Total de visualizações de página

terça-feira, 5 de julho de 2011

4 dicas para você manter uma estrutura simples e funcional

De uma maneira básica, você pode dividir qualquer empresa em 3 grandes áreas:
  • Produto: Desenvolvimento e produção.
  • Vendas: tudo que envolve cliente, marketing e atendimento a clientes.
  • Suporte: A base funcional da empresa, como finanças, RH, jurídico etc.
Uma coisa é clara: as duas principais áreas de uma empresa são Vendas e Produto, pois sem qualquer um dos dois simplesmente não há dinheiro e, portanto, não há empresa.
Isso, de maneira alguma, tira a importância da parte de Suporte, já que se ela não for eficiente, o resto não consegue se sustentar (pelo menos não no longo prazo) e aí já era, game over.
Um exemplo animal de bom suporte
Sendo assim, o Suporte tem dois objetivos:
1- Fornecer subsídios suficientes para que Vendas e Produto não percam eficiência.
2- Não atrapalhar o show. Clientes pagam por um bom produto que foi vendido a eles. Por exemplo, num show, roadies e toda a equipe de apoio são vitais pro show sair, mas o que importa no fim é a banda tocando bem.
Pequenas empresas e startups também precisam de uma área de suporte, então reunimos aqui 4 dicas pra você manter sua estrutura bem eficiente:
1- Mantenha tudo MUITO simples
Criar procedimentos padrões, ter um baita banco de dados moderno ou um ótimo software de CRM são coisas realmente muito importantes, mas isso não significa que qualquer empreendimento deve ter a mesma complexidade de estrutura de uma empresa grande, porém menor.
O importante é criar a estrutura necessária apenas sob demanda, ou seja, manter o mais simples e fácil possível. Nenhuma empresa tem tempo e dinheiro pra desperdiçar em burocracia que não precisa.
Mas, por favor, não confunda isso com falta de planejamento: um bom Suporte se planeja e, quando a demanda aparece, ele já está com tudo encaminhado para colocar em prática.
2- Faça tudo de acordo com as leis
Como dizia nosso herói, He-man, “A maneira certa é a melhor maneira”, não só porque é o que a lei diz, mas porque isso evita muitos problemas e dores de cabeça futuras.
Tudo bem, o empreendedorismo no Brasil não é muito incentivado quando pensamos em impostos e burocracia. Criar esqueletos no armário pode até ser prático no começo, mas fará grande diferença em médio e longo prazo.
3- Tenha apoio de profissionais especializados
Seja a partir de uma equipe diversificada ou mesmo através da contratação de terceiros, ter especialistas te auxiliando como advogados, contadores etc. te salva de vários tropeços que você arranjaria por se aventurar em terras desconhecidas.
Improvisar aqui não é sempre a saída.
Porém, conhecer pelo menos um pouco sobre esses assuntos é também muito importante, já que você precisa saber contratar/lidar com esses especialistas.
4- Foco no que vai facilitar a vida de Produto e Vendas
A missão de vida de Suporte é facilitar a vida das áreas de Produto e Vendas, ou seja, qualquer estrutura que permita economia de tempo, de esforços ou de dor de cabeça é um grande ganho pra empresa como um todo.
Profissionais que sabem lidar com a parte de Suporte de uma empresa são essenciais, pois sem eles nenhuma empresa conseguiria sobreviver.

8 dicas para manter uma equipe motivada

A dica de hoje foi dada por Lawrence Polsky no portal Toilet Paper Entrepreneur.
Eu já treinei milhares de líderes pelo mundo, e sempre ensinei que os melhores passos pra se ter uma equipe e um ambiente de trabalho energizados são:
1. Mostre sempre uma visão clara dos objetivos;
2. Construa relacionamentos e espírito de time;
3. Reconheça e celebre os progressos;
4. Demonstre confiança;
5. Forneça momentos de aprendizado;
6. Tome decisões rapidamente;
7. Inclua e envolva as pessoas do time;
8. Tenha momentos para aliviar stress e se divirtir.
__
Manter a equipe motivada não é uma tarefa tão simples assim, ainda mais quanto os problemas aparecem. Por isso recomendo o post: Aponte soluções para sua equipe, apontar problemas é muito fácil.

5 dicas para melhorar o bem estar da sua equipe

A dica de hoje foi dada por Ana Cristina Netto no blog Papo de Empreendedor.
Confira abaixo cinco dicas que vão ajudá-lo a tornar agradável o ambiente com sua equipe:
Invista nas instalações:Conforto é fundamental para colaboradores trabalhar direito. Por menor que seja a empresa, ofereça estacionamento (ou tenha convênio com algum), computadores em bom estado, cadeiras confortáveis, banheiros limpos e uma área para refeições. Se tiver refeitório, opte por alimentos saudáveis e aposte em um buffet com cardápio variado. A hora do almoço pode ser um ótimo momento para a equipe descontrair e se conhecer melhor.
Flexibilize horários:
Permita que pelo menos uma vez por semana os funcionários decidam em qual período querem trabalhar. Dar autonomia mostra confiança e faz com que a pessoa recompense o gesto com o aumento de produtividade.
Crie atividades interativas fora do ambiente de trabalho:Churrascos, passeios e festas fora da empresa ajudam a unir o time e melhoram o clima. Confraternizações também ajudam o gestor construir uma imagem mais humana.
Não exija que a equipe viva para o seu negócioSaiba dosar a carga de trabalho. Comprometimento é importante, assim como ter tempo livre. Quando o funcionário se dedica a outras atividades no fim de semana, por exemplo, ele recarrega as energias e volta com ânimo para encarar a rotina durante a semana.
Seja acessívelO dono do negócio deve ser alguém com quem seja possível conversar, sugerir mudanças e contribuir com novas ideias. Chefes muito rigorosos e distantes intimidam e geram um ambiente constante de tensão.
E você, tem mais alguma sugestão de como melhorar o bem estar da sua equipe?

Dicas para melhorar seu plano de negócios

A dica de hoje foi dada por Seth Godin em seu Blog.
Aqui vai uma ótima maneira de como melhorar seu plano de negócio:
Tenha outra pessoa para escrevê-lo para você.
Encontre um amigo de um amigo, alguém que precise desse mesmo favor mas que não seja um amigo próximo. Conversem e comecem a escrever o plano de negócios um do outro.
Não mostre a ele o seu plano ou algum documento já existente. Somente tenha uma conversa. Conte sua história. Tire dúvidas. Então veja se ele tem alguma ideia ou algo a acrescentar.
Escrever sobre você é infinitamente mais difícil do que escrever sobre outra pessoa – e você irá descobrir que a história que você acreditou que estava contando provavelmente não é a mesma história que as outras pessoas estão entendendo.

Dicas para extrair o máximo do seu plano de negócios

Este texto faz parte da coluna da Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Muito já se falou sobre a importância dos planos de negócios, mas geralmente estão associados ao empenho na busca por investimentos e parceiros estratégicos. Sem dúvida ele é elemento fundamental para esses objetivos, mas pode oferecer muitos outros benefícios, caso seja adequadamente explorado.
Tudo começa com o seu modelo de gestão e controle. Quanto mais calibrado for, mais útil será a existência de um plano de negócios dinâmico, de onde se possa extrair as principais medições para avaliar o desempenho do seu negócio.
Nesse caso, aquele calhamaço de papeis intitulado como business plan, que passou a ocupar um solene lugar na gaveta do canto do escritório, sempre pronto para ser usado em uma oportunidade com potenciais investidores, passa a assumir uma dimensão relevante para o dia a dia, e agradecerá ao ser libertado do mofo do armário.
O fato é que transformado em instrumento de gestão, deverá passar por uma reforma, não só de conceito, mas principalmente no tratamento cotidiano, que deverá ser sistemático e rotineiro.
Se é esse o destino honrado que você deseja ao seu precioso plano de negócios, observe as dicas abaixo, que vão ajudá-lo a transformar esse monte de papel encadernado num importante aliado.
1 – Passe a compreendê-lo de forma diferente. A partir de agora ele terá que convencer você também. Portanto, encare uma profunda atualização.
2 – Reestabeleça o mais rápido possível a versão eletrônica que deu origem ao material encadernado.
3 – Discuta exaustivamente com sócios e os colaboradores mais importantes o novo posicionamento que ele assumirá. Depois disso, estabeleçam entre vocês uma lista de responsabilidades. Duas atividades serão fundamentais: 1) Alimentá-lo por meio de um sistema customizado (seria o ideal), ou se for o caso, manualmente mesmo, e, 2) Extrair relatórios de desempenho e, em seguida, apresentar ao grupo em uma reunião cuja pauta seja exclusivamente a cobrança interna por resultados.
4 – Para que o item 3) possa ser realmente efetivado, será necessário investir um bom tempo colocando os controles internos em ordem, ou seja, organizando as fontes de informações que vão alimentar o plano, de forma a garantir consistência e confiabilidade nos números.
5 – Batalhar para que todos esses cuidados prossigam por meio de um processo organizado e eficiente, mas blindado de exageros de sofisticação, para que tenha longevidade e se incorpore no cotidiano da empresa, evitando que seja abandonado por pura overdose de chatice corporativa. Simples e direto, apenas isso.
Caso tenha sucesso nessa implementação, parabéns! Sem grandes complicações, você estará dando os passos fundamentais para um importante amadurecimento de gestão, que é a transparência de informações. Passo essencial para voos mais altos e fazer a sua empresa ser levada a sério.
Mais do que isso, estará contribuindo para o bom sono de muita gente: gerentes de banco, investidores se for o caso, e o seu também. Tenha certeza disso.
Boa sorte.
Abraços,
Gustavo Chierighini, da Plataforma Brasil

Dicas para deixar de ser pequeno

Este texto faz parte da coluna da Plataforma Brasil feito especialmente para os leitores do Saia do Lugar.
Antes de tudo, vamos deixar algo bem claro: tamanho não é documento. Creio que sobre isso não existe discordância (é o que imagino), e quando classifico um negócio como grande ou pequeno, me refiro a sua expressão como empreendimento e não ao porte do seu escritório ao número de funcionários ou ao elenco de ideias (as vezes meros palpites sem embasamento). Trata-se, então, de valor agregado, posicionamento, originalidade, capacidade de gestão e competência.
No entanto, seguindo a coerência do conceito, o fato do seu escritório ser um ovo, dispor de dois colaboradores e dois sócios e empenhar um projeto único, ambicioso, inovador e consistente, não significa que tenha atingido o nirvana dos empreendimentos de grande relevância.
Empreendedor em busca do nirvana

Esse estado se conquista, e não depende de sinais aparentes, ou talvez esteja mais próximo de atitudes comuns, porém dotadas de alto poder solidificador, mesmo porque o universo empresarial não é constituído apenas de colossos do empreendedorismo ou de produtos e soluções revolucionárias em termos de tecnológica e consumo. Para se obter esta constatação, sugiro uma volta pelo quarteirão com uma boa conversa com o padeiro bem sucedido da esquina.
Sendo assim e colocando os pés no chão, deixar de ser pequeno, significa:
1- Ter a clara consciência de que inovação não significa necessariamente inovação tecnológica, mas pode estar perfeitamente ancorada em novos métodos, ou aos cuidados básicos do dia-a-dia, que no final das contas fazem toda a diferença;
2- Manter a estrutura administrativa, documental e contábil em perfeita ordem e constantemente verificada. Ela é tão importante quanto a sua capacidade de gestão negocial ou de inovar.
3- Construir um negócio rentável, que permita não apenas as reservas para o reinvestimento, mas também a legítima recompensa dos sócios por meio da distribuição de lucros.
4- Conquistar a capacidade de crescimento por meios orgânicos, sem depender necessariamente da inserção de investidores de risco.
5- Avançar com consistência e perseverança, sem se abalar pela última modinha de gestão, ou pelos sinais aparentes de sucesso dos concorrentes.
6- Não se deixar influenciar pelas pressões sociais e comportamentais para que o seu escritório se adapte imediatamente às tendência do momento, aquelas mesmas que deixarão de ser tendência no horizonte de dois ou três meses.
7- Manter taxas, impostos e compromissos financeiros em dia.
8- Desenvolver uma equipe engajada, profissionalmente madura, estável e confiável.
9- Ter um planejamento detalhado, bem elaborado que seja levado a sério.
Como última dica, recomendo atuar de forma que a ética deixa de uma vez por todas de ser uma expressão de marketing, ou performance vazia. Atue com ética e ponto final, sem que isso necessite ser anunciado. Tenha certeza de que o seu silêncio gritará na mente de clientes, fornecedores, funcionários e concorrentes.
Boa sorte e até o próximo.
Gustavo Chierighini, da Plataforma Brasil

Credibility and Reputation Management

Heather MacKinnon, VP of Sales for DealerRater, says that having some negative online reviews is actually not bad, because it lends credibility of the good ones. Your focus should be to have more good than bad. Video

Apresentação do Fórum HSM - Negociação 3.0

José Salibi Neto, Chief Knowledge Officer da HSM, mostra quais serão os principais assuntos que serão apresentados pelos palestrantes do evento Fórum HSM - Negociação 3.0, que acontecerá em São Paulo, nos dias 23 e 24 de agosto de 2011. Saiba mais em:

HSM É possível inovar e crescer

Fabio Gandour fala sobre o modelo de pesquisa que pratica o conceito de ciência como negócio e também sobre o desafio de alinhar inovação e crescimento.

HSM Fazendo Acontecer | Episódio 1 -- Subdesempenho Satisfatório

HSM Jonathan Zittrain on "Leadership in a Networked World"


Jonathan Zittrain, a professor of law and computer science at Harvard University, delivers a fascinating lecture to professor David Gergen's course "On Becoming a Leader" that looks at how leadership is exerted both on and through the internet.

Ticket Car Galeria de Domingo - Santa Cruz do Sul 2011

Galeria de Domingo - Santa Cruz do Sul 2011

Imagens