Total de visualizações de página

sábado, 23 de julho de 2011

Video Características de um líder inovador: inspirar a ação

Nesse fantástico vídeo do TED, Simon Sinek mostra diversos exemplos de empresas que tiveram sucesso por causa da sua habilidade de inspirar pessoas. Ele explica de forma bem didática a importância de demonstrar um propósito no seu produto ao invés de simplesmente falar que ele é bom.
É bem interessante a análise que ele faz sobre o avião. Junto com os irmãos Wright existia uma outra empresa extremamente bem financiada que contratou as melhores pessoas mas simplesmente não conseguiu fazer o projeto do avião sair.
Ter dinheiro e pessoas capacitadas não é suficiente se você não tem paixão que inspire as pessoas a tirar sua ideia do papel. Em compensação, se seu produto inspira as pessoas, você não precisa ter tanto dinheiro assim.
Isso inclusive foi um dos pontos mais importantes da entrevista com Fábio Barbosa que fizemos ontem.
(Para assistir o vídeo com legendas, clique em Subtitles e escolha a opção “Portuguese”. Link direto)
Além de liderar pessoas dentro da empresa, você em algum momento precisará se comportar como um líder com os seus clientes. Se você quer inovar, é importante mostrar o caminho e inspirar a pessoas a seguí-lo junto com você.
Por isso, é tão importante ter paixão pelo que você faz e comunicar seu produto de forma que instigue as pessoas a se tornarem seus entusiastas. Pra isso, recomendo 2 artigos:

Análise: Marketing para o varejo

Ola a todos.

Vamos aproveitar o assunto do ultimo post, e falar um pouco mais sobre marketing de varejo.

Diferente do marketing tradicional, focado nos aspectos da marca e do produto, o marketing de varejo tem como seu principal diferencial a maneira com o qual se comunica com o consumidor, muitas vezes, descrevendo pouco sobre os produtos em si, preocupando-se principalmente em destacar uma ocasional oferta ou preço promocional.

No Brasil, um dos principais conceitos utilizados na abordagem do consumidor é a chamada “sensação de oportunidade única”. Desde os splashes e cartazes, até mesmo a propaganda veiculada no meios de comunicação como rádio e televisão, diariamente somos verdadeiramente bombardeados com promoções que enfatizam slogans e frases de efeito como “Agora ou Nunca”, “É só amanhã”, “Termina nesse final de semana”, e por aí vai. Todas essas frases tem como intuito apenas um objetivo: criar uma sensação de oportunidada única na mente do consumidor, levando este a tomar uma decisão rápida, e muitas vezes não planejada, de adquirir o produto, devido à disponibilidade imediata, a condição única de pagamento, ou o preço extremamente atrativo.

Uma das principais “armas” de comunicação, principalmente para o comércio popular, tem sido o chamado “tablóide” de ofertas, um impresso que ganha diferentes formatos e conteúdos de acordo com o posicionamento e a reserva de investimento da empresa. De simples folhinhas, a verdadeiras revistas, buscam informar o consumidor sobre ofertas e produtos durante um determinado período.

Mas será que o uso de tablóides ou de uma propaganda comercialmente agressiva, são suficientes para se conquistar o cliente? Vender ao consumidor pode até ser considerada uma tarefa fácil, mas cativar, ou conquistar definitivamente o consumidor é uma tarefa extremamente difícil.

Os esforços das mídias de varejo atuais tem como foco apenas o consumidor no tempo presente. Querem que ele compre imediatamente, esquecendo-se completamente de buscar estar presente sempre na vida do consumidor, tornando-se um verdadeiro parceiro deste. Para muitos lojistas, cliente bom é apenas aquele que compra hoje.

Um caso muito interessante são os das lojas que se utilizam de carnês de pagamento. Em muitas destas lojas, não é possível o pagamento de uma fatura senão dentro do próprio estabelecimento. O simples retorno de um mesmo cliente todo mês dentro da loja acaba resultando na possibilidade de a cada mês poder vender um novo produto à esse novo cliente. Na maioria das vezes, os clientes costumam a emendar o inicio de uma nova compra com o termino de outra. “Agora que terminei de pagar, posso comprar mais.”

Os cartões fidelidade, principalmente os que oferecem descontos ou formas de pagamento mais vantajosas, e não cobram anuidade, são excelentes ferramentas de retorno. Infelizmente, muitos varejistas viram a questão do “private label”, como são chamados os cartões de marca própria, como uma nova fonte de recursos. Acredito que com o passar do tempo, só funcionam como ferramentas de retorno os cartões que efetivamente souberem atrair constantemente o cliente ao ponto-de-venda, oferecendo possibilidades difíceis de se conseguir sem o uso do mesmo.

O varejo brasileiro encontra-se em um processo de transição, que ainda não apresenta data certa para se acertar. Aos poucos, lojistas e profissionais do varejo tem percebido que não é apenas o preço que encanta o consumidor, e que quando bem posicionados em termos de estratégia e foco, desenvolvendo produtos e serviços que agradem ao seu consumidor, o preço passa a ser um fator secundário e o lojista passa a ver lucros maiores.

Ainda é difícil se posicionar no mercado apenas buscando passar valores ao consumidor. No mundo do varejo, estar na mídia com propagandas apenas institucionais é perder mercado. A comunicação cada vez mais vem buscando dosar o equilíbrio entre uma mensagem institucional (que cria valia à marca) e uma mensagem promocional (que cita preços e ofertas).

A valia vem sendo criada principalmente pela criação de serviços. Cada vez mais não existe venda de produtos sem a venda de serviços. De entregas rápidas, assitência técnica, até mesmo passando pela criação de serviços que independem de comprar ou não alguma mercadoria, como cursos ou espaços de lazer, os varejistas têm buscado se diferenciar no mercado apostando em segmentos específicos de público, como idosos, jovens ou mulheres, ou em novos hábitos de consumo, buscando acompanhar o ritmo de vida de seus consumidores.

Um fato que vem mudando bruscamente no mercado é exatamento o posicionamento estratégico dos varejistas, de modo a saber se comunicar de maneira adequada com seu consumidor. Algumas bandeiras de supermercado, tem criado empresas secundárias, de modo a se estabelecer em diferentes regiões de uma cidade, buscando atender os diferentes perfis de clientes que possam ser encontrados. Atende-se desde um cliente de classe C em uma bandeira, até mesmo um cliente de classe A, utilizando-se de outra bandeira. Com mix de produtos, serviços e ambiente de loja, completamente diferentes, buscam interagir e criar uma sinergia junto ao seu público consumidor.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://www.falandodevarejo.blogspot.com/

EXPO Y: os negócios na era digital

Aconteceu nesta semana na Bienal do Ibirapuera o festival  Expo Y. Voltado para os jovens de muitas gerações ( X, Y, Z) o evento teve como tema central a nova cultura de negócios criada a partir da era digital.
Em três dias, as apresentações se diversificaram em assuntos e interesses que iam do recrutamento via redes sociais ao valor dos sonhos, do planejamento financeiro ao modo bootstrapping de empreender. Participei do painel sobre Inovação Aberta, ao lado de Fabiana Tarabal (Battle of Concepts) e Fernanda Nudelman Trugilho (Pto de Contato). Foi uma experiência bacana falar num ambiente tão multifacetado.
Muita gente comparou o festival às primeiras edições da Campus Party, pela diversidade de discussões acontecendo simultaneamente e a tecnologia onipresente. O que se percebe é que, independente da geração (e todas elas estiveram por lá) os participantes buscavam as mesmas coisas: aprender novos conceitos, conhecer pessoas e encontrar oportunidades.
Se a cultura digital mudou o jeito de fazer negócios, é na conversação (virtual ou presencial) que eles efetivamente começam, que ideias são postas em prática. Nisto, a Expo Y foi uma excelente chance para iniciar conversas, amadurecer projetos e conquistar colaboradores.

Métricas nas redes sociais

Compartilho uma lista de ferramentas para análises digitais.
Visualização de contatos Twitter
Trabalho do grupo de estudos sobre Metricas
Como calcular o ROI nas midias sociais
Criação de Badges Foursquare
Networkmaps
Numeros da Internet
Social Bakers – números de Facebook Globais
Real Time social location Twitter
Comparar concorrência no Twitter
Quem deixou de te seguir
SocialMetrix
Monitora blogs, fóruns, redes sociais, sites de reviews e meios tradicionais on-line, capturando tanto comentários e opiniões das pessoas como publicações e artigos dos meios tradicionais on-line. Permite o seguimento da percepção que as pessoas na internet têm sobre marcas, produtos, políticos, ações de marketing e/ou comunicação.
BrandsEye
A ferramenta monitora a presença online da sua marca em tempo real e fornece uma pontuação de reputação para a marca e seus competidores. Com isso, monitora-se também sentimentos e opiniões dos seus consumidores.
BlogPulse
BlogPulse é um sistema de detecção automática de tendências para blogs.  É um buscador de conteúdo de blogs, que também analisa e faz relatórios sobre a atividade diária na blogosfera. Os usuários podem pesquisar por link (URL), palavra-chave, frases e intervalo de datas. http://blogpulse.com/
PostRank
A ferramenta capta onde e quando histórias geraram comentários, tweets, bookmarks, etc. É utilizada para medir influência e alcance de audiência.
Xinu
Ferramenta que, ao colocar a URL do seu site, checa pagerank, backlinks, páginas indexadas, rankings , visitas e assinantes do RSS feeds, quantidade de bookmarks e diagnóstico do domínio.
SocialToo
Ajuda a gerenciar sua conta no Twitter e Facebook. Com a ferramente “Automate”, é possível usar um “auto follow”; com a “Track”, você monitora quem está te seguindo e quem parou de seguir você; e o “Clean and Protect” pode ser usado contra qualquer tipo de vírus ou mensagens suspeitas.
Radian6
Ferramenta online para monitoramento e engajamento que deixa você ver conversas relevantes que estão acontecendo em volta da sua marca em tempo real. A ferramenta agrega estas conversas e as coloca em gráficos bastante visuais.
Scup
Ferramenta online que monitora os acontecimentos do Twitter, Blogs, Flickr, YouTube, Yahoo Respostas e muitos outros serviços a partir de palavras-chaves escolhidas. Também é possível identificar fãs, destruidores e clientes. Todos os dados são colocados em gráficos para melhor compreensão.
PostX
Plataforma para ter acesso a tudo o que está sendo dito a respeito do mercado escolhido, seus produtos e sua marca nas mídias sociais. O rastreamento se dá através de palavras-chave escolhidas. O sistema de monitoramento trabalha 24h por dia capturando e indexando todo o conteúdo relacionado aos termos de interesse. Todos esses dados ficam disponíveis de maneira organizada em uma área restrita do nosso sistema, para serem consultados, avaliados e analisados.
Addict-o-Matic
Ferramenta online que busca, a partir de palavras-chaves, site, blogs, vídeos e imagens que estão falando sobre a palavra escolhida. Os resultados são de acordo com o que está gerando maior buzz na rede.
Who’s Talkin
Ao digitar uma palavra, você recebe tudo o que tem sido falado sobre ela na rede. Os resultados são categorizados em blogs, notícias, networks, vídeos, imagens, forums e tags, em ordem de relevância.
Social Mention
Plataforma online que agrega conteúdo gerado por usuário de todo o mundo e, ao digitar uma palavra-chave, você consegue monitorar o que as pessoas estão dizendo sobre a palavra escolhida, em tempo real. O monitoramento é feito em mais de 100 mídias sociais.
I-Brands
A plataforma I-Brands é um cockpit de monitoramento da marca, permitindo uma série de visualizações sobre a sua saúde nos diversos ambientes sociais. Cada ambiente social (redes sociais, redes virais, blogosfera etc.) tem um motivador de uso próprio – e, portanto, interpretações diferentes de resultados. Assim sendo, o I-Brands precisa categorizar a fonte dos dados, baseando nela os indicadores de resultado. Todos os resultados de coleta de dados podem ser cartegorizados por tema. Assim, se uma empresa tem 200 posts em blogs sobre ela, e fundamental que estes posts sejam categorizados por áreas temáticas, como “institucional”, “produto a”, “atendimento ao cliente” etc. Apenas com esta tematização é possível determinar os pontos fortes e fracos da empresa. Todos os resultados de coleta de dados podem ser ainda categorizados como positivos ou negativos. Ou seja: não basta saber se o usuário está falando sobre um ou outro tema – é importante saber se ele está falando bem ou mal.
Ferramenta para busca no Facebook.
Acompanhar números de crescimento
Criar nuvem de palavras mais citadas no seu perfil
Procura de palavras na web e redes
Procura informações na biografia de todos os perfis do twitter.
Número de Impactos:
http://www.tweetreach.com faz uma analise de palavras-chave, url, tag ou profile, criando um relatório  de usuários únicos que receberam várias vezes a mesma mensagem e que foram impactados por ela.
Para receber notificações a respeito de certas palavras
Painéis de consumo e auditoria de mídia e aferição de audiência
Netview, do Ibope/NetRatings
MediaMetrix, da comScore
HitWise, via Serasa Experian
CETIC.br, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (grátis)
Research, do Google AdPlanner (grátis)
Google Insights for Search (grátis)
MIMVI MOBILE
Através dele, é possível encontrar aplicativos e conteúdos voltados às mais diferentes plataformas móveis, como iPhones, Blackberries e Androids. Além disso, também é possível filtrar os resultados, visualizando apenas o dispositivo de seu interesse.
Modelo de resumo executivo de métricas

Keywords
a.      Relacionadas ao produto ou serviço – Termos relacionados nas buscas pela Marca (Excel)
b.      Relacionadas ao produto ou serviço – Termos relacionados nas buscas pelo produto ou serviço (Excel)
2.       Tag Cloud com as palavras mais utilizadas durante o monitoramento
a.      Nuvem de termos relacionados ao produto Positivo + Gráfico Pizza de sentimento total de todos os canais. (Excel) (Word)
b.      Nuvem de termos relacionados ao produto Neutro + Gráfico Pizza de sentimento total de todos os canais. (Excel) (Word)
c.       Nuvem de termos relacionados ao produto Negativo + Gráfico Pizza de sentimento total de todos os canais. (Excel) (Word)
3.       Resultado no Google – Posição do site ou portal no Google para as principais Keywords (Comparativo com os períodos anteriores) (Excel)
4.       Principais noticias do mês – Google Noticias – Destaque para as noticias mais relevantes do mês
5.       Canal Orkut – Capa – Últimas noticias referentes ao canal e principais números relacionados ao canal (Todos os relatórios)
a.      Quanti – Principais comunidades relacionadas com a empresa (Excel)
b.      Quanti – Principais comunidades concorrentes (Comparativo com a comunidade da cliente, mais relevante.) (Excel)
c.       Quanti – Menções positivas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
d.      Quali/quanti – Menção positiva mais relevante – Screenshot, comentário e alcance. (Considerações)(Powerpoint) (Excel)
e.      Quali – Exemplos de menção neutra (Powerpoint)
f.       Quanti – Menções negativas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
g.      Quali/quanti – Menção negativa mais relevante – Screenshot, comentários e alcance. (Considerações) (Powerpoint) (Excel)
h.      Overview
6.      Canal Youtube – Capa – Últimas noticias sobre o canal e atualizações (Colocar dados de acesso e crescimento) (Ref.: ComScore, etc) (Todos os relatórios)
a.      Quanti – Principais canal relacionadas com a empresa (Excel)
b.      Quanti – Principais canal concorrentes (Comparativo com a comunidade da cliente, mais relevante.)(Excel)
c.       Quanti – Menções positivas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
d.      Quali/quanti – Menção positiva mais relevante – Screenshot, comentário e alcance. (Considerações)(Powerpoint) (Excel)
e.      Quali – Exemplos de menção neutra (Powerpoint)
f.       Quanti – Menções negativas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
g.      Quali/quanti – Menção negativa mais relevante – Screenshot, comentários e alcance. (Considerações) (Powerpoint) (Excel)
h.      Overview
7.      Canal Facebook – Capa – Dados sobre o facebook e últimas notícias.  (Podemos pegar os dados de sites ou da página de publicidade do Facebook. (Todos os relatórios)
a.      Quanti – Principais comunidades relacionadas com a empresa (Excel)
b.      Quanti – Principais comunidades concorrentes (Comparativo com a comunidade da cliente, mais relevante.) (Excel)
c.       Quanti – Menções positivas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
d.      Quali/quanti – Menção positiva mais relevante – Screenshot, comentário e alcance. (Considerações)(Powerpoint) (Excel)
e.      Quali – Exemplos de menção neutra (Powerpoint)
f.       Quanti – Menções negativas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
g.      Quali/quanti – Menção negativa mais relevante – Screenshot, comentários e alcance. (Considerações) (Powerpoint) (Excel)
h.      Overview
8.      Canal Twitter – Capa – Dados e notícias gerais sobre o Twitter, seus números e volume. (Todos os relatórios)
a.      Quanti – Principais Twitters relacionadas com a empresa (Excel)
b.      Quanti – Principais Twitters concorrentes (Comparativo com a comunidade da cliente, mais relevante.) (Excel)
c.       Quanti – Menções positivas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
d.      Quali/quanti – Menção positiva Twitters mais relevante – Screenshot, comentário e alcance. (Considerações) (Powerpoint) (Excel)
e.      Quali – Exemplos de menção neutra (Powerpoint)
f.       Quanti – Menções negativas (Gráfico Evolutivo) (Excel)
g.      Quali/quanti – Menção negativa mais relevante – Screenshot, comentários e alcance. (Considerações) (Powerpoint) (Excel)
h.      Overview
9.      Canal Outras redes sociais
a.      Forums
b.      Blogs
c.       Redes
10.   Canal Redes sociais reais
a.      Encontros reais e eventos
11.   Google Analytics
a.      Tráfego proveniente – Overview /Ranking
b.      Tráfego proveniente – Orkut
c.       Tráfego proveniente – Twitter
d.      Tráfego Direto
12.   Considerações – Considerações finais por canal
13.   Aplicações

As grandes empresas sonham com a agilidade das pequenas


“Imagine dois pares de tênis branco idênticos um do lado do outro. Um não tem marca e outro tem o símbolo da Nike. Qual você acha que vale mais?”. Foi assim que o consultorFábio Fiorini começou a conversa com o Pensando Grande. O especialista em branding e sócio-diretor da NetBranding, lançou importantes empresas no Brasil através da construção e gestão de marca. Mas afinal de contas, o que é branding?
Desmistificando o Branding
Vamos voltar à pergunta inicial. Qual tênis você acha que tem maior valor: o que leva a marca da Nike ou o outro? Sem sombra de dúvida o calçado que tem impressa a marca estadunidense vale mais e não só no sentido financeiro. Obranding faz exatamente isso. Constrói determinada marcaatravés da imagem, atribui valores mercadológicos a ela e a coloca em um patamar diferenciado dos outros produtos de sua categoria. Esse processo requer tempopaciência, mas não necessariamente muito dinheiro (vamos ver isso mais para frente).
“O branding transforma produtos e serviços em referências e ocupa o centro da organização, afinal de contas, todos os passos e decisões que a empresa toma refletem na imagem da marca”, afirma Fábio. Engana-se quem pensa que branding refere-se só à venda. Ele engloba o relacionamentoplanejamentocomunicação posicionamento da empresa no mercado, ou seja, o buraco é mais embaixo. O branding, que antes era uma vertente do marketing, assume um papel completamente independente.
construção de uma marca forte é conseqüência de um relacionamento satisfatório com o mercado-alvo. Quando esta identificação positiva se torna forte o bastante, a marca passa a valer mais do que opróprio produto oferecido. Sua execução não é tomada apenas por ações de marketing que posicionam a marca e a divulgam no mercado, mas também por ações internas na empresa, transmitindo, para todos os interessados, a imagem pretendida.
Se existe uma imagem a ser transmitida de nada adianta as áreas da empresa seguirem caminhos diferentes. “Pergunte para seus funcionários qual a missão, valores, diferenciais conceitos da empresa. Se você perceber que a opinião deles é diferente é porque existe um conflito. Por isso, antes de mais nada, é preciso escolher um posicionamento de marca. Como sua empresa quer ser reconhecida?”, provoca o consultor.
Quando se tem claro o posicionamento da empresa é preciso praticá-lo. Fábio diz que marketear é completamente diferente da prática do posicionamento. É preciso instalar no mercado os ideais que sua empresa compartilha por meio de treinamentos e indicadores de desenvolvimento. Após esta prática, aí sim entra a área de marketing para reforçar essas ideias, tudo baseado em um planejamento de marketing compatível com sua empresa e prevendo o futuro do mercado. É preciso lembrar que coisas boas ganham força e a velocidade de crescimento está diretamente ligada a imagem da marca.
E se você não quer pecar nessa área, siga este conselho: escolher um posicionamento é fácil, o difícil ésustentá-lo ao longo do tempo. A grande armadilha é você se deixar seduzir pela guerra de mercado sem se solidificar.
Pequenas X grandes empresas
Os empresários costumavam pensar que somente grandes empresas praticavam ações de branding eficazes. Outro erro. “A grande empresa gostaria de agir como uma pequenaporque tem mais proximidade com os clientes, é mais ágil e tem uma equipe focada na evolução constante dos serviços. Ao mesmo tempo as pequenas e médias empresas gostariam de ser grandes pelo simples fato de negócios de porte maior terem mais poderio financeiro. Essas empresas não têm muito dinheiro, mas são fortes nas relações e práticas diárias”, argumenta Fábio Fiorini que fez especialização de branding nos Estados Unidos.
Este cenário apresentado faz com que as grandes empresas comprem as menores. O trabalho de branding evita a quebra de uma empresa a aumenta seu poder em uma determinada região. Fiorini dá como exemplo uma imobiliária na região norte de São Paulo. Grandes corporações imobiliáriastentaram entrar na região, mas não duram mais do que um ano e isso acontece porque esta pequena imobiliária desenhou muito bem sua imagem (branding) e se mantém líder há anos. Além de oferecer um serviço diferenciado, eles trabalham exaustivamente no treinamento dos corretores, no processo de procura/compra e no pós-venda. A palavra de ordem aqui é não ser reconhecido pelo tamanho, mas ser reconhecido pela excelência dos serviços prestados.
O que se encontrava antigamente era a mesma estratégia de branding para pequenas e grandes empresas. A grande empresa constrói uma imagem para depois entregar o serviço. As pequenas, mais desafiadoras e compatíveis com a realidade, devem seguir o caminho inverso: entregar para depois construir.
Investimento
Falamos no começo deste texto que o sucesso de uma campanha de branding não está ligado ao valor do investimento. “Criou-se este mito porque antigamente a construção de uma marca era vinculada apublicidade e isso sim é caro. A publicidade não é responsável por construir uma grande marca; o trabalho de branding sim” comenta Fábio. O especialista diz ainda que liderança de mercado não é construída com dinheiro, mas com o domínio que você exerce ao seu redor. Se você consegue personalização e diferenciação de produtos e serviços, certamente você atingirá uma boa imagem.
Outro investimento que deve ser feito não é com relação a finanças e sim ao aperfeiçoamento. “O empresário não deve saber sobre branding; ele deve saber fazer branding. Infelizmente não existe faculdade ou pós-graduação em branding, mas é possível fazer cursos e participar de seminários que exploram essa prática e dão ao empreendedor uma visão muito mais específica”, complementa Fábio.
Esse aperfeiçoamento pode começar agora. Sabe como? O Pensando Grande, em parceria com aNetBranding, lançou um concurso cultural que dará a um leitor do blog um curso de brandingministrado pelo consultor Fábio Fiorini. Quer participar e expandir sua marca? Clique aqui e inscreva-se!