


A Iveco emprega mais de 25.000 pessoas e possui 23 fábricas em 10 países do mundo, utilizando excelente tecnologia desenvolvida nos cinco centros de pesquisa e desenvolvimento.  Além da Europa, a empresa opera na China, Rússia, Austrália e América Latina. Mais de 5.000 mil concessionárias e pontos de serviços, distribuídos em 160 países, garantem suporte técnico onde quer que um produto Iveco esteja em serviço.

Utilização de geradores a diesel preocupa indústrias avícolas paranaenses Questão foi levada ao presidente da Copel pelo sindicato da categoria, que reivindica energia mais barata no horário de pico  ...

Representantes do setor avícola estiveram reunidos na última quinta-feira (16) com o presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), Lindolfo Zimmer. O objetivo do encontro foi apresentar a preocupação das indústrias paranaenses com o custo da energia elétrica no horário das 18h às 21h, que é 11 vezes mais cara do que no horário normal.



Segundo o Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), a ausência de uma tarifa com preço acessível no horário noturno tem feito com que muitas indústrias precisem recorrer a geradores a diesel no lugar da energia elétrica, que é mais limpa e renovável.



“A energia é hoje o segundo maior custo das indústrias do setor. Diminuir esse gasto é a única maneira das empresas continuarem competitivas no acirrado mercado global. Gostaríamos de voltar a pagar pela energia elétrica o mesmo preço da energia a diesel. Esse benefício já nos foi concedido em 2003, e é de vital importância para a estabilidade do setor que ele volte a ser praticado”, justifica o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins.



O grupo já havia se reunido com o governador do Paraná, Beto Richa, no mês de abril para apresentar propostas para a melhoria dos gargalos encontrados pela cadeia produtiva. Na ocasião o governador garantiu apoio ao setor avícola paranaense nessa questão, que agora será analisada tecnicamente pela Copel.



“Quisemos mostrar ao governador e à Copel que a avicultura é uma atividade diferenciada, já que lida com animais vivos e, portanto, necessita trabalhar 24 horas por dia”, comenta Martins, lembrando que o Paraná é hoje o maior produtor de carne de frango do país.



Em 2010, foram abatidas mais de 1,3 bilhão de cabeças de frango, o que corresponde a quase 3 milhões de toneladas de carne para consumo no mercado interno e externo. Nas exportações, foram embarcadas 1 milhão de toneladas para mais de 120 países em todo o mundo. Isso trouxe um faturamento de US$ 1,69 bilhão para o estado no ano passado.



“Atualmente, a carne de frango é o 2º produto mais exportado pelo Porto de Paranaguá, ficando atrás apenas da soja. Além disso, as indústrias avícolas geram mais de 50 mil empregos diretos e cerca de 500 mil empregos indiretos em todo o Paraná”, ressalta Martins.

Economia Resoluções para novo marco regulatório do etanol estão em consulta pública

Da Assessoria

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) colocou em consulta pública duas minutas de resoluções relativas às novas atribuições da agência na regulação do mercado de etanol. A audiência pública está prevista para ocorrer no dia 1º de julho, ao final do período de consulta, para esclarecer as informações sobre esses regulamentos, que integrarão o novo marco regulatório do etanol.

Uma das minutas estabelece critérios para a aquisição de etanol anidro, assim como para a formação de estoque deste biocombustível. A outra medida altera portaria da agência que regulamenta a atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleos, etanol combustível, biodiesel, mistura óleo diesel/biodiesel.

Essa minuta também propõe mudanças nos requisitos para cadastramento de fornecedor, comercialização e envio de dados de etanol combustível à ANP.

A meta da ANP é aprovar as resoluções antes do prazo de seis meses estipulado pela Medida Provisória 532, de 5 de abril de 2011, que tornou a agência responsável por toda a cadeia de produção, movimentação e abastecimento de biocombustíveis (biodiesel e etanol) em todo o País, inclusive a exportação e importação de etanol.

A MP 532 também permite uma possível redução da mistura do etanol anidro na gasolina. Atualmente, a mistura ocorre na proporção de 25%. Com a medida provisória, este percentual pode ser reduzido pela ANP, a qualquer momento, para até 18%.

Para estimular etanol, crédito para açúcar vai acabar

A produção de açúcar não terá um único centavo de investimento público. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou que o crédito oficial para o açúcar vai acabar, como parte da política de incentivo à produção de etanol. "Não somos contra o açúcar, mas somos mais a favor do etanol neste momento", disse o ministro. "É uma questão estratégica de atender ao interesse nacional de produzir etanol, para que não haja desabastecimento e os preços não se elevem", acrescentou.

A decisão reflete a preocupação do governo de não permitir que se repita em 2012 o cenário do início deste ano, quando a escassez do produto pressionou o valor dos combustíveis, colaborando para acelerar os índices de preços, o que forçou o Banco Central a elevar os juros. O ministro afirma que não chegou a haver desabastecimento, "nem haverá", mas admite que os preços subiram muito, com repercussão na inflação.

O governo também vai abrir uma linha de crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para atender os produtores de etanol "na medida exata da necessidade desses produtores". Não haverá limite de recursos pré-fixado para garantir o aumento da produção do etanol.

Outra medida do governo será a formação de um estoque regulador de 30 dias. O governo acredita que um mês é prazo suficiente para manter a demanda sob controle. Os distribuidores é que têm de estocar, mas hoje eles só têm capacidade para armazenar por cinco dias, enquanto a capacidade de estocagem da Petrobras é de 15 dias.

Hoje, só os produtores é que têm condições de estocar por seis meses o etanol. Diante disso, a solução do governo para contornar o problema da falta de estrutura física dos distribuidores é precisamente o uso da estrutura dos produtores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.